Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

One Way Street - A Tribute To Aerosmith [2001]


Bob Kulick, Billy Sherwood e Mike Varney. Guardem esses nomes e antes de arriscar em um tributo tratem de checar se foi produzido por alguma dessas figuras, pra não perderem tempo com um caça-níquel qualquer. Passo dois - para a eventual rejeição prévia: veja se as bandas e artistas são da mesma gravadora. Caso confirmado que sim, esqueça; indício descarado de gravadora tentando promover seus artistas, que com certeza desenvolverão versões genéricas e execuções se limitando a cumprir o bê-á-bá.

Garanto que seguindo à risca essa cartilha, dificilmente irão se decepcionar com algum tributo. Isso serve até pra àqueles que dizem não gostar de quase nenhum tributo, mas quando se depara por algum produzido por esses caras logo dispara que é "o melhor de todos" e que não existem outros iguais. Ledo engano. Claro que, alguns se sobressaem mais. Focando nas homenagens do Bob Kulick, vejamos: tem-se verdadeiras pérolas nesse segmento, como os fantásticos Humanary Stew - A Tribute to Alice Cooper (1999) e Bat Head Soup - A Tribute to Ozzy (2000).

Mas, o irmão do Bruce Kulick pisou na bola em alguns, que mesmo contando com nomes consagrados por algum motivo saíram sem brilho. Refiro-me ao Not The Same Old Song And Dance - A Tribute to Aerosmith (1999) e o Little Guitars - A Tribute to Van Halen (2000) - esse último é um dos piores tributos que existe (dos que são constituídos por estrelas do Rock). O Not The Same... pegou gente do naipe de Mark Slaughter, Ted Nugent, Vince Neil, Jani Lane e Stephen Pearcy, além dos inúmeros instrumentistas bem conhecidos da cena Hard/Heavy.


Primeiramente, um tracklist muito mal escolhido já colocou tudo por água abaixo. Dessa forma, se salvou apenas umas três versões, no máximo. Bob Kulick deve ter percebido a cagada que fez e resolveu se redimir. Dois anos após esse fiasco, convocou uma nova constelação para produzir outro tributo ao Aerosmith. Sendo que dessa vez, acertou em cheio na escolha das músicas, sem repetir nenhuma música do tributo anterior. O que não fez falta, a não ser pela ausência de Dream On - que por sinal ganhou uma versão mediana da dupla Dio/Malmsteen no primeiro tributo.

Para essa nova empreitada, o famigerado Bob não se incumbiu de organizar e produzir só, pois teve a ajuda do também guitarrista Bruce Bouillet (Racer X, The Scream) na produção e elaboração de One Way Street. Além dos participantes mais notáveis, que são os vocalistas, aqui também estão presentes alguns dos melhores bateristas da cena Hard/Heavy. Pelo menos oito! Outros destaques ficam por conta das presenças de Reb Beach, Al Pitrelli, Steve Lukather, Richie Kotzen, Bruce Kulick, Blues Saraceno, Tony Franklin, Tim Bogert, Doug Aldrich, Jeff Pilson, Craig Goldy, Jimmy Bain, Vinny Appice - sendo que, os cinco últimos tocaram na banda do Dio.

Com um time montado de forma criteriosa, pegando grandes representantes da música pesada e ainda lhes dando um repertório bombástico do Aerosmith para reproduzirem com consideráveis concessões de identidade, não podia ter outro resultado que não uma honrosa e adequada homenagem. A meu ver não existe tributo completamente perfeito, mas One Way Street chegou perto. Tirando as não mais que corretas versões para "Living On The Edge" e "Lord Of Thighs", o disco agrada sobremaneira.


Abrindo com "Eat the Rich", que conta com os vocais de Jack Russel, logo se percebe que os caras realmente se entregam nas composições como fossem suas. "Let The Music Do The Talking", originalmente composta para o The Joe Perry Project e mais tarde regravada pelo Aerosmith, é comandada pelos vocais drivados e impetuosos de Joe Lynn Turner. Tim "Ripper" Owens que já chamava a responsabilidade para si frente aos clássicos do Judas Priest, diante de uma composição do Aerosmith não foi diferente. Simplesmente detona numa versão de "Round and Round" ainda superior à original, com o seu conhecido instrumental convidativo ao bangin' tocado de forma ainda mais destrutiva com Eric Singer descendo o braço e Reb Beach aloprando na guitarra.

" Cryin' " é executada de forma muito fiel em relação à original. Mas a diferença está "só" em quem canta: Jeff Scott Soto. O que será que o Steven Tyler achou dessa encrenca? (risos) Dando sequência ao álbum, é a vez de Glenn Hughes soltar sua voz em mais uma de suas interpretações emocionais e cheias de improvisos em "Kings and Queens". O meu vocalista preferido cantando uma de minhas músicas preferidas do Aerosmith. Não tinha como ser mais perfeito. Fee Waybill, o vocalista menos ilustre da bagaça, manda bem na roqueira "Rats in the Cellar", que se destaca principalmente devido seu instrumental vigoroso e os solos de Richie Kotzen - que, se assumisse também o microfone, sem dúvida a versão ficaria ainda melhor.



