Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sábado, 22 de outubro de 2011

Van Halen - Fair Warning [1981]


Podem me chamar de herege ou o que for, mas descobri o Van Halen só agora. Obviamente eu ouvia falar (muito bem) da banda, mas acabava que o som não me pegava, digamos assim. O tempo passou, descobri várias coisas novas e diferentes de tudo o que eu estava acostumado a ouvir, e eis que resolvo dar uma nova chance a trupe do fritador Eddie Van Halen.

Me decidi por dar uma conferida em Fair Warning, um disco um pouco ofuscado da discografia deles. Lançado em 1981, foi o que teve menos vendagens de toda a fase Roth. Mas é o Van Halen em seu auge. Qualidada é o que não falta. Por isso, minha reação foi a melhor possível (cheguei a ouvir a pepita por quatro vezes seguidas).

Durante as sessões de gravação do álbum, as tensões entre os membros começaram a aparecer, principalmente entre Diamond Dave e Eddie. O desejo do frontman (e que frontman) era dar ênfase à influência pop, enquanto o guitarrista optava por uma sonoridade mais sombria, fazendo uso de sintetizadores e teclados. Como podemos ver, a vontade do último prevaleceu.


Outro problema eram as altas bebedeiras e o consumo por vezes abusivo de cocaína por parte de Eddie. Mesmo assim, ele se mostra tão bom como sempre foi nas cordas; o punch e o feeling estão intactos. Michael Anthony se supera a cada faixa, mandando linhas de baixo matadoras e incrementando peso à cozinha formada junto com o excepcional Alex Van Halen. Quanto a David, sua performance é perfeita.

A capa é uma obra de William Korelek chamada "O Labirinto" que foi pintada enquanto ele estava sendo tratado de esquizofrenia. Representa sua brutal infância vivida no Canadá durante A Grande Depressão. Curiosamente, o clima do disco é totalmente diferente, com andamentos acelerados: totalmente alto astral, mesmo com o uso por vezes sombrios dos teclados e sintetizadores (coisa que é maximizada na instrumental Sunday Afternoon in the Park).



O sucesso não foi possível por causa da ausência de um hit. O que mais chegou perto disso foi o single "So This Is Love?". No entanto, aqui está mais uma obra-prima do Van Halen que faltava na Combe. Destaques são impossíveis, já que o álbum possui nove faixas totalmente avassaladoras e de uma qualidade inegável. O único defeito é a duração, que não chega aos trinta e dois minutos. Uma pena, realmente, mas nada te impede de apertar play por uma segunda (ou terceira e quarta, como eu fiz) vez, não é?

Ouça no máximo, de preferência direto do vinil (para os privilegiados que têm essa maravilha) ou, então, com os headphones no talo. Foda! Ponto.


David Lee Roth - vocais
Eddie Van Halen - guitarras, sintetizadores, teclados, backing vocals
Alex Van Halen - bateria
Michael Anthony - baixo, backing vocals

01. Mean Street
02. Dirty Movies
03. Sinner's Swing!
04. Hear About It Later
05. Unchained
06. Push Comes to Shove
07. So This Is Love?
08. Sunday Afternoon in the Park
09. One Foot Out of the Door

Por Gabriel

Link nos comentários!
Link on the comments!


11 comentários:

Anônimo disse...

http://www.multiupload.com/80ND732NNU

Jay disse...

Um dos meus três preferidos de uma de minhas três bandas preferidas de todos os tempos. Preciso falar algo mais?

Sim, que eu me lembro de ir pra aula na oitava série, em 1997, com meu micro-system e esse CD no último volume, junto a um amigo tão fã quanto eu. Muito incomodamos professores aquela época.

Anônimo disse...

Grande disco!

Gustavo disse...

Minha banda preferida. Meu primeiro contato com eles foi quando tive em minhas mãos o fantástico álbum Van Halen I. Tive a felicidade de os acompanhar desde o início e ainda ter o imenso prazer de vê-los aqui, no RJ, no Maracanazinho em 1983.

Agora que retomaram as turnês, tomaram que voltem.

ZORREIRO disse...

Que legal ver uma resenha isenta.
Isso porque você não mencionou Unchained, que foi realmente o hit do disco à época.
Mas isso não foi falha. Ao contrário.
Deixou o post sincero.
E grande como deve ser.

Anônimo disse...

O melhor disco do Van Halen, depois do primeiro.

Anônimo disse...

O que dizer do Van Halen com o David Lee Roth nos vocais?Simplesmente perfeito é o mínimo!Foram vários discaços, um atrás do outro, fica até difícil dizer qual o melhor já que cada um tem uma onda que faz a gente ficar com vontade de escutá-los repetidas vezes!Mandou muito bem no post!Fair Warning continua sendo um dos melhores discos de rock até hoje!

Anônimo disse...

tenho todos os albuns do van halen no formato do bom e velho vinil,é assim que eu escuto van halen,grande disco:valeu.DF

jantchc disse...

tb passei a gostar do VH a pouco tempo, desde o ano passado..

ja gostava um pouco antes, mas só do q passava no radio..

esse disco é muito legal mesmo..

Caue Machado disse...

Rock farrista e sacana, como deve ser.

Banda do meu coração, pena nunca tê-los visto ao vivo.
Realmente esse play é uma espécie de "ovelha negra" da fase Diamond Dave, nunca entendi porque.
Mas não deixa de ser ótimo.

É por pra rolar e liberar as garotas e as biritas!!!
WOW

Eduardo Paiva disse...

Baixando! Valeu, Gabriel!