Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

True Blood - Music From the Original Serie [2009]


A série de tv True Blood é exibida pelo canal HBO e, francamente, me apaixonei por ela desde o primeiro episódio. Primeiramente, porque é uma história de sexo, vampiragem, violência e rock’n’roll. Em segundo lugar, porque tem um roteiro atraente, sobre um vampiro que se apaixona por uma humana e... acho que já ouvi essa história antes!

Mas acalmem-se. Não se trata de um subproduto da saga Crepúsculo. A série True Blood é baseada na obra The Southern Vampire Mysteries, da escritora Charlaine Harris, que foi escrita bem antes da vida de Bella e da família Cullen. Não traz nem uma pitada de fantasia adolescente; muito pelo contrário. As cenas de sexo e violência são fortes, e não existem vampiros bonzinhos e realmente apaixonados.

Os japoneses inventaram um sangue sintético chamado True Blood. Com isso, os vampiros puderam sair da cova e passaram a conviver com os humanos, sob uma aura inocente e inofensiva expressa pelo argumento de que, agora, não precisam mais ser temidos porque só bebem... True Blood. Nada de sangue humano.

Mas, na camufla, os dentuços não querem nem saber. Gostam mesmo é de sangue e a bebidinha sintética só é consumida em último caso. E a convivência com os humanos está longe de ser pacífica. Parece ser apenas mais uma história de vampiros, mas tem seu diferencial.

A abertura, então, é um show à parte, com a música Bad Things, de Jace Everett fazendo o clima. Foi indicada ao Emmy de melhor abertura e serviu para impulsionar a carreira do músico na cena country norte americana. Confira abaixo.


Como o disco é a trilha sonora de uma história que se passa numa cidade do interior de Luisiana chamada Bon Tomps, o climão caipira está presente em Devil in Disguise, da The Flying Burrito Brothers e Two, de Ryan Adams. Tem Dr. John esbanjando feeling em I don’t wanna know. E também tem música eletrônica e outros bichos estranhos, assim como a série toda.


Pra quem nunca assistiu nenhum episódio da série, vai a dica. Pra quem acompanha, como eu, segue a trilha sonora. Sente no sofá (à noite), abra um True Blood e bote o som pra tocar. Diversão garantida.

Track List

1. Jace Everett – Bad Things
2. CC Adcock and the Lafayette Marquis – Bleed 2 Feed
3. Lucina Williams – Lake Charles
4. Lee Dorsey – Give it Up
5. The Legendary Schackshakers – Swampblood
6. Cobra Verde – Play With Fire
7. The Watson Twins – Just Like Heaven
8. The Flying Burrito Brothers – Crhistine’s Tune (Devil in Disguise)
9. Ryan Adams – Two
10. Slim Harpo – Strange Love
11. Dr. John – Don’t Wanna Know
12. John Doe feat. Kathleen Edwards – The Golden State
13. Little Big – Town Bones


Cartaz da terceira temporada

Link nos comentários
Link on the comments

Por Zorreiro

9 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?003gxm5nrxczzf1

Anônimo disse...

adorei o album valeu,naum conhecia,
ei cara q tal postar o nightmare do sevenfold, um dos melhores albuns do ano passado

Lyn disse...

Li toda a saga do Crespúsculo e críticas a parte quanto ao românce, são livros muito, mas muito bem escritos.

Narrativa envolvente, daquelas que nos faz ficar curiosos ao ponto de não querer parar de ler e ter pena quando o livro acaba.

Stephenie Meyer é uma excelente escritora. Ela se propôs a escrever um românce para pré-adolescentes e adolescentes e fez isso muito bem.

O problema é que o público que não era o seu alvo, resolveu ler o seu livro e criticar a moça pela água com açúcar da sua história. Não entrando no mérito se o livro tem uma história boa ou não, se o vampiro brilha ou não, se a história agrada ou não, isso vai do gosto de cada leitor. O fato é que é bem escrito e isso não dá pra negar. Quem tem a leitura como hábito não tem como dizer o contrário. Os filmes são infinitamente inferiores, como sempre.

Se é pra ser chato, posso dizer que a saga Crepúsculo é tão mulherzinha e melosinha quanto qualquer romance da Jane Austen, que na minha humilde opinião de leitora viciada, é chato pra kct, devido aos seus diálogos arcaicos (óbvio, é do início século XIX) e prolixos.

Se querem ler uma boa história de Vampiro, leiam Anne Rice com seu maravilhoso Lestat e Bram Stoker com o insuperável Drácula, pai de todos os sanguessugas, inclusive dos que visitam a Combe e não comentam! ;-)

Mas, enfim... Li alguns livros da série "The Vampire Diaries" e achei tão ruim que foram suficientes para eu ter uma overdose de história de vampiro ou de qualquer outra coisa do gênero (como Os Imortáis), ao ponto de me desinteressar pela leitura da saga True Blood e nem querer assistir à série da TV.

Obrigada pela dica. Vou assistir alguns episódios da série, para ver se me motivam ler os livros.

Quanto ao play, vou baixar e conferir. Geralmente os produtores capricham na escolha das músicas. A trilha sonora de Supernatural é um espetáculo! Vamos ver se essa é legal também!

Bom trabalho, Zo!

ZORREIRO disse...

LYN, antes de qualquer coisa: obrigado novamente pelas palavras de incentivo.
Comentário bem colocado. Complementar à resenha, eu diria.
Talvez algum leitor ache que falo mal da saga Crepúsculo, quando, na verdade, faço o comparativo que descreve características distintas sem dizer o que é bom e o que é ruim.
Crepúsculo é para pessoas sensíveis. True Blood, não.

Lyn disse...

Ok! ;-)

Esquenta não... A maioria que visita o blog não curte o Crespúsculo! Quem gosta mesmo é menina!

Anônimo disse...

Alguém tem V ai? =]

janaina disse...

Vim aqui baixar algo completamente diferente...Como AMO true blood, vi isso e não resisti rsrsrs.

Anônimo disse...

FALTOU SOMENTE A MÚSICA FREEBIRD DO LYNYRD SKYNYRD NESTA COLETÂNEA

McGroom disse...

Parabéns pelo post. Estava procurando um link válido há dias :)