Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 2 de março de 2011

Death SS - Heavy Demons [1991]/The Cursed Concert [1992]


Novamente trago aquele esquema de post abrangendo dois ou três discos que representam a mesma fase de grupos ou artistas que não possuem qualidade estável na carreira pra que faça valer a pena criar um texto biográfico e repassar uma discografia. Claro que o que é bom pra mim não pode ser para outros, ou o que julgo como dispensável pode ser proveitoso para alguns. No entanto, não vejo sentido em postar algo de qualidade duvidosa pensando no possível mau gosto de terceiros.

Prosseguindo com a seletividade, aqui está o melhor momento da carreira de um dos grupos mais polêmicos da história do Heavy Metal, e que também revelou o artista mais provocador e impudico que o Rock conheceu. Quando Alice Cooper chocava a velha geração com seus contos e teatralidade pavorosa, a juventude tomava aquilo como inspiração pra adentrar no mundo do Rock, mas ninguém sequer cogitava em tentar fazer algo parecido. Porém, na Itália, isso mexeu muito com a demência natural de Stefano Silvestri.

Obstinado em querer ser o sucessor de Alice Cooper, Stefano adotou o personagem Steve Sylvester e, ainda na década de 70, no "ano do punk", o terror de Cooper levou o jovem italiano a criar um conjunto com a concepção baseada nas suas performances sanguinárias, mas com grande personalidade, introduzindo ilimitadas demonstrações de imoralidade e heresia. De Classic Rock designado a chocar, o grupo evoluiu para o Heavy Metal na década de 80 e devido suas exibições diabólicas acabou por ficar encaixado na primeira onda do Black Metal.

Heavy Demons [1991]


Sylvester é tão sagaz que pensou em tudo para criar polêmica logo de cara. Death SS faz alusão à antiga tropa de proteção do regime nazista, entretanto o significado real é "Death of Steve Sylvester". Apesar da banda nunca ter adotado nenhum tema bélico ou nem mesmo alguma referência ao nazismo nas letras, a maneira que as iniciais são grafadas no logo é a mesma da organização paramilitar. A intenção de Sylvester é criar a epítome do horror usando todo tipo de referência atroz pra irritar a plebe, portanto suas provocações são descomedidas.

No debut, lançado mais de dez anos após a criação da banda, os membros são apresentados como personagens de terror e as letras narram a história fictícia de cada um através de um Heavy Metal brilhante que soa como uma mistura de Venom e Mercyful Fate, somado a dramaticidade voltado ao lado obscuro. Em Black Mass, segundo full lenght, a ordem é a profanação, desde a capa até as letras, a intenção principal é ofender o cristianismo. Apenas um detalhe atrapalhava a grandiosidade desses trabalhos; o próprio Steve Sylvester.

Capa do relançamento

A vontade de criar vocalizações macabras fazia com que Sylvester atravessasse as músicas com vocais fora do tom e mal postados, parecendo mais com vocalistas do tipo de Taime Downe e Steve Summers que qualquer outra coisa. Músicas extraordinárias foram ofuscadas por essa excentricidade do líder. E como o diabo ensina seus seguidores a pecar, Steve conseguiu com o tempo se impor de forma apropriada, sem exageros pseudo-aterrorizantes. E eis que o exemplo dessa evolução se encontra no clássico absoluto Heavy Demons.

Sem a necessidade de se transformar em algum vocalista fantástico, o vampiro, como também é conhecido, adaptou sua voz de forma ideal ao instrumental matador desenvolvido pelos seus aliados. As composições não estão tão bem arranjadas como outrora e a execução é ainda mais voltada para o puro Heavy Metal com estruturas convencionais, embora ainda continue dinâmico. Além disso, o clima horripilante dos registros anteriores sumiu, logo, a banda deixou de se enquadrar no Black Metal. Mesmo com estas diferenças, Heavy Demons consegue ser superior devido a enxurrada de composições sublimes.



Os italianos, pelo visto, são apaixonados por Heavy Metal Tradicional - ao menos os que tocaram no Death SS. Falo isso porque cada disco apresenta uma formação completamente nova e sempre o que encontramos são riffs e solos que parecem criações de guitarristas consagrados, tamanha a inspiração e impacto expelidos. Exemplos podem ser constatados com os hinos "Where Have You Gone?", "Baphomet" e a faixa-título, que demonstram com perfeição o som alucinante praticado pelo conjunto.

