Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Vinnie Vincent - Discografia [1977-2002]

Eis que a Combe do Iommi apresenta uma de suas postagens mais especiais.
Com vocês, a obra do guitarrista Vinnie Vincent!

(Não consideramos lançamentos aliados à serviços free-lancer ou participações especiais)

(Links nos comentários - links on the comments)

(Links nos comentários - links on the comments)
(Links nos comentários - links on the comments)

***


Treasure - "Treasure" [1977]

A carreira musical de Vinnie Vincent, ainda sob o nome de nascença, Vincent Cusano, se abre por esse disco, que possui uma pegada totalmente mais AOR, até se assemelhando ao Journey em alguns momentos (com menos arroz e feijão, lógico). O disco abre com duas músicas que foram regravada por Vinnie ao longo de sua carreira por outros vocalistas, "I Wanna Love You" e "Innocent Eyes". Faixas como "Think It's Love" e "Turn Yourself Around" são dignas de destaque também.
Apesar de ser um bom disco, infelizmente não demonstra toda a capacidade de Vincent como guitarrista e compositor, que só viria a ser revelada com o Kiss e com sua carreira-solo. Mas é recomendado para ouvir em um jantar com a namorada. (risos)

01. I Wanna Love You
02. Innocent Eyes
03. Love Me Tonight
04. Jubilation
05. When The Sun Shines
06. My Lady Once Told Me
07. Turn Yourself Around
08. Think It's Love
09. Treasure


Warrior - "Demos" [1982]

Gravadas em Los Angeles em 1982, as demos do Warrior nunca foram oficialmente lançadas. Nelas é possível reparar que Vinnie Vincent era um cara bem versátil na guitarra. Algumas canções dessas demos viriam a ser aproveitadas posteriormente, tais como "Boys Are Gonna Rock", "Back On The Streets", "Baby Oh Why" (que o Invasion gravaria como "Baby-O") e "I Need Love" que viria a se tornar "Shoot You Full Of Love" no primeiro disco do Invasion. "Gypsy In Her Eyes" anos mais tarde também seria regravada, com Jeff Scott Soto nos vocais e assim como essa demo, nunca seria oficialmente lançada. Outros destaques desse álbum são as instrumentais "Hot Nights" e "Betrayed" só por despertarem no ouvinte aquela curiosidade do tipo "como essa música teria ficado?". Enfim, essa coleção completa com as demos do Warrior é um presentão pra quem é fã do trabalho do guitarrista Vinnie Vincent.

01. Boys Are Gonna Rock
02. It's Not Pretty
03. Gypsy In Her Eyes
04. Baby Oh Why
05. I Need Love
06. Back On The Streets
07. I Need Love (Instrumental)
08. Baby Oh Why (Instrumental)
09. Hot Nights (Instrumental)
10. Betrayed (Instrumental)
11. Back On The Streets (Instrumental)


KISS - "Creatures Of The Night" [1982]