Uma das versões mais interessantes e surpreendentes é a que dá nome ao tributo. Não dei a mínima bola quando vi que o Doug Pinnick cantava essa música, pois eu detesto Kings X. Mas eis que me deparei com mais uma daquelas versões que te faz parar pra pensar se ela realmente não superou a original. E o mais chocante de tudo é o vocal de Doug, praticamente idêntico ao do canadense Pat Travers. Sucedendo a morosidade de "Living On The Edge", outro momento daqueles que traz o pensamento paramétrico pra atordoar novamente: "What It Takes" ficou divina na voz do extraordinário Bobby Kimball. E pra encerrar, "Angel" cantada por um especialista em baladas, o exímio Robin McAuley, e com destaque amplo para a atuação do guitarrista Blues Saraceno.

Os nomes envolvidos falam por si só, e o tracklist bem montado comprova e consolida a qualidade desse tributo. Vale a pena também seguir a dica do início do texto, pois tenho certeza que irão se deparar com versões que lhes agradarão mais do que as originais, o que já acho que pode começar por aqui!



01 - Jack Russell - vocal
Doug Aldrich - guitar
Jeff Pilson - bass
Carmine Appice - drums

02 - Joe Lynn Turner - vocal
Al Pitrelli - guitar
Carmine Rojas - bass
Pat Torpey - drums

03 - Tim 'Ripper' Owens - vocal
Reb Beach - guitar
Tim Bogert - bass
Eric Singer - drums

04 - Jeff Scott Soto - vocal
Craig Goldy - guitar
Jason Scheff - bass
Aynsley Dunbar - drums

05 - Glenn Hughes - vocal
Steve Lukather - guitar
Tony Franklin - bass
Frankie Banali - drums
Paul Taylor - keyboards

06 - Fee Waybill - vocal
Richie Kotzen - guitar
James Haslip - bass
Vinny Colaiuta - drums

07 - Doug Pinnick - vocal
Elliot Easton - guitar
Jimmy Bain - bass
Gregg Bissonette - drums

08 - John Corabi - vocal
Stevie Salas - guitar
John Alderete - bass
Brian Tichy - drums

09 - Bobby Kimball - vocal
Waddy Wachtel - guitar
Michael Porcaro - bass
Tony Thompson - drums
Derek Sherinian - keyboards

10 - Whitfield Crane - vocal
Bruce Kulick - guitar
Marco Mendoza - bass
Vinny Appice - drums

11 - Robin Mcauley - vocal
Blues Saraceno - guitar
Phil Soussan - bass
Rick Marotta - drums

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar

17 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?r693uusql1f0eub

Daniel disse...

Opa vou conferir. Eu não sou muito fã de tributos..mais esse que fizeram para o Aerosmith parece excelente, alias, muito boa a resenha.

Abraço

Anônimo disse...

o outro tributo é mlehor... esse se salva em algumas musicas...
valeu pelo post

Emerson disse...

bem, eu curti o primeiro tributo, e se esse é taum melhor assim como vcs dizem, intaum demorô para eu baixa-lo...

Ito disse...

Show de bola.. vlw.

Eduardo disse...

Vamos ver, é dificil ver versões de musicas melhores q as originais, porém, nunca significam q não sejam boas também.

Weschap Coverdale disse...

SENSACIONAL! ATÉ MERECE UM POST DO AEROSMITH AMANHÃ! shuahsuhauhsuhahsuha

jantchc disse...

o line-up arregaça

JSS, JLT e Glenn Hughes no mesmo cd, só pode fazer ele ser foda..

juanillo1972 disse...

gracias por el aporte

Anônimo disse...

muito bom esse tributo e muito bem escolhidas as musicas e os artistas que as regravaram. Vale lembrar que o Aerosmith possui vários outros tributos bem interessantes.Um deles formados por cara de blues chamadoSweet emotion:songs of aerosmith blues on fire, um outro formado por artistas voltados pro country chamado Pickin' on Aerosmith:a bluegrass tribute , um outro por artistas pops e até por orquestra...valem muito a pena!Abraço e parabéns pelo excelente post

BORS disse...

sempre acho curioso ouvir esses discos de tributo. No final eu acabo deletando a maioria das músicas, pois uns caras assassinam as músicas que eu tanto gosto.

por exemplo, como alguem pode gostar realmente de Jeff Scott Soto? deviam matar esse cara, ou pelo menos cortar a língua dele!

dnlz disse...

Animal!!!!! Valeu!!!

Alceu disse...

baixando!!!! valeu!

Montoya_Rose disse...

Muito bom!
Baixando pra conferir!

Soninha disse...

Gostei disso! Vou conferir. Valeu!

Anônimo disse...

Valeu por disponilizar!

Fabiano disse...

Vamos ver. O line-up é bem interessante, o setlist tbm, vamos ver como ficou a execução.