Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 20 de abril de 2010

Mr. Big - Discografia [1989 - 2002]


Finalmente e atendendo à vários pedidos, aqui vai a discografia completíssima de uma das melhores bandas de Hard Rock da década de 90: Mr. Big!

(Links nos comentários - links on the comments)
(Links nos comentários - links on the comments)
(Links nos comentários - links on the comments)


Mr. Big [1989]

O debut do Mr. Big, auto-intitulado, pode ser considerado a peça mais oitentista do grupo, até por ter sido lançado em junho de 1989 e ser o primeiro disco da banda. Mas a musicalidade e a química dos virtuosos Eric Martin, Paul Gilbert, Billy Sheehan e Pat Torpey transbordam aqui, com aquele gostinho "anos 80".

Como um genuíno disco de Hard Rock oitentista, agitados hinos como "Wind Me Up", "Big Love", "Merciless" e "Addicted To That Rush", esta famosa por sua entrada de baixo executada pelo genial Billy Sheehan, cedem espaço para as belíssimas baladas "Anything For You" e "Had Enough", que deveriam impulsionar as vendas do disco.

Ironicamente, a faixa de maior sucesso de "Mr. Big" é o verdadeiro Hard Rock anthem, "Addicted To That Rush", que chegou a ocupar o 39° lugar nas paradas americanas. Como será de costume citar nos próximos textos, o disco foi um sucesso no Japão, recebendo disco de ouro. Digna de destaque, também, é o cover do Humble Pie, "30 Days In The Hole", que fecha o disco com a mesma chave de ouro que abre a carreira do Mr. Big.

01. Addicted To That Rush
02. Wind Me Up
03. Merciless
04. Had Enough
05. Blame It On My Youth
06. Take A Walk
07. Big Love
08. How Can You Do What You Do
09. Anything For You
10. Rock & Roll Over
11. 30 Days In The Hole (Humble Pie cover)


Raw Like Sushi [1990]

Gravado em 1990, o primeiro ao vivo da banda, "Raw Like Sushi", captura toda a energia do Big nos seus tempos aúreos. Apesar de curto, o setlist, totalmente fundamentado no debut lançado em 1989, é uma mostra de como de fazer um rock, de certa forma, moderno e totalmente hard.

Clássicos como "Blame It On My Youth" e "Merciless" já fazem valer o disco, mas como se não bastasse, as desconhecidas "How Can You Do What You Do" e "Rock And Roll Over" complementam a performance fantástica da banda, unidas a um solo de guitarra matador do mestre Paul Gilbert com direito à furadeira e trecho de "Dazed And Confused", do Led Zeppelin.

Ainda com um fôlego esplendoroso, "Raw Like Sushi" fecha lá na estratosfera com as fenomenais "Take A Walk" e "Addicted To That Rush".

Tracklist:
01. Blame It On My Youth
02. How Can You Do What You Do
03. Merciless
04. Rock & Roll Over
05. Paul Gilbert Guitar Solo
06. Take A Walk
07. Addicted To That Rush


Lean Into It [1991]

A diferença entre o auto-intitulado e "Lean Into It" são drásticas. Começando pela produção e passando pelo aspecto musical concebido no disco, "Lean Into It" mostra um Mr. Big mais músico e menos "farofeiro" (apesar do farofeiro ser muito bom também).

O destaque e motivo de sucesso do disco é quase óbvio: a balada "To Be With You" atingiu o 1° lugar nas paradas americanas, alavancando as vendas do disco que ganhou disco de platina nos Estados Unidos, além de ganhar também no Japão e chegar ao 6° lugar nas vendas nipônicas.
Entretanto, caro leitor, não se prenda apenas à "To Be With You" quando há um disco genial esperando para ser degustado.

As baladas "Just Take My Heart" e "Green-Tinted Sixties Mind", que ficaram, respectivamente, em 16° e 33° lugares nos EUA, aliadas à melosa versão da música de Jeff Paris, "CDFF - Lucky This Time" divide espaço com verdadeiras porradas hard-rockers, como as favoritas dos fãs da banda, "Daddy, Brother, Lover, Little Boy", "Road To Ruin" e "Alive And Kickin'".

Não é a toa que "Lean Into It" é o melhor na opinião dos fãs e da crítica.