O ano era 1982. O Kiss? Estava apagadíssimo. Paul Stanley e Gene Simmons estavam mais maduros, mas Eric Carr estava com sede de Rock N' Roll, pois só havia tocado no "Music From The Elder" desde então. Ace Frehley, desanimadíssimo com a banda, acabou saindo por conta de muitos problemas que já vinham se acumulando desde alguns anos atrás e por conta do descontentamento em relação ao resultado geral de álbuns como "Dynasty", "Unmasked" e "Music From The Elder" (menos Rock n' Roll que os anteriores).
Finalmente após o fracasso comercial de "The Elder", "Creatures Of The Night" chegou às prateleiras. O 11° disco do Kiss mostra uma banda madura, que investia em complexidade sem deixar o peso de lado. Aqui, o Hard Rock da banda se tornou visceral e ainda arriscou alguns flertes com o Heavy Metal, gerando uma sonoridade única.
Não dá pra falar de "Creatures Of The Night" sem destacar a participação desse exímio guitarrista e magnífico compositor. Vincent dá o ar da graça na composição de "I Love It Loud", "Killer" e "I Still Love You" e tocando guitarra em "Saint And Sinner", "Keep Me Comin'", "Killer" e "War Machine". Ótimas letras, riffs magníficos e solos espetaculares resumem a participação de Vinnie por aqui.
Não só o polêmico The Ankh, mas o Kiss inteiro estava com uma nova "cara". Gene Simmons estava mais demoníaco do que nunca, tanto em sua aparência na turnê como em seus vocais, linhas de baixo e composições, voltando a falar do mal e de mulher (risos). Paul Stanley havia recuperado sua energia e estava mais potente do que nunca, aliando sua competência à sua experiência já adquirida. Eric Carr é o que mais merece destaque, pois mostrou técnica e peso peculiares na bateria do disco, demonstrando ser o baterista favorito da maioria dos fãs de Kiss,.
Outros guitarristas também tocaram no disco e fizeram contribuições fantásticas, como Bob Kulick em "Danger", Steve Ferris em "Creatures Of The Night" e Robben Ford em "Rock And Roll Hell" e "I Still Love You". Enfim, podemos fechar "Creatures Of The Night" como a obra-prima do Kiss. Infelizmente, o disco não fez sucesso no exterior e a turnê foi um fiasco (exceto pelos shows no Brasil), mas não deixa de ser um dos meus discos prediletos da banda e provavelmente de boa parte dos fãs brasileiros de Kiss, visto que a primeira passagem da banda foi na turnê em suporte à esse disco.

01. Creatures Of The Night
02. Saint And Sinner
03. Keep Me Comin'
04. Rock And Roll Hell
05. Danger
06. I Love It Loud
07. I Still Love You
08. Killer
09. War Machine


KISS - "Lick It Up" [1983]

"Lick It Up" é o 11° disco de estúdio da carreira do Kiss. Seu grande atrativo é marcar a primeira aparição dos integrantes sem as notáveis máscaras e fantasias - ou seja, in natura. O guitarrista Vinnie Vincent já havia se tornado integrante oficial do grupo, visto que tocou e compôs no anterior "Creatures Of The Night" e ainda fez a turnê do play.
O disco vendeu 500 mil cópias nos Estados Unidos apenas 2 meses após seu lançamento e hoje já passou da marca de 1 milhão de vendas só na terra do Tio Sam (disco de platina). Além disso, emplacou os hits "All Hell's Breakin' Loose" e a faixa-título - esta, até hoje nos repertórios da banda.
Não só eu mas muitos fãs concordam que a formação responsável por esse álbum é a mais poderosa e pesada do Kiss. Principalmente no palco, era fácil perceber que o Heavy Metal estava influenciando de vez o som - tal influência enfraquecida com o passar do tempo, dando espaço ao Hard Rock farofa. E, ao meu ver, o fator decisivo na sonoridade do disco é a presença de Vinnie Vincent na guitarra solo e na maioria da co-autoria das composições, sejam líricas ou melódicas. Pode-se notar uma evolução no contexto lírico, uma abordagem mais forte das rimas, bem como melodias mais poderosas, reforçadas pela bateria pauleira de Eric Carr, pela criatividade de Gene Simmons e Paul Stanley em seus instrumentos e, principalmente, pelo trabalho vocal feito por Simmons e Stanley (ambos estavam cantando pra cachorro). Isso pode ser notado desde as fortíssimas "Exciter", "Not For The Innocent" e "Young And Wasted" bem como nas festeiras "All Hell's Breakin' Loose" e "Lick It Up", e até na única balada do disco, "A Million To One", que até hoje permanece como uma das melhores power ballads já produzidas pelo Kiss.
Após o lançamento do disco, o Kiss embarcou em uma bem-sucedida turnê mas que, infelizmente, resultou no confronto de egos entre Vinnie Vincent e os chefões do Kiss - Paul Stanley e Gene Simmons - e, posteriormente, em sua nada amigável saída. Após isso, Vinnie Vincent formou o Vinnie Vincent Invasion e o Kiss contratou Mark St. John para ser o guitarrista do Kiss - posteriormente substituído pelo carismático Bruce Kulick até metade da década seguinte.

01. Exciter
02. Not For The Innocent
03. Lick It Up
04. Young And Wasted
05. Gimme More
06. All Hell's Breakin' Loose
07. A Million To One
08. Fits Like A Glove
09. Dance All Over Your Face
10. And On The 8th Day


Vinnie Vincent Invasion - "Vinnie Vincent Invasion" [1986]

Após ter sido um dos responsáveis pela obra-prima "Creatures of the Night" e, certamente, o integrante que fez a diferença em "Lick It Up" (ambos do Kiss), Vinnie Vincent sairia da banda de uma forma nada amigável. Com seu nome em alta, o guitarrista resolve montar seu próprio grupo, o Vinnie Vincent Invasion. Desse time faziam parte o baixista Dana Strum, o baterista Bobby Rock e o vocalista Robert Fleischman além, é claro, do próprio Vinnie Vincent.
No dia 24 de agosto de 1986, o quarteto lançou seu primeiro trabalho, auto-entitulado, pela Chrysalis. Exageros à parte, o disco de estréia do Invasion é fantástico. O Hard Rock mais farofa que o mundo já tinha visto até então com roupas e maquiagens tão gritantes que faziam o Poison parecer um Slipknot na época.
No álbum, Vinnie sobe aos céus a bordo de sua Jackson e mostra que tinha muito mais a oferecer do que bons riffs e solos: suas letras são excelentes também - canções como "Animal", "Twisted" e "I Wanna Be Your Victim" (que foram escritas originalmente para Kiss) são bons exemplos disso, no entanto, os pontos máximos do álbum estão em seu começo, em seu meio e em seu fim: "Boyz Are Gonna Rock", "Back On The Streets" e "Invasion".
A primeira, carro-chefe do disco, já havia sido gravada pelo Warrior e se transformou em música de trabalho e videoclipe, sem contar que se tornou um hino da geração glamurosa da segunda metade dos anos 80. A segunda dispensa apresentações pois existe desde o início da década de 80, tendo sido gravada em diversas ocasiões por diversas bandas, inclusive por Ace Frehley. A terceira, minha favorita do disco, é difícil de descrever... Só sei que por mais que Mark Slaughter tenha sido uma boa escolha, seria um equívoco convocá-lo pra cantar essa canção especificamente. Robert Fleischman é imbatível. No fim das contas, o primeiro disco do Invasion torna-se um artigo essencial na coleção de qualquer roqueiro oitentista que se preze.

01. Boyz Are Gonna Rock
02. Shoot U Full of Love
03. No Substitute
04. Animal
05. Twisted
06. Do You Wanna Make Love
07. Back On The Streets
08. I Wanna Be Your Victim
09. Baby-O
10. Invasion


Vinnie Vincent Invasion - "Göran Edman Audition Tape" [1986]

"The Göran Edman Audition Tape" mostra a genialidade do virtuoso guitarrista Vinnie Vincent aliada à uma das mais potentes e características vozes dos anos 80: a voz de Göran Edman, que já cantou para outros guitarristas como John Norum e Yngwie Malmsteen (sendo que Norum o conheceu através dessa tape). Infelizmente, Göran não foi escolhido para ser o frontman do Invasion simplesmente porque a gravadora, Chrysalis, queria um cantor americano. Como o vocalista era sueco, a possibilidade foi descartada.
Por conta de um simples equívoco da gravadora que dois dos mais competentes músicos da cena Hard Rock oitentista não uniram forças. Mas tem-se aqui uma breve amostra do que poderiam ter feito. Recomendado!

01. Back On The Streets
02. Boyz Are Gonna Rock
03. No Substitute
04. Do You Wanna Make Love
05. Baby-O
06. I Wanna Be Your Victim
07. Shoot You Full Of Love
08. Animal


Vinnie Vincent Invasion - All Systems Unmixed [1987]

Como o próprio nome já diz, "All Systems Unmixed" contém as demos e faixas não-mixadas do segundo disco do Vinnie Vincent Invasion, "All Systems Go". A qualidade do áudio está incrivelmente boa mas, por se tratarem de demos e faixas não-mixadas, a ausência dos solos de guitarra do mestre Vinnie Vincent é perceptível. Mark Slaughter, como sempre, não decepciona e se sai maravilhosamente bem, principalmente em "Shoot You Full Of Love", do primeiro disco do Invasion. E reparem que as canções foram gravadas meio-tom acima nesse CD.

01. Ashes To Ashes
02. That Time Of Year
03. Dirty Rhythm
04. Deeper And Deeper
05. Burn
06. Ecstasy
07. Let Freedom Rock
08. Naughty Naughty
09. Shoot You Full Of Love
10. Breakout
11. Love Kills
12. Heavy Pettin'


Vinnie Vincent Invasion - "All Systems Go Demos" [1988]

Essas demos, já meio-tom abaixo, dariam origem ao álbum "All Systems Go". O destaque desse CD vai para a versão extendida de "Ashes to Ashes", uma raridade e tanto!

01. Ashes To Ashes (Extended Guitar Solo)
02. Ashes To Ashes
03. That Time Of Year
04. Dirty Rhythm
05. Deeper And Deeper
06. Burn
07. Ecstasy
08. Let Freedom Rock
09. Naughty Naughty


Vinnie Vincent Invasion - "All Systems Go" [1988]

Após o sucesso atingido por seu disco de estreia, o Invasion estava pronto para preparar um novo álbum. "All Systems Go" saiu em 1988 e a banda agora contava com os vocais de Mark Slaughter.
Com uma produção infinitamente superior à do primeiro disco (leia-se "uma bateria gravada decentemente e uma equalização que favorecesse todos os intrumentos"), em "All Systems Go", a banda apostou pesado nas baladas e canções como "Love Kills" (que fez parte da trilha sonora do filme "A Hora do Pesadelo 4"), "That Time Of Year" (segunda música de trabalho do álbum), "Ecstasy" e "Deeper And Deeper" fazem toda a diferença. A parte dita pesada é vigorosamente representada por "Ashes to Ashes", "Burn" e "Let Freedom Rock" (cuja introdução é o hino nacional dos EUA). A versão remasterizada de "All Systems Go" inclui também duas faixas-bônus: "The Meltdown" (um solo de bateria carregado de efeitos onde Bobby Rock mostra do que é capaz) e "Ya Know - I'm Pretty Shot" (onde Vinnie Vincent destila toda sua técnica ao violão).
Infelizmente, após a turnê do disco, o guitarrista foi chutado da banda pela gravadora devido ao seu comportamento egocêntrico e nada ético. Com um contrato em mãos, Mark Slaughter e o baixista Dana Strum montariam o Slaughter enquanto Bobby Rock assumiu as baquetas no Nitro e, posteriormente, no Nelson. De uma forma nada saudável seria colocado um ponto final na trajetória de uma das mais geniais bandas de Hard Rock da história, contudo, Vinnie Vincent ainda tinha muito a nos oferecer...

01. Ashes To Ashes
02. Dirty Rhythm
03. Love Kills
04. Naughty, Naughty
05. Burn
06. Let Freedom Rock
07. That Time Of Year
08. Heavy Pettin'
09. Ecstasy
10. Deeper And Deeper
11. Breakout
12. The Meltdown [Bonus Track]
13. Ya Know - I'm Pretty Shot [Bonus Track]


Vinnie Vincent - Guitars From Hell [1991]

