Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

domingo, 26 de setembro de 2010

Combest Of: Vol. II - Joe Lynn Turner [2010]


Dando continuidade ao "Combest Of", aqui está a segunda edição da seção. O homenageado é ninguém menos que Joe Lynn Turner.

Joseph Arthur Mark Linquito, conhecido mundialmente pela alcunha anteriormente citada, é italo-americano e nasceu em Nova Jérsei. Hoje, já quase sessentão, tem muita história pra contar. Sua trajetória musical como profissional teve início no Fandango, banda que misturava Rock, Pop, Country e um pouco de R&B. Apresentava sonoridade interessante para as cabeças mais abertas, mas definitivamente não era pra JLT. O grupo, que chegou a viajar com o The Allman Brothers e os Beach Boys, se desmanchou após alguns anos, alegando que o roubo de seus equipamentos os desanimaram permanentemente.

Logo após estar desempregado, Turner foi convidado para o Rainbow após impressionar a lenda-viva Ritchie Blackmore. Sua entrada marcou a fase mais comercial do quinteto, com a inserção de composições mais voltadas para o Hard/AOR em ascenção nas rádios naqueles anos. Após a gravação de três ótimos discos, o fim do arco-íris se deu quando o Deep Purple negociou sua primeira reunião.

Joe Lynn Turner com o Rainbow

Joe investiu em seu primeiro disco solo, que saiu em 1985 e era muitíssimo puxado para o AOR. Intitulado "Rescue You", pode-se dizer que foi bem recebido, ainda emplacando o clipe de "Endlessly" na MTV. Participações ali e acolá e mais uma proposta tentadora: um convite para tocar com Yngwie Malmsteen e sua banda, a Rising Force. O disco "Odyssey" é o de maior sucesso da carreira do sueco voador, também por conta de seu direcionamento mais comercial. A união, porém, durou apenas um disco e uma turnê, que gerou lançamento ao vivo: "Trial By Fire", gravado na cidade russa de Leningrado.

Com a Yngwie Malmsteen's Rising Force

O vocalista deu no pé da Rising Force para atender uma proposta ainda maior e, há de se convir, irrecusável. A reunião do Deep Purple havia terminado por conta de constantes brigas que culminaram, novamente, na saída de Ian Gillan. JLT cruzou seu caminho novamente com Blackmore ao receber sua chance de ouro, agora no Purple, e gravou o ótimo "Slaves And Masters". Mais uma vez, sua presença marcou um certo desvio para a ala mais comercial da música, só que não houve boa recepção dos fãs. Ironicamente, a turnê foi um sucesso e cruzou toda a Europa (tanto Ocidental quanto Oriental) com estádios lotados.

Liderando o Deep Purple

Infelizmente a sua demissão já era prevista para, mais uma vez, a volta de Ian. Desde então, Joe se tornou um homem do mundo: já trabalhou com inúmeros artistas, participou de vários tributos e lançou diversos álbuns solo. Os projetos de mais destaque são o Hughes/Turner Project, ao lado do também ex-Purple Glenn Hughes; o Sunstorm, projeto de estúdio com Dennis Ward e Uwe Rietenauer (ambos Pink Cream 69); e o Over The Rainbow, um revival do Rainbow com ex-integrantes do grupo, com exceção de Ritchie, substituído nas guitarras por seu próprio filho, J.R. Blackmore.

Com Glenn Hughes no projeto Hughes/Turner Project

O principal erro (se é que pode ser considerado um erro) de Joe pode ter sido topar entrar para bandas grandes que não o aceitaram bem. Ser "pau pra toda obra" e substituir, principalmente no caso do Deep Purple, gente que não dá pra substituir tão facilmente. Talvez se tivesse feito como David Coverdale, ao montar sua própria banda (Whitesnake), seria mais aclamado e reconhecido nos dias de hoje dentro do mundo roqueiro.

Apesar disso, há de se considerar que estamos falando de um vocalista de sucesso. Incansável e respeitado, JLT tem um currículo invejável e apresenta ótima forma em suas performances ao vivo até hoje. Sua voz é melódica, cativante e muito bem controlada, e como se não bastasse, o cara apresenta boas habilidades de composição e é um frontman de presença. Além disso, muitos fãs já ressaltaram sua simpatia e humildade com os fãs - algo que deveria ser regra entre as estrelas da música e de qualquer ofício.

