Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Ton Steine Scherben - Warum Geht Es Mir So Dreckig? [1971]

Mais rock alemão aí pra moçada. No final dos anos 60 e no início dos anos 70, os movimentos estudantis contestadores estavam fervendo na Europa. Havia os hippies, aqueles caras pacifistas que protestavam e fumavam seu baseadinho, viviam em comunidades e etc. Mas também haviam os grupos mais radicais e politizados. Na Alemanha, particularmente, a moçada partiu pra ação direta, inclusive com grupos terroristas. Os mais famosos deles foram a RAF (Facção do Exército Vermelho, em português) - e os squatters. No meio disso tudo, a presença do rock foi natural.

Um dos grupos nascidos nesse contexto e que colocou essas idéias e atitudes no seu som foi o Ton Steine Scherben, uma das bandas mais importantes da Alemanha. O som deles é basicamente um rock 'n' roll setentista bem garageiro com influências de blues e letras BEM politizadas. Suas letras politizadas e atitudes como o fato de seus dois primeiros LPs serem independentes, sendo lançados por uma gravadora própria, foi algo que influenciou bastante o punk rock germânico, que viria a surgir mais adiante, com as bandas Big Balls and the Great White Idiot e Male. Além de serem anti-capitalistas e anarquistas, numa época onde a difusão de informações era bem restrita.

Suponho que o Ton Steine Scherben esteja para o punk alemão assim como o MC5 ou o Stooges está para o punk americano. Porém, o descompromisso com a estética visual e o fato de as letras serem em alemão (fato raro na época entre as bandas germânicas) os deixaram à margem do cenário internacional.

"Warum Geht Es Mir So Dreckig?" ("Porque Sou Tão Miserável?") é o primeiro álbum do Ton Stein Scherben, lançado em 1971. Apresenta 9 músicas que tem entre 3 e 6 minutos de duração na sua maioria, e é claro, todas cantadas em alemão e com letras bem politizadas.

Destaques para "Ich Will Nicht Werden, Was Mein Vater Ist", a faixa-título, "Sklavenhändler" e "Solidarität".

Um registro no mínimo interessante, não só para os fãs de punk, para dar uma conferida nas raízes do estilo na Alemanha, mas como também para fãs de rock em geral.

01. Ich will nicht werden, was mein Alter ist
02. Warum geht es mir so dreckig
03. Der Kampf geht weiter
04. Macht kaputt, was euch kaputt macht
05. Einheitsfrontlied
06. Mein Name ist Mensch
07. Sklavenhändler
08. Alles verändert sich
09. Solidarität

Link nos comentários
Link on the comments

Maurício Knevitz

3 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?inczn061rc4lnv0

sergio guilherme disse...

Tô baixando só por curiosidade. E porque parece ser bom.

Anônimo disse...

porra o Mauricio ta no clima um posta "atras" do outro rsrsrsrsrsrsrs
dale som louco "podreira" pra galera HUASHUASHUAHSUA