Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Britny Fox - Boys In Heat [1989]



O Hard Rock, no final da década de 80, estava em baixa popularidade (e nós todos sabemos o porquê). E assim como milhares de bandas que surgiram nessa época, o Britny Fox foi atingido pelo fenômeno do Grunge em 1991, quando ocorreu o lançamento de "Bite Down Hard", um fracasso de crítica e venda. O resultado foi a dissolução, o fim de uma carreira de sucesso. Em 2003, um outro disco foi posto na praça, mas sem a recepção esperada.

Mas antes disso o Britny Fox era um dos grandes nomes da cena Hard/Heavy. A formação original data de 1985 e contava com Davidson nos vocais e guitarras, Billy Childs no baixo, Tony Destra na bateria e o guitarrista original do Cinderella, Michael Kelly Smith. Foram algumas demos até que em 1988 sai o debut auto-intitulado, que é considerado um dos melhores do gênero e foi extremamente bem-recebido pela crítica e um sucesso completo de vendas.

O sucesso repentino, bem como sabemos, pode acarretar vários problemas e o posterior esquecimento, este último sendo o destino do Britny Fox. Mas, antes disso, foi gravado o magnífico "Boys In Heat", que não fez tanto sucesso quanto o primeiro, mas é um disco consistente e uma pepita altamente recomendada para os fãs da farofada oitentista.



Se você estiver com um pé atrás, peço que dê play na primeira faixa do segundo disco da trupe. In Motion tem um riff simplista, mas poderoso, e tem essência pesada. A receita toda do Hard N'Heavy está presente: riffs excelentes, refrões grudentos, peso equilibrado com boas doses do bom e velho hardão. As baladas também tomam seu posto muito bem com as fantásticas Long Way From Home, Dream On (que não é um cover do Aerosmith e é uma das minhas prediletas) e Long Road.

No mais, fica aí a recomendação. Destaques são impossíveis, até porque nenhuma das treze faixas do LP podem ser consideradas fillers. A qualidade é mantida de forma magnífica! Long live the 80s!





"Dizzy" Dean Davidson - vocais, guitarras
Johnny Dee - bateria
Michael Kelly Smith - guitarras
Billy Childs - baixo

01. In Motion
02. Standing In the Shadows
03. Hair of the Dog (Nazareth cover)
04. Livin' On A Dream
05. She's So Lonely
06. Dream On
07. Long Way From Home
08. Plenty For Love
09. Stevie
10. Shine On
11. Angel In My Heart
12. Left Me Stray
13. Long Road

Por Gabriel

Link nos comentários!
Link on the comments!


11 comentários:

Anônimo disse...

http://www.multiupload.com/MG32SUIJ0W

AlBassPlayer disse...

Mais um excelente post. O Britny Fox é uma das melhores bandas hard dos anos 80. Porém, além da praga que foi o "fenômeno" grunge, o Britny tinha um problema: já existia uma banda chamada Cinderella que soube se impor em sua identidade e não fosse os problemas com Tom Keifer eles estariam até os dias de hoje na ativa. O Britny, infelizmente, se tocou muito tarde que ser um cover do Cinderella não valia a pena, quando lançou tardiamente o (maravilhoso) disco "Bite Down Hard".

Anônimo disse...

Gosto da banda. Mas como diz o post acima, eles são muito parecidos com o Cinderella... Ae fica dificil.

Dynasty disse...

Vou parar com essa historia de apunhalar o movimento grunge.

Tenho analisado a nova cena metálica. O tal movimento grunge pôs a baixo o hard rock oitocentista? Concordo. Mas foi ele tambem que possibilitou toda uma renovação, que agora conhecemos.

Foi-se abaixo os carinhas que já estavam coloridos e comportados demais.

Veio uma nova cena, com músicas mais intimistas e desestruturadas. Deste nova organização surgiu o otep, opeth, Type O. Negative... e uma nova pá de bandas muito boas.

Entendo que esta análise vai ao encontro do que expôs o primeiro comentario aqui desta postagem.

O estilo do qual gostamos é o principal expoente da contracultura musical. Não basta tocar, não basta ter cabelo pintado. Tem que ter algo mais.

Abraço a todos. Parabens pelo post.

Gabriel disse...

Concordo com tudo o que você falou, Dynasty. Eu mesmo ouço mais Grunge do que o próprio Hard, e é inegável que a renovação era necessária.

Quanto ao Bite Down Hard, logo logo aparecerá por aqui, assim como o debut.

Anônimo disse...

Muito boa a postagem , bom disco , mas so uma coisa o hard rock oitentista durou ate 1992 , e não tava em crise no final dos anos 80 , tava no seu auge

maisquevencedor disse...

Respeito todas as opiniões e dou o maior valor para quem consegue ouvir a "praga grunge". Nunca dei muita bola para o Britny Fox mas, com esse review, ficou impossível não baixar!!!!

Victor Klinger disse...

Gostei da música postada... vou baixar pra dar uma sacada.

Dynasty disse...

Ops... em 1989 o hard rock cosmético já apresentava sinais de exaurimento.

Daí em diante toda a formaula entrou em colapso.

Carlos disse...

O problema foi o modo q o hard foi tratado pela MTV, eles foram praticamente escurraçados de lá e substituidos pelo grunge. Esse eh o problema. mesmo assim o grunge nao durou mt

Anônimo disse...

A grande verdade é que a mídia mundial impõe, cria, constrói, a seu bel prazer e visando apenas seu lucro, o que será ouvido no período seguinte (seja no ano seguinte ou década seguinte), foi assim no passado com Elvis e Jerry Lee Lewis, foi assim no RockBrasil da década de 80 e será sempre assim se o povo aceitar esta imposição...temos que ouvir o que curtimos, o que é bom pra gente e não o que nos dizem que é bom...cada um que ouça o que gosta, mas sem aceitar imposições....tem coisa boa no Grunge, admito, mas prefiro minha salada de rock (pop, hard, heavy, glam, prog, etc, etc, etc) e só pra contrariar NUNCA ouço as merdas que as rádios e a mídia de um modo geral tenta nos enfiar ouvidos adentro....por isso é que adoro esses blogs que são como minha revista semanal, meu jornal matinal, minha novela noturna hehehehehe ...graças a vcs da combe e a alguns outros blogs que acompanho, tenho informações do que rola no universo rock pelo mundo afora, já que aqui no Brasil infelizmente a mídia não sabe que o rock dá IBOPE e dinheiro, além de ser um poderoso movimento sócio-cultural !!!!!