Pra finalizar, há de se lembrar que, em inúmeras declarações, Ritchie Blackmore (leia-se o cara mais chato e ao mesmo tempo um dos mais talentosos do Rock) não economizou elogios ao homem, chegando a dizer que é seu vocalista predileto dos quais já trabalhou. Se no gosto de Blackmore sua voz conseguiu desbancar a de feras como Gillan e Coverdale, realmente deve-se dar uma atenção especial ao seu trabalho. Novamente espero que os leitores se divirtam com a proposta do Combest Of, que está sempre aberta à sugestões. Comente!

01. Headliner (Fandango)
02. Death Alley Driver (Rainbow)
03. Street Of Dreams (Rainbow)
04. On The Run (Solo)
05. Rising Force (Yngwie Malmsteen's Rising Force)
06. Heaven Tonight (Yngwie Malmsteen's Rising Force - Live)
07. Fire In The Basement (Deep Purple)
08. Truth Hurts (Deep Purple)
09. Promise Of Love (Solo)
10. You Can't Stop Rock N' Roll (Hughes/Turner Project)
11. The Spirit Inside (Sunstorm)
12. Rockin' Around The Xmas Tree (We Wish You A Metal Xmas)
13. Daddy, Brother, Lover, Little Boy (Mr. Big cover)
14. 2 Minutes To Midnight (Iron Maiden cover - with Richie Kotzen, Bob Kulick, Tony Franklin & Chris Slade)
15. Highway To Hell (AC/DC cover)
16. Burn (Deep Purple cover - Live)

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

19 comentários:

Anônimo disse...

Combest Of: Vol. II - Joe Lynn Turner [2010]

http://www.multiupload.com/6SO9BZABBX

Arucard disse...

Bela seleção! É bom ver uma homenagem à esse excelente músico, visto que muita gente tem preconceito com relação ao trabalho dele, se esquecendo de que o cara foi macho o bastante pra encarar a tarefa de substituir monstros como Dio ou Ian Gillan...

Só acho que nesse Combest faltou pelo menos uam faixa do disco que ele gravou com o Akira Kajiyama, "Fire Without Flame"...

мєαиѕтяєєт disse...

Um dos caras mais legais do rock com quem já tive contato. Me deu esporro pq eu furei a fila na sessão de autógrafos, hehe

- YOU'RE SUCH A BAD, BAD BOY!
- BUT YOU ROCK, JOE!

[risos]

Ótima seleção!

Silver disse...

Arucard, muito bom que tenha apreciado, cara! Vejo que também aprecia JLT, apesar dos "pesares". Minha vontade era fazer uma coletânea dupla porque esse sim tem muita, mas muita coisa gravada mesmo.

Deixei de fora vários discos solo, o projeto que você citou (muito bom por sinal), o Mother's Army (projeto fantástico com Carmine Appice e Bob Daisley), as faixas que participou no disco do Howard Leese (braço direito do Heart em inúmeros momentos) e, pra não me extender, alguns covers muito interessantes que ele já fez, que podem ser encontrados nos 2 volumes de "Under Cover".

Mas é a vida. O "Combest Of" tem uma proposta bem introdutória, por isso não me extendo em vários projetos e apresento apenas alguns dos mais conhecidos e de melhor qualidade - mesmo que, no caso do JLT, a grande maioria é de qualidade. Vão aparecer caras por aí com muito mais trabalho, então a dor no coração vai ser muito maior hehehe.

E o Celão confirma a simpatia alegada no texto. Até nesse jeito malandro de "carioca apaixonado pelo Rio"... IAUSEHIAUSEH

Até!

Jay disse...

Dá-lhe Zé Linquito!!!

Carlos Sugawara disse...

Maravilha! valeu gente!

abraço...

jantchc disse...

ótima resenha da carreira do JLT..

concordo com o arucard, e ainda acho q deveria haver uma faixa do Brazen Abott, mas entendo q se fossem colocar uma faixa de cada projeto do gente fina teria que ser um disco triplo..

qto ao comentário d q alguns artistas tem mais projetos do q o JLT, acho q os unicos q empatam com ele são o JSS e o Glenn Hughes, ganhar deste três é dureza, hein?

