Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Yngwie Malmsteen - Trial By Fire: Live In Leningrad [1989]


Em 1987, a carreira de Yngwie Malmsteen ia muito bem. O sueco dominava o mundo com sua habilidade nas seis cordas e seu certo pioneirismo no metal neo-clássico. Mas infelizmente, pouco após a confirmação da entrada de Joe Lynn Turner no grupo, no dia 22 de maio, Malmsteen bateu seu Jaguar E-Type em uma árvore. Passou uma semana em coma e chegou a perder o movimento das mãos por algum tempo, mas logo recuperou. Infelizmente, durante o processo de recuperação, sua mãe faleceu, vítima de um câncer.

No entanto, o guitarrista foi forte e conseguiu dar a volta por cima. "Odyssey" foi lançado no ano seguinte, já com Lynn Turner nos vocais, e se tornou o maior sucesso comercial de sua carreira. A turnê mundial chegou a passar pela Rússia, ainda União Soviética mas prestes a cair, e foi por lá mesmo que Yngwie decidiu gravar seu primeiro ao vivo.

"Trial By Fire" foi gravado na cidade de Leningrado e é um registro impecável de uma das melhores fases da carreira de Malmsteen, na minha opinião. Apesar da sonoridade estar mais acessível e puxada para o Hard Rock/AOR que dominava as paradas naqueles tempos (várias músicas do "Odyssey" constam no repertório), é fato que o resultado final é cativante, demonstrando Heavy Metal coeso, bem composto e bem tocado.

Como o resultado no disco anterior havia saído um pouco pasteurizado, nessa performance toda a crueza foi depositada em uma invejável performance. Vale ressaltar que não se deve esperar nada excessivamente visceral, pois "Trial By Fire" sofreu inúmeros overdubs em sua produção - principalmente por parte da voz de Joe. Todavia não é nada que tire o brilho desse registro.

Imagem dedicada ao fã póstumo n° 1 da KNAC: Hairbanger

A entrada de Joe Lynn Turner, um dos mais competentes vocalistas do gênero, fez toda a diferença. Joe deu sangue novo à banda tanto em estúdio, compondo a maioria das letras junto do guitarrista, quanto nos palcos, chamando a atenção por ser dono de uma excelente voz e por ser um bom frontman. Já Yngwie Malmsteen dispensa quaisquer comentários: não é a toa que permanece como um dos instrumentistas mais cultuados do rock e do metal, com técnica incrível, excentricidade de sobra e uma baita personalidade em suas músicas.

A banda, composta pelos irmãos Anders e Jens Johansson como baterista e tecladista, respectivamente, e o baixista Barry Dunaway, dominam o poderoso e de vez em quando complicado instrumental das canções com maestria. Vale ainda ressaltar que Jens fez fama no Stratovarius algum tempo depois, sendo reconhecido como um dos melhores tecladistas do metal.

Os destaques da noite vão para as belíssimas "Dreaming (Tell Me)" e "You Don't Remember, I'll Never Forget" (esta excelente na voz de Joe), as pedradas "Liar" e "Spanish Castle Magic" (esta um cover de Jimi Hendrix) e a radiofônica "Heaven Tonight". E ainda vale mencionar os instrumentais um pouco exagerados porém fascinantes encontrados ao longo da bolacha.

Pedir para que confiram é pouco: viciem!

01. Liar
02. Queen In Love
03. Déjà Vu
04. Far Beyond The Sun
05. Heaven Tonight
06. Dreaming (Tell Me)
07. You Don't Remember, I'll Never Forget
08. Guitar Solo (Trilogy Suite Op. 5)
09. Crystal Ball
10. Black Star
11. Spanish Castle Magic

Joe Lynn Turner - vocal
Yngwie Malmsteen - guitarra, violão, backing vocals
Barry Dunaway - baixo
Jens Johansson - teclados
Anders Johansson - bateria

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

8 comentários:

Anônimo disse...

Trial By Fire: Live In Leningrad [1989]
(60,4mb ~ 128kbps)

http://www.multiupload.com/RENXO7W9P4

JORJAOFONSECA disse...

Show muito bom, assisti num antigo formato disco laser, lembram? não vingou, era do tamanho de um vinil, num aparelho enorme.
Up!!!

ZORREIRO disse...

Silver
Tua resenha tá simplemente demais.
Difícil um leitor concordar 100% com comentários de um escritor, mas eu concordo.
Desde a pasteurização do disco de estúdio com Joe (mas sempre devemos contextualizar o album em sua época) até a porrada ao vivo (o que realmente o artista queria produzir).
Bons tempos em que Malmsteen ainda trazia boas surpresas a cada disco (apesar de que considero Perpetual Flame uma das melhores gravações dele).
Acompanho o redator.

Frank disse...

eu tinha baixado esse show e nem dei valor... agora que quero nao tenho mais. vou correr atras..
muito bom o show.
belo post, silver, e bela resenha.

Silver disse...

Jorjaofonseca, não é a toa que caiu em desuso, né? (risos)

Zorreiro, valeu mesmo! :)
O Meanstreet até havia discordado em questão da crueza devido aos overdubs, mas meus ouvidos não mentem: o ao vivo é pedrada!
E eu não curti muito o Perpetual Flame, mas deve ser por conta do Tim Ripper.

E que desperdício hein Frank? Vou procurar o DVD pra baixar também, afinal esse merece um espaço na coleção e pra achar original não é nada fácil.

Valeu!

jantchc disse...

ótimo CD

o yngwie é foda, junto com o JLT então, o cara arregaça..

muito bom mesmo..

Hairbanger disse...

grande KNAC... se pah yngwie deve ter tocado nessa knac tb, n tenho aqui mas se existir vo correr atras...

Siri disse...

uma vez ouvi um The Best do Malmsteen ... gostei bastante ... agora kero esse ... vlw =D