E pra quem pensa que Steve é um louco que só quer chamar a atenção com visual e mensagens satânicas, leia a letra da citada "Where Have You Gone?" e perceba a forma astuta e inteligente que o mesmo associa os líderes religiosos a todos os males da humanidade. Observe a crítica sarcástica à hipocrisia e covardia da velha instituição católica narrada na variadíssima "Inquisitor". Relatos de revolta com sabedoria que coloca Steve no patamar dos principais ícones da cultura do Heavy Metal, coisa que se torna cada vez mais rara de encontrar.

01-Walpurgisnacht
02-Where Have You Gone?
03-Heavy Demons
04-Family Vault
05-Lilith
06-Peace Of Mind
07-Way To Power
08-Baphomet
09-Inquisitor
10-Templar's Revenge
11-All Soul's Day
12-Sorcerous Valley (Back To The Real)
13-Death Walks Behind You (Bonus Track)
14-Where Have You Gone? (Remix) (Bonus Track)
15-Horrible Eyes (Live Bonus Track)
16-Thrill Geeter (Bonus Track)

Steve Sylvester (The Vampire) - Vocals
Jason Minelli (The Death) - Guitar
Al Priest (The Zombie) - Guitar
Andy Barrington (The Mummy) - Bass
Ross Lukather (The Werewolf) - Drums

Guests:
Lorenzo Santi - keyboards
Andy Fois - acoustic guitar
Morby and Rox - background vocals



The Cursed Concert [1992]


Heavy Demons representou o fim da fase Heavy Metal, pois o grupo passou a praticar Industrial Metal na sequência. Antes de ceifar esse capítulo da carreira, foi lançado em vídeo e áudio o excelente registro ao-vivo The Cursed Concert. E como bom aluno de Alice Cooper, Sylvester leva todo o lirismo presente nos plays para os palcos. Ou seja, realiza um verdadeiro espetáculo profano de depravação e libertinagem. Auxiliado pelos músicos entrosados e precisos, o resultado é grotescamente brilhante.

A intro diabólica Ave Satani, que mais parece composição do Vangelis, abre espaço para a sucessão de clássicos. Os vocais mais bem colocados e com o timbre melhor definido nos permite apreciar as músicas das duas primeiras bolachas, onde o destaque fica para "Vampire", um dos maiores clássicos dos anos 80 e, em sua execução, ocorria o momento mais interessante do show; durante os solos magníficos, Sylvester estupra a freira, depois mata o padre - enquanto a freira estuprada fica se masturbando - e, após o assassinato, a freira encarna o espírito necrófilo e mantém relação com o padre morto (a última imagem do post é durante esse momento do show).

Anos depois, Blackie Lawless viria a 'plagiar' parte dessa encenação na tour do Kill Fuck Die. Recentemente, o Death SS encerrou as atividades, talvez por Steve não aguentar mais o pique que a banda exige, mas deixou um legado incomparável usando a iconoclastia pra corromper os falsos valores morais e ofereceu este ímpeto por meio do Heavy Metal exemplar. Comprove isso agora, não espere alguém morrer pra reconhecer seu talento, como ocorreu ultimamente.

Capa do relançamento

01-Ave Satani - Peace Of Mind
02-Horrible Eyes
03-Cursed Mama
04-Lilith
05-Vampire
06-Family Vault
07-Terror
08-Baphomet
09-Inquisitor
10-Templar's Revenge
11-Drum Solo - Where Have You Gone?
12-Heavy Demons
13-Kings Of Evil
14-Dog Man (Bonus Track)

Steve Sylvester - Vocals
Jason Minelli - Guitar
Al Priest - Guitar
Andy Barrington - Bass
Ross Lukather - Drums
Marcel Skirr - Keyboards

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar

7 comentários:

Anônimo disse...

Heavy Demons [1991]
http://www.mediafire.com/?zogby181qfq472z

----------------------------------

The Cursed Concert [1992]
http://www.mediafire.com/?agdjcxd6h6hsvcj

Lyn disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silence disse...

Ótima resenha, baixando pra conhecer

Anônimