Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Bad 4 Good - Refugee [1992]


Após alguns dias sumido devido a uma conjuntivite (existe alguma doença mais chata que esta?), eis que volto com mais uma grande pérola do final da era dourada do hard rock oitentista. E desta vez com uma banda juvenil apadrinhada por Steve Vai, em que todos os seus integrantes não passavam dos 16 anos, mas que não foi desculpa para deixarem de praticar um hard empolgante até o osso e dando um banho em muitas bandas de marmanjos surgidas naquele tempo.

E tudo começa da excelente relação existente entre Vai e o prodígio guitarrista britânico Thomas McRocklin, que inclusive já havia participado aos 11 anos do clipe “The audience is listening”, fazendo o papel do Vai quando criança. Sabendo do talentoso guitarrista que tinha em mãos, Vai auxilia na escolha de integrantes, recrutando o vocalista e ator mirim Danny Cooksey (que havia feito o papel de um dos amigos de John Connor em Exterminador do futuro 2), o baixista Zack Young, que já era graduado aos 14 anos e o baterista Brooks Wackerman, que era outro prodígio e ganharia nome posteriormente ao integrar o Suicidal Tendencies, e hoje faz parte do Bad Religion.



Com este timaço em mãos, eis que Vai produz o único disco da banda e que apesar da baixa vendagem na época, é uma pérola do ar rock e se trata de mais uma banda que tivesse lançado o disco uns anos antes teria chamado muito mais atenção. Nos é apresentado um som polido e bem trabalhado, mas que não perde a agressividade e ainda nos dá um dose de funk em alguns momentos, principalmente por influência de McRocklin, que em alguns momentos nos faz lembrar Vernom Reid em suas melodias e riffs.

O cover de “Nineteen” da lenda Phil Lynnot abre os trabalhos da melhor maneira possível e mostra o poder de fogo dos rapazes, acrescentando mais peso a versão aqui apresentada por eles, o que torna a música ainda mais empolgante. “Curious Intentions” continua com o peso apresentado anteriormente e já mostra uma dosagem de funk em sua melodia, que seria ainda mais carregada na excelente “Mother Of Love”, em um belo trabalho vocal de Cooksey e coros excelentes do restante do grupo. “Bangin’ Time Again” é uma paulada de respeito, em que toda a banda desce o braço sem dó alguma e atesta de vez a qualidade apresentada até aqui. “Devil In the Angel” diminui um pouco o peso em uma semi-balada muito legal e cativante.





“Rockin My Body” trata de aumentar a velocidade novamente e dá noção da energia que estes moleques tinham juntos, algo de cair o queixo. Na instrumental “Tyre Kickin' (Ya Makin' Me Nervous)” podemos perceber a influência de Vai na produção, em uma música que poderia estar em qualquer disco dele. E a banda dá um show aqui, onde McRocklin manda solos e riffs marcantes, Wackerman espanca a bateria com autoridade de gente grande e Young apresenta linhas precisas e rápidas, que demonstram que talento não tem idade. “Terminate” se trata de mais um hard pesado e barulhento, daqueles que pedem para meter o pé no acelerador.

A belíssima “Nothin’ Great About a Heartache” é um dos grandes momentos do disco, uma verdadeira aula de como se fazer uma balada marcante sem soar piegas. E se trata da grande interpretação de Cooksey em todo álbum, em que ele imprime emoção na interpretação da canção e nos faz lamentar o fato de a banda não ter lançado mais nenhum disco. “We’re Gonna Fight" volta ao hard empolgante e enérgico de outrora. “I Want Everything” mantém o ótimo nível apresentado desde o início do registro e “Felony” fecha este disco com mais uma boa dose de funk. Um grande disco de mais uma banda que merece a sua atenção.






01.Nineteen
02.Curious Intentions
03. Bangin' Time Again
04. Mother Of Love
05. Devil In The Angel
06. Rockin' My Body
07. Slow And Beautiful
08. Tyre Kickin' (Ya Makin' Me Nervous)
09. Terminate
10. Nothin' Great About A Heartache
11. We're Gonna Fight
12. I Want Everything
13. Felony

Danny Cooksey - Vocais
Thomas McRocklin - Guitarras
Zack Young - Baixo
Brooks Wackerman - Bateria

LINK NOS COMENTÁRIOS
LINK ON THE COMMENTS


By Weschap Coverdale

Ps: Jay, desculpa o roubo de sua idéia de colocar vídeos em posts, mas achei isso legal para apresentar bandas desconhecidas! ;-)

6 comentários:

Anônimo disse...

http://www.multiupload.com/NWG4MOFV6O

Jay disse...

Imagina, meu caro. Uma honra!

Anônimo disse...

Ótima banda!

RÖMEU 69 disse...

PQP!! Não é q esses dias ai mesmo eu estava atras desse disco..hahahahaha Não sei pq mas me veio a cabeça a banda e resolvi procurar e ñ achei mta coisa boa e/ou de qualidade... sempre dando pau na hora de baixar.. E agora, eis q a Combe me surpreende mais uma vez!! Show de bola! Vlw pelo post!!! C-YA!!!

Rafael disse...

conferindoo!

Anônimo disse...

Excelente trabalho da banda e do produtor, o mr. Vai.
Cheguei a desconfiar que algumas partes de guitarra teriam sido executadas pelo Vai, tamanha semelhança com o timbre e técnica, comparável ao 'Passion & Warfare'.

Foi um período de muita efervescência no meio hard, e que de uma hora para outra, foi demolido pelo modismo da camisa xadrez. Tudo bem que os caras exageravam no visual (Hair Metal e afins), mas não precisava encerrar a carreira de várias bandas legais de Hard Rock.