Quem pensou que com o fim do Invasion seria colocado um ponto final na carreira de Vinnie Vincent estava bem enganado! O guitarrista não parou de compor e gravar, isso tudo ao lado de grandes vocalistas, entre eles, Jeff Scott Soto e Göran Edman - que havia feito um teste para o Invasion alguns anos antes mas havia sido recusado pela gravadora por não ser norte-americano. Por razões desconhecidas, Jeff Scott Soto não topou fazer parte da nova encarnação do Invasion e cansado de esperar, Göran Edman trocou seu posto junto a Vinnie Vincent por um mesmo posto na banda de Yngwie Malmsteen.
Apesar de sua sonoridade mais neo-clássica, "Guitars From Hell" não foge ao Hard Rock dos lançamentos anteriores do guitarrista. A incorporação de um som mais metálico veio bem a calhar pois se entrosou melhor com a voz de Robert Fleischman. Quanto às guitarras e contrabaixos, ambos ficaram por conta de Vinnie Vincent, tanto na composição quanto na gravação das canções. A bateria ficou sob a responsabilidade do músico de estúdio Andre LaBelle.
No que tange à produção, "Guitars From Hell" fica devendo visto que a gravadora pela qual o disco ia sair (Enigma Records) faliu antes mesmo de lançá-lo. Enquanto que a mixagem dita "final" do álbum é precária, a qualidade de suas demos é boa, quase cristalina. As demos de "Guitars From Hell" ainda incluem 3 canções gravadas com o vocalista Göran Edman em 1989. Anos mais tarde, Vinnie Vincent lançaria o EP "Euphoria", que contém versões finais de 4 canções que fariam parte de "Guitars From Hell". Na mesma época, o guitarrista anunciou o lançamento de um novo álbum, "Guitarmageddon", mas, assim como "Guitars From Hell", esse nunca viu a luz do dia.

Demos:
01. Over You (w/ Göran Edman)
02. Young Blood, Young Fire (w/ Göran Edman)
03. My Love Goes With You (w/ Göran Edman)
04. Genesis (instrumental)
05. Wild Child
06. Rocks On Fire #1
07. Rocks On Fire #2
08. Euphoria
09. Get The Led Out
10. Nuke It
11. Shocker
12. Invincible
13. Full Shredd
14. Truth

Álbum:
01. Rocks On Fire
02. Nuke It
03. Shocker
04. Invincible
05. Truth
06. Full Shredd
07. Wild Child
08. Young Blood, Young Fire


Vinnie Vincent - "Euphoria" ou "The E.P." [1996]

"Euphoria" foi lançado em 1996 pelo selo de Vinnie Vincent, a Metaluna Records, em uma edição limitada. O EP seria um tira-gosto do disco "Guitarmageddon", que nunca foi lançado - uma pena, pois as quatro canções que fazem parte de "Euphoria" são no mínimo impressionantes. A faixa-título abre o trabalho com um solo típico do guitarrista: zilhões de notas por segundo em uma das palhetadas mais furiosas que o Rock já viu. Em seguida, "Get The Led Out" e seu início tenebroso, "Wild Child" e seu refrão-chiclete e "Full Shredd" cujo nome a define bem. Os vocais de Robert Fleischman ainda dão aquela sensação de estar ouvindo alguma faixa perdida do primeiro disco do Invasion, ou seja, fãs desse álbum irão se deliciar com "Euphoria".

01. Euphoria
02. Get The Led Out
03. Wild Child
04. Full Shredd


Vinnie Vincent - "Archives, Volume 1: Speedball Jamm" [2002]

