Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Dio - Holy Diver [1983]


Ronald James Padavona teve uma carreira invejável, que sempre primou pela qualidade. A carreira do mestre começou na década de 70, ao lado do ELF, grupo que durou até 1975. Depois, embarcou no ótimo Rainbow, a banda do ex-Purple e excêntrico Ritchie Blackmore, onde permaneceu por quatro álbuns. Logo em seguida o baixinho tirou a sorte grande ao ser convidado por Tony Iommi a integrar o Black Sabbath. Sua fase na banda é uma das minhas preferidas, e abriu as portas para Dio mostrar que ele não era só mais um novo vocalista.

Pensando nisso, ele reuniu antigos e recentes colegas para montar seu mais novo projeto, que foi batizado com seu nome artístico. Os integrantes da empreitada foram o ex-Rainbow Jimmy Bain, o guitarrista Vivian Campbell, e o monstro Vinny Appice, que também havia caído fora do Sabbath. O resultado foi o melhor possível, na opinião da grande maioria.

"Holy Diver" foi lançado em 1983 e com certeza impressionou muitos. Afinal, com um time desse, fica quase impossível de se fazer algo ruim. Com produção do próprio Dio, o disco traz a receita do Heavy Metal oitentista com pitadas melódicas e composições espetaculares, prometendo agradar os fãs dessa vertente, principalmente.


Quem já tomou conhecimento da obra do norte-americano, já sabe o que esperar: composições ótimas com refrões ganchudos, arranjos muitíssimo bem elaborados e uma atuação perfeita de toda a banda, elementos que "Holy Diver" mescla excelentemente bem. As passagens mais melódicas merecem nota também, principalmente os teclados tocados por Ronnie e Bain.

A bolacha tem recheio clássico, a começar pela porrada de abertura "Stand Up And Shout", uma das que mais gostei e que traz justamente essas características que citei acima (o refrão é de ficar horas na cabeça). Campbell é endiabrado nas cordas, enquanto Vinny espanca sem dó nem piedade seu kit de bateria, isso sem falarmos no saudoso baixinho, que nunca decepcionou. Uma das grandes vozes do gênero, sem sombra de dúvida.

A faixa-título (que ganhou um vídeo clipe altamente tr00) dispensa comentários. "Gypsy" lembra em algum momento a fase em que Dio esteve no Sabbath. "Don't Talk To Strangers" é excelente e uma das que mais mostram a faceta melódica do álbum, mas que se torna uma respeitável paulada. "Rainbow in the Dark" é a minha preferida, uma faixa que transborda talento e extrema competência, além de ser um dos maiores clássicos do Metal. O encerramento fica por conta da climática "Shame on the Night".



A recepção foi melhor do que o esperado, e Ronnie, juntamente com seus parceiros, provou no ano posterior que eles haviam vindo para ficar com o igualmente aclamado "The Last In Line". A partir daí, o vocalista se consolidaria como uma das grandes promessas do mundo metálico; e o resto é história.

Fica a memória de um dos maiores ícones do Heavy. Descanse em paz, Dio.



Ronnie James Dio - vocais, teclados
Jimmy Bain - baixo, teclados
Vivian Campbell - guitarras
Vinny Appice - baquetas

1. Stand Up and Shout
2. Holy Diver
3. Gypsy
4. Caught in the Middle
5. Don't Talk to Strangers
6. Straight Through the Heart
7. Invisible
8. Rainbow in the Dark
9. Shame on the Night

Por Gabriel

Link nos comentários!
Link on the comments!

12 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?a6677uwapzf46e6

Ricardo Brovin disse...

Dio o melhor vocal de heavy metal de todos os tempos na minha humilde opinião!!!!post foda...

dnlz disse...

Sou muito grato por ter comprado e curtido muito esse album na época em que foi lançado, esse album fazia eu moleque muito feliz e ajudou a formar a minha personalidade e as coisas que eu gosto até hoje.
Muito obrigado!

Dynasty disse...

Existe o album perfeito? Aquele que não há reparos a fazer? Aquele que não sofre com o passar do tempo? Existe. Holydiver.

Tal como dniz disse acima, Dio ajudou a formar minha personalidade, e digo: me fez um ser humano melhor.

Tive a oportunidade de vê-lo ao vivo em 92, junto com o Heaven and Hell, em Porto Alegre.

Valeu Dio. Obrigado.

Abraço a todos da Combe. Parabens pela postagem.

AlBassPlayer disse...

Caralho! Como era bom aquele tempo. Como era bom escutar música de verdade. Dio além de excelente cantor tb era músico, e dos bons. Esse era o diferencial desse pequeno gingante do R'n'R. Quero compartilhar do pensamento do dnlz aí em cima. Só tenho a agradecer por ter vivenciado naquela época este e os grandes lançamentos que vieram na década de 80.

jantchc disse...

otimo disco..

so vim a conhecer uns 5 anos mas adorei desde essa epoca..

Anônimo disse...

A Straight Through The Heart também é bem foda!

Uma banda comum que conseguisse fazer esse disco poderia tocá-lo inteiro o resto da carreira que ninguém iria reclamar. Mas como é o Dio, a gente sempre espera ainda mais, que veio com o Last In Line e o Sacred Heart. E ainda viriam os com o Goldie.

Uma perda que faz falta MESMO, para o rock.

Anônimo disse...

Mudando um pouco o foco... Só eu acho Vivian Campbell um puta guitarrista que é totalmente diminuído no Def Leppard?

Os Leps estão entre minhas bandas preferidas, mas na boa, não precisam de dois guitarristas. Phil Collen daria conta fácil do som deles...

Sei lá, parece que ele entrou no Def e acomodou... Nunca mais foi o mesmo dessa época...

Tá eu sei que o som do Def é hard, comercial... mas mesmo assim... Vivian poderia fazer algo melhor, porque é muito fera nas seis cordas.

Anônimo disse...

Obrigado pelo post. Nos faz recordar os bons tempos do Mestre Dio.
Como essa dupla era do cacete. O solo do Campbell é maravilhoso e o vocal do Ronnie, para mim um dos melhores do metal.
Cozinha perfeita. Álbum perfeito.
Belo post

Eduardo Paiva disse...

Clássico dos clássicos!
Excelente resenha, Gabriel.
Só não baixo, pq já tenho!

Beto Kupper disse...

bons tempos... lembro de ter visto o clip de holy diver num programa som pop da tv cultura nos saudosos anos 80

Anônimo disse...

Minhas divindades estão ao alcance dos meus sentidos (com todo respeito as outras dos outros). Infelizmente não consegui assistir Dio ao vivo. Gostaria que isso ainda seja possível e depois que morrer vou descobrir. Tenho a tour do Holy Diver e The Last In Line compiladas em um DVD e é com certeza um dos 5 DVD's que mais assisti em minha vida... Almoçando... Transando... Bebendo... Conversando... Fumando... Dormindo... Poderia(mos) passar um dia inteiro escrevendo sobre como este HUMANO influenciou nossas vidas e o meu caráter, mas fica a própria mensagem dele: LONGA VIDA AO ROCK AND ROLL.