01. Daddy, Brother, Lover, Little Boy (The Electric Drill Song)
02. Alive and Kickin'
03. Green-Tinted Sixties Mind
04. CDFF: Lucky This Time
05. Voodoo Kiss
06. Never Say Never
07. Just Take My Heart
08. My Kinda Woman
09. A Little Too Loose
10. Road To Ruin
11. To Be With You


Raw Like Sushi II [1992]

O segundo da trilogia "Raw Like Sushi", lançado pela Atlantic em 1992, mostra uma banda no auge de sua fama e também de sua disponibilidade e energia em shows. O Mr. Big sempre foi uma banda que mantinha um tradicionalismo mas sempre estava à frente do seu tempo e "Raw Like Sushi II" confirma isso de forma definitiva.

A abertura é simplesmente demais com "Daddy, Brother, Lover, Little Boy" e já prossegue para outra excelente, "Voodoo Kiss". "Road To Ruin" aparece com um solo de guitarra providenciado por Paul Gilbert da mesma forma que "CDFF - Lucky This Time" possui um solo de baixo matador do grande Billy Sheehan.

O final é bem especial, com covers de David Lee Roth ("Shy Boy"), Deep Purple ("Woman From Tokyo") e The Who ("Baba O' Riley"). Setlist perfeito e final apoteótico.

01. Daddy, Brother, Lover, Little Boy (The Electric Drill Song)
02. Voodoo Kiss
03. A Little Too Loose
04. Road to Ruin + Paul Gilbert guitar solo
05. CDFF: Lucky This Time + Billy Sheehan bass solo
06. Shy Boy
07. Woman From Tokyo/Baba O'Riley


Live [1992]

Gravado no no teatro Warfield em São Francisco, Califórnia durante a turnê do "Lean Into It", o poderoso "Live" comprova a habilidade dos integrantes do Mr. Big em vários aspectos, como presença, sonoridade, fidelidade na execução aos arranjos originais e o mais importante: habilidade.

Como não é nenhum segredo, o Mr. Big é formado por peritos em seus instrumentos: desde os notoriamente virtuosos Paul Gilbert e Billy Sheehan até os não tão reconhecidos Eric Martin e Pat Torpey, mas cada um com uma habilidade apuradíssima em cada instrumento.

Diferente dos 2 primeiros "Raw Like Sushi", "Live" é o primeiro a conter um repertório com mais de 10 músicas. Ou seja, é diversão garantida e extendida!

01. Daddy, Brother, Lover, Little Boy (The Electric Drill Song)
02. Alive And Kickin'
03. Green-Tinted Sixties Mind
04. Just Take My Heart
05. A Little Too Loose
06. Road To Ruin
07. Lucky This Time
08. Addicted To That Rush
09. To Be With You
10. 30 Days In The Hole
11. Shy Boy


Bump Ahead [1993]

"Bump Ahead", lançado em julho de 1993, mostra uma banda mais madura, cada vez menos calcada no Hard Rock oitentista e elaborando um estilo próprio. Aqui o Mr. Big se mostra bem versátil, apresentando diversas influências no disco, girando entre o jazz ("Colorado Bulldog"), o blues ("Price You Gotta Pay"), o rock n' roll ("Mr. Big"), o hard rock ("Nothing But Love") e o pop ("Promise Her The Moon").

Apesar de não ter feito muito sucesso em terras norte-americanas, "Bump Ahead" fez muito sucesso no Japão (ganhando disco de platina por lá), e aqui no Brasil, onde eles passaram pela primeira e única vez, tocando para cerca de 100 mil pessoas no M-2000 Summer Concert.

O interessante do disco é o maior sucesso dele, "Wild World", ser um cover do cantor inglês Cat Stevens, ganhando uma versão até das brasileiras Pepê & Neném! A música "Mr. Big", que dá nome à banda, também se trata de um cover, mas do lendário grupo Free.

01. Colorado Bulldog
02. Price You Gotta Pay
03. Promise Her The Moon
04. What's It Gonna Be
05. Wild World
06. Mr. Gone
07. The Whole World's Gonna Know
08. Nothing But Love
09. Temperamental
10. Ain't Seen Love Like That
11. Mr. Big


Japandemonium: Raw Like Sushi 3 [1994]

Os outros dois "Raw" se concentraram apenas nos dois primeiros discos, o debut e "Lean Into It". Já "Japandemonium: Raw Like Sushi 3", gravado no Koseinenkin Hall em Tóquio, Japão e lançado após o lançamento do 3° disco, "Bump Ahead" (1993), investe em um repertório mais diversificado, mesclando canções dos 3 álbuns.