Após um sumiço que durou 6 anos, Vinnie Vincent "voltou" com um lançamento novo. Entre aspas porque não foi um lançamento do Vinnie Vincent, e sim relacionado à ele, visto que foi lançado pela GTR Company porém não envolveu Vinnie Vincent. "Speedball Jamm" mostra com clareza todo o virtuosismo do guitarrista, com uma demonstração efetiva de técnica e habilidade nas 6 cordas.
O disco já é aberto com muita fritação, apenas com a guitarra de Vinnie Vincent. Logo após, entra a bateria e o baixo, que sairiam para mais guitarra-solo. Depois disso, 5 sessões de jam são colocadas para aprecio do ouvinte, visto que as jams são bem-compostas por todos os instrumentos. Por fim, um solo apenas com a guitarra e o jam, gravado ao vivo na cidade de Oakland, Califórnia, no dia de 18 de Agosto de 1988.
O único fator que peca em "Speedball Jamm" é o fato da produção não ter sido bem-feita. Mas, por não ter sido um lançamento do próprio Vincent, existem motivos para que a produção não tenha sido melhorada. Para apreciadores da música, não seria uma boa fazer o download desse disco, visto que são 71 minutos de puro virtuosismo na guitarra e instrumental rebuscado. Todavia, para os fãs da técnica de Vinnie Vincent, de música instrumental e principalmente de guitarra veloz, "Speedball Jamm" é uma excelente opção para seus ouvidos.

01. Speedball Jamm

***

Upload dos discos, imagens e textos por [мєαиѕтяєєт] e Silver.

13 comentários:

Anônimo disse...

Treasure - Treasure [1977]

http://lix.in/-7b6df2

_____

Warrior - Demos [1982]

http://lix.in/-818876

_____

Kiss - Creatures of the Night [1982]

http://lix.in/-784bf1

_____

Kiss - Lick it Up [1983]

http://lix.in/-7cf4c5

_____

Vinnie Vincent Invasion - Vinnie Vincent Invasion [1986]

http://lix.in/-800207

_____

Vinnie Vincent Invasion - Göran Edman Audition Tape [1986]

http://lix.in/-76c26d

_____

All Systems Unmixed [1987]

http://lix.in/-73cd1d

_____

All Systems Go Demos [1988]

http://lix.in/-7ff34d

_____

All Systems Go [1988]

http://lix.in/-7553dc

_____

Guitars From Hell [1991]

Demos: http://lix.in/-7b6e6a

Album: http://lix.in/-7cf50b

_____

Euphoria EP [1996]

http://lix.in/-7553f0

_____

Archives, Volume 1: Speedball Jamm [2002]

http://lix.in/-786132

fabio disse...

Vincent é realmente um grande instrumentista e compositor, recomendo toda sua discografia...

Hairbanger disse...

muito bom o post!

Prof. Mario Ferrari disse...

Antes eu não postava reconhecendo o trabalho de vcs por pura preguiça, mas vcs merecem.....obrigado!

Hiago disse...

O link de treasure não está funcioando...

Excelente postagens sobre o Vinnie!!!

Silver disse...

Sério, não tem lógica reclamar de link que funciona. O que esse povo que reclama de link ativo tem na cabeça, merda?! Ou dislexia por não conseguir selecionar um mero link?

Frank disse...

Al Systems Go é muito bom.
O ponto fraco(único que eu vi) é que o VV acha legal demais tocar 1500 notas por segundo. Isso me enche o saco.

O máximo que eu aturo é o Malmsteen. Mas acho que na hora de fritar o Sueco tem mais criatividade e qualidade que o VV. Porém adoro o Vinnie.

Leandro disse...

Grande Vincent
muito bom^^
baixando

Thalles xxx Hard disse...

Amo o cd do Treasure, mo bom, valeu galera muito obrigado

kissfan98 disse...

Guitars From Hell [1991]

Demos: http://lix.in/-7b6e6a

no existe link para esta musica....ayudame!!!
mi email es kissfan98@gmail.com...
muito obregado!!!!
Nelly

Anônimo disse...

Vinnie Vincent é semi Deus. Ace é Deus.

p-sheep disse...

Cara parabéns pelo site, adorei os posts do VV sou muito fã dele e realmente é dificil achar algo dele na net, mas o link do Guitars From Hell Demos não tá funfando cara, poderia ver isso aí?
Abraço.

Anônimo disse...

todos os links do mediafire estão quebrados