Silver disse...

jantchc, não se esqueça do também incansável Richie Kotzen. Esse daí não sabe o que é férias desde que surgiu hahah.

Arucard disse...

Grande Silver, pois é, JLT tem trabalhos que não acabam mais, hahahaha!

E independente de não dar pra representar todos eles na coletânea, ainda assim gostei mto dessa idéia de vocês com esses "Combest"... Introduzir o trabalho de alguns monstros do Rock pro pessoal que não conhece...

Rock on!

Anônimo disse...

Caraca, muito bom! Ótimo download!

Joe disse...

YEAH!!!!!!!!!!!!!

JLT RULES!!!!

Eu ja disse antes aqui na Combe: muita gente reclama do vocal do JLT, mas a gente nao ve o cara desempregado! E ele so recebe elogios dos grandes musicos com quem trabalhou...

Otima selecao do post! Claro que faltou muita coisa, mas abrangeu praticamente toda a carreita do Mestre JLT.

JOE

Isaac disse...

A sugestão para o próximo Combest of já está no post: Glenn Hughes, uma das grandes vozes do rock!
Valeu, Combe!

Gustavo disse...

Eu adoro a carreira solo dele, do álbum JLT de 2003 pra cá. Vou conferir essa coletânea, valeu!

Anônimo disse...

Joe é o cara!!! Parabéns pela coletânea!!!

GrassHoper disse...

Caras, eu não sei como não sugeri um Combest para o JLT!! Achei que sairia automático assim como eu fiz para o JSS. Mas vcs não dormem no ponto e já trouxeram esse petardo do gogó de ouro!! Ótimo, mesmo!

Só acho que deveria haver mais de uma faixa representando o Sunstorm (meu projeto favorito de dele, junto com o HTP), principalmente do segundo álbum, o House of Dreams (trabalho maravilhoso do ano atrasado)- como 'Divided' o 'Don't Give Up', mas vá lá, a coletânea está maravilhosa do mesmo jeito!

Quanto às sugestões para volumes futuros, a galera já se pronunciou: Glenn Hughes, Richie Kotzen, JSS prá ontem! rsrs Brinks!
Ah, será que essas sugestões valem também para músicos não-vocalistas, ou que são somente instrumentistas (vide o Kotzen, que é as duas coisas)??
Porque, se forem, existem vários trabalhadores musicais dignos de lembrança e que possuem todo um estilo próprio, na área de guitarras, baixo e batera - Billy Sheehan, Mike Terrana, Jeff Beck, Carmine Appice, Cozy Powell, Page (não só de Zeppelin vive o homem!) e n outros que poderemos lembrar no futuro. Fica aí a dica. Enquanto isso, outro postaço!

Abraços!

ZORREIRO disse...

Não caiu no óbvio: King of Dreams do Purple ficou de fora. E isso é bom.
Biografia excelente.
Faltou só dizer que no video de 82 do Rainbow, na turnê do Straight Between the Eyes, ele tava todo depilado, inclusive o sovaco.
E o Blackmore megabronzeado, com o cabelão armado, parece o Hendrix.
Hilário, como tudo nos anos 80.
Super post.

Dragztripztar disse...

Mandou bem, Silver! Realmente sempre vai sobrar alguma coisa, sendo assim fica a dica pro pessoal conhecer seus discos solo que certamente vai surpreender muita gente.

Pra quem gosta de Hard 80's meio festivo, com teclados altos, vocais fortes e refrãos marcantes, o debut dele talvez se torne um clássico.

jantchc disse...

já roubaram o post daqui

http://maisrockgratis.blogspot.com/2010/10/especial-joe-lynn-turner-2010.html

Silver disse...

Bizarro né jantchc? O cara pega a seleção que me deu um baita trabalho fazer, tira a capa e faz upload como se nada tivesse acontecido, sem dar os devidos créditos.

Ninguém é obrigado a creditar. Mas aí fica mais como uma questão de caráter, porque copiar uma seleção feita por um cara qualquer é meio tenso. Eu não consigo chupinhar algo assim e ficar com a consciência tranquila.

O engraçado é que esse blog é parceiro nosso. Vou remover da lista. Tá que nem um outro que copiava até os textos daqui e não dava os créditos, assumindo autoria própria na cara-de-pau. Até os textos!

No mais, meu caro, valeu pelo aviso!