Os destaques vão para o eterno clássico "Green-Tinted Sixties Mind", a animada "Wind Me Up", o cover de "Wild World" de Cat Stevens, o excêntrico solo de quase 7 minutos de Paul Gilbert e as baladas "To Be With You", "Promise Her The Moon" e "Nothing But Love".

"Japandemonium: Raw Like Sushi 3", em particular, tem uma sonoridade um pouco mais ampla, além de possuir uma ótima capa e uma gravação impecável. Um ótimo registro do Mr. Big.

01. Colorado Bulldog
02. Price You Gotta Pay
03. Temperamental
04. Green-Tinted Sixties Mind
05. Wind Me Up
06. Wild World
07. Paul's Solo
08. Nothing But Love
09. Billy's Solo
10. To Be With You
11. Promise Her The Moon
12. Mr. Big
13. Seven Impossible Days (Studio Bonustrack)
14. I've Learned My Lesson (Studio Bonustrack)


Hey Man [1996]

"Hey Man", lançado no início de 1996, mostra um Mr. Big mais concentrado, um pouco mais pop, mas nunca menos Hard Rock. Ironicamente, apesar de ter sido um fiasco nos Estados Unidos, que estava com seus olhos voltados para o alternativo, o disco chegou a ficar em 1° lugar nas paradas japonesas e receber 2x disco de platina, graças ao sucesso do single "Take Cover", que foi incluída na trilha sonora do desenho Mega Man.

A versatilidade, presente em seu antecessor, se repete por aqui, com traços do pop, hard rock, heavy metal, jazz, blues, etc. Temos aqui canções de forte impacto, que circulam entre as pesadas "Trapped In Toyland" e "Out Of The Underground", as baladas "Goin' Where The Wind Blows" e "The Chain" e as animadas "Jane Doe" e "Fool Us Today", além de várias outras. "Hey Man", por isso, torna-se um disco para ninguém botar defeito, ofuscado pela mídia e pela música alternativa.

Infelizmente, devido às brigas entre Billy Sheehan e Eric Martin, unidas ao desinteresse, fracas vendas fora do Japão e uma turnê de divulgação de seu disco solo, Paul Gilbert deixa o Mr. Big um ano depois, dando lugar ao também virtuoso Richie Kotzen, ex-guitarrista do Poison.

01. Trapped In Toyland
02. Take Cover
03. Jane Doe
04. Goin' Where The Wind Blows
05. The Chain
06. Where Do I Fit In?
07. If That's What It Takes
08. Out Of The Underground
09. Dancin' Right Into The Flame
10. Mama D.
11. Fool Us Today


Big, Bigger, Biggest! The Best Of Mr. Big [1996]

A tetra-platinada coletânea no Japão "Big, Bigger, Biggest!" reúne os maiores clássicos do Mr. Big em 16 faixas, atravessando desde os primeiros sucessos até novas canções do até então recém-lançado "Hey Man", além de contar com 4 faixas, até então, não lançadas em nenhum disco de inéditas: "Seven Impossible Days", "Not One Night", "Unnatural" e "Stay Together".
Recomendado para quem quiser começar a conhecer os caras.

01. Addicted To That Rush
02. Rock And Roll Over
03. Green-Tinted Sixties Mind
04. To Be With You
05. Just Take My Heart
06. Daddy, Brother, Lover, Little Boy (The Electric Drill Song)
07. Wild World
08. Colorado Bulldog
09. Promise Her The Moon
10. Nothing But Love
11. Take Cover
12. Goin' Where The Wind Blows
13. Seven Impossible Days
14. Not One Night
15. Unnatural
16. Stay Together


Channel V: At The Hard Rock Live [1996]

"Channel V: At The Hard Rock Live" é o primeiro e único acústico oficial da carreira do Mr. Big. O mestre Paul Gilbert conseguiu reelaborar as músicas do Mr. Big de forma esplendorosa, gostosa e suave, mas sem perder a linha e mantendo a essência das canções em sua forma original, e os geniais Pat Torpey e Billy Sheehan seguem perfeitamente o caminho proposto, concluindo a gravação com êxito ao lado dos vocais suaves e fantásticos de Eric Martin.

O repertório inclui músicas de todas as épocas, além de dar ênfase ao disco mais recente da banda até então, "Hey Man". Os destaques, além para as belíssimas baladas, fica para músicas que eu nunca imaginaria que poderiam ficar desplugadas: as porradas "Alive And Kickin'" e "Daddy, Brother, Lover, Little Boy".

01. Alive And Kickin'
02. Green-Tinted Sixties Mind
03. Where Do I Fit In?
04. Jane Doe
05. Goin' Where The Wind Blows
06. Take A Walk
07. Voodoo Kiss
08. The Chain
09. Wild World
10. Take Cover
11. To Be With You
12. Daddy, Brother, Lover, Little Boy (The Electric Drill Song)
13. 30 Days In The Hole
14. Mr. Big


Live At Budokan [1997]

Oficialmente, "Live At Budokan" é o último registro do guitarrista Paul Gilbert no Mr. Big até seu retorno, em 2009. A fidelidade em executar as músicas encontra-se também nesse ao vivo, que não poderia ter sido gravado em lugar melhor que não fosse o Japão, terra onde os integrantes do Mr. Big são considerados deuses.

Mais diversificado ainda, o repertório comporta desde as primordiais canções do auto-intitulado até (várias) do disco de divulgação da turnê, "Hey Man", atravessando por toda a carreira da banda. "Live At Budokan" também conta com o inédito blues "Livin' Like A Dog" e o relançamento da balada "Ain't Seen Love Like That", originalmente presente em "Bump Ahead".

Os destaques, ao meu ver, são as belas versões para "Green-Tinted Sixties Mind" e "Take Cover", canções que nunca perdem a magia, unidas às agitadas "Alive And Kickin'", "Addicted To That Rush" e "The Whole World's Gonna Know", além do medley com um breve solo de baixo de Billy Sheehan e as músicas "Had Enough", "Big Love", "Take A Walk" e "Merciless", todas do 1° disco da banda, e do jam de "Suffragette City", originalmente de David Bowie, com a banda toda misturada: Billy Sheehan no vocal, Eric Martin na guitarra, Pat Torpey no baixo e Paul Gilbert na bateria.

A definitiva peça ao vivo da banda e uma honrosa despedida de Paul Gilbert.

01. Intro
02. Trapped In Toyland
03. Take Cover
04. Green-Tinted Sixties Mind
05. Jane Doe
06. Medley: Bass intro/Had Enough/Big Love/Take A Walk/Merciless
07. Out Of The Underground
08. Alive And Kickin'
09. The Whole World's Gonna Know
10. Road To Ruin
11. What's It Gonna Be
12. Fool Us Today
13. Addicted To That Rush
14. Suffragette City
15. Livin' Like A Dog (Studio Bonustrack)
16. Ain't Seen Love Like That (Studio Bonustrack)


Get Over It [2000]

Dotado de uma voz incrível e habilidade fantástica nas seis cordas, Richie Kotzen deu nova vida a um Mr. Big que estava a ver navios com a saída de Paul Gilbert e brigas internas entre Billy Sheehan e Eric Martin.

"Get Over It" é uma das melhores recuperações possíveis de uma banda que perde um membro original, apesar de muitos (inclusive eu) considerarem Gilbert insubstituível. Apesar de verdadeiras pancadas como "Electrified", "Static" e "Dancin' With My Devils" estarem presentes no disco, o Mr. Big investiu mais em músicas mais pop e suaves.

De uma forma interessante, o som da banda fica mais pop mas não perde a identidade e a pegada que consagrou a banda, com a cozinha eletrizante e virtuosa formada pela dupla dinâmica Billy Sheehan e Pat Torpey, a guitarra técnica e suave de Richie Kotzen adicionadas aos vocais sutis de Eric Martin e, em algumas faixas, um violão que deixou o som mais limpo e comercial.

O disco ganhou disco de ouro no Japão, atingindo o 5° lugar nos charts nipônicos e teve dois singles de relativo sucesso: "Superfantastic" (97° lugar nas paradas nipônicas) e "Static" (66°). O Mr. Big estava de volta!

01. Electrified
02. Static
03. Hiding Place
04. Superfantastic
05. A Rose Alone
06. Hole In The Sun
07. How Does It Feel?
08. Try To Do Without It
09. Dancin' With My Devils
10. Mr. Never In A Million Years
11. My New Religion


Deep Cuts [2000]

Não sou muito fã de coletâneas: prefiro apreciar o trabalho completo de cada banda. Mas "Deep Cuts" foge à regra das coletâneas normais, pois se trata de uma compilação APENAS de baladas. E como os integrantes do Mr. Big sempre foram mestres na arte de fazer belas músicas, com harmonia sutil e letras dignas de power ballads dos anos 80, este disco se sobressai à qualquer outro do gênero e conquista até mesmo não-fãs de Hard Rock.

"Deep Cuts" reúne desde baladas melancólicas, como "Just Take My Heart", "Dancin' Right Into The Flame" e "The Chain" até belas e felizes canções, como "To Be With You", "Ain't Seen Love Like That" e "Superfantastic". O repertório também apresenta 3 músicas inéditas: "Where Are They Now", "You Don't Have To Be Strong" e "I'll Leave It Up To You", iluminadas pela união perfeita da linda voz de Eric Martin, das guitarras mágicas de Richie Kotzen, do baixo avassalador de Billy Sheehan, da bateria precisa de Pat Torpey e dos backing-vocals de todos, que dão outra vida aos refrões.

O destaque, além das músicas lançadas antes dessa coletânea, fica por conta da maravilhosa "You Don't Have To Be Strong", que conta com um dueto vocal de Eric Martin e de Richie Kotzen, que possui uma voz tão bonita e suave como a de Martin.

01. Where Are They Now
02. I'll Leave It Up To You
03. Had Enough
04. Promise Her The Moon
05. Just Take My Heart
06. Superfantastic
07. You Don't Have To Be Strong
08. Anything For You
09. Wild World
10. Ain't Seen Love Like That
11. Dancin' Right Into The Flame
12. The Chain
13. Goin' Where the Wind Blows
14. If That's What It Takes
15. To Be With You


Actual Size [2001]

"Actual Size" é um dos meus discos preferidos do Mr. Big e que fez, assim como todos os outros, grande sucesso no Japão. A música "Shine", o maior sucesso do disco, até foi utilizada como trilha de encerramento para o anime Hellsing (que, aliás, eu recomendo). Lançado em agosto de 2001, é o último disco de estúdio do Mr. Big, ainda com Richie Kotzen nas guitarras.

Em "Actual Size", as músicas ficaram com um toque mais moderno, não tão pop como "Get Over It" porém marcado por vários efeitos de guitarra e sonoridade mais contemporânea. Destacam-se as elétricas canções como "Lost In America", "Suffocation" e "Mary Goes Round", que dividem espaço com baladas de ótimo gosto, como a anteriormente citada "Shine" (que chegou ao primeiro lugar das paradas nipônicas), além do outro single do disco, "Arrow", e da lindíssima "I Don't Want To Be Happy".

Um ótimo álbum, mas que infelizmente marca o fim "temporário" do Mr. Big.

01. Lost In America
02. Wake Up
03. Shine
04. Arrow
05. Mary Goes Round
06. Suffocation
07. One World Away
08. I Don't Want To Be Happy
09. Crawl Over Me
10. Cheap Little Thrill
11. How Did I Give Myself Away
12. Nothing Like It In The World


In Japan [2002]

A vida não ia bem pro Mr. Big. Apesar de desfrutarem de popularidade imensa no Japão, os álbuns não vendiam nada bem pelo resto do mundo. A tensão entre Billy Sheehan e Eric Martin se agravou, levando Sheehan pedir demissão. Entretanto, por conta de uma cláusula do contrato, a banda teve que continuar por mais alguns meses. Tal período foi aproveitado para a realização da Farewell Tour, circulando um país que nem devo citar.

"In Japan", gravado em 5 de fevereiro de 2002 em Tóquio, Japão e lançado meses depois, é o registro do último concerto do Mr. Big, até então. Considerando a situação do show (o último da história da banda), o repertório não foi tão bem escolhido, pois não foi muito abrangente e não contou com vários clássicos da carreira da banda. Mas as músicas escolhidas são excelentes e possui uma certa proporcionalidade entre músicas da fase Richie Kotzen com a fase Paul Gilbert.

Ao meu ver, Richie Kotzen é o grande destaque do show. O guitarrista provou que era digno da vaga de guitarrista do Mr. Big, com uma performance fantástica. Mas claro que são dignos de destaque os belíssimos vocais de Eric Martin, a bateria coesa e esbanjadora de técnica de Pat Torpey e o baixo inovador e rápido de Billy Sheehan. Nessa noite, a banda funcionou com uma energia fora do comum.

Um fato curioso é que Paul Gilbert esteve assistindo o show pelo backstage e iria tocar "Green-Tinted Sixties Mind", composto por ele mesmo. Todavia Gilbert recusou e disse que a noite era de Richie Kotzen.

Destaque para "Daddy, Brother, Lover, Little Boy" que foi executada sem as furadeiras, a belíssima "Superfantastic", ao instrumental virtuoso e ao dueto vocal de Martin e Kotzen de "Suffocation" e a animal "Blame It On My Youth" fechando com chave de ouro o concerto e a carreira do Mr. Big - por enquanto!

01. Intro
02. Lost In America
03. Daddy, Brother, Lover, Little Boy
04. Shine
05. Price You Gotta Pay
06. Superfantastic
07. Alive And Kickin'
08. Suffocation
09. Static
10. Dancin' With My Devils
11. To Be With You
12. Electrified
13. Addicted To That Rush
14. Blame It On My Youth


Postagem realizada por Silver e Alvaro Corpse.


8 comentários:

Anônimo disse...

Mr. Big [1989]
http://lix.in/-811a39

***

Raw Like Sushi [1990]
http://lix.in/-79791e

***

Lean Into It [1991]
http://lix.in/-7c867e

***

Raw Like Sushi II [1992]
http://lix.in/-7f93c0

***

Live [1992]
http://lix.in/-74e563

***

Bump Ahead [1993]
http://lix.in/-797946

***

Japandemonium: Raw Like Sushi 3 [1994]
http://lix.in/-7c8688

***

Hey Man [1996]
http://lix.in/-7f93ca

***

Big, Bigger, Biggest! The Best Of Mr. Big [1996]
http://lix.in/-74e56d

***

Channel V: At The Hard Rock Live [1996]
http://lix.in/-7afff1

***

Live At Budokan [1997]
http://lix.in/-811a75

***

Get Over It [2000]
http://lix.in/-7c869c

***

Deep Cuts [2000]
http://lix.in/-77f2cd

***

Actual Size [2001]
http://lix.in/-7e0d51

***

In Japan [2002]
http://lix.in/-7f9406

jR!-kun disse...

Seja com Paul Gilbert, seja com Richie Kotzen, Mr. Big é bom e ponto final.

Moisés disse...

CARALHO!!!
Não ouvi nem metade ainda, mas já não entendo como vivi até hoje sem conhecer quase nada de Mr. Big além do "Big, Bigger, Biggest! The Best Of Mr. Big"!

Paul e Billy dispensam comentários. Pat não é lá grande coisa, mas sempre dá conta do recado. Richie, como eu já conhecia da carreira solo, é um músico extraordinário. E o Eric, apesar de eu achar que está longe dos maiores cantores, tem uma voz única que é a cara da banda.

Enfim, uma banda excelente com uma discografia recomendadíssima a todos que curtem um bom rock!

Grande post (literalmente)!
Valeu!

Júlia disse...

Obrigada, obrigada, obrigada!

Carola disse...

Comecei a baixar Mr. Big aqui na combe, o primeiro álbum que ouvi deles foi o Big, Bigger, Biggest.. desde então (faz um tempo já haha) sou fã da banda e do blog =)

Aqui é primeiro lugar que venho quando to procurando música boa, vocês fazem um ótimo trabalho. Parabéns! \o/

Leandro disse...

Otima banda.
Otima Discografia
Otimo post

Rogerio disse...

Os links da maioria dos endereços não estão ativados.

Anônimo disse...

Ótimo post, obrigado
Tem como concertar os links? alguns dos ao vivos estão com link fragmentado, como comentou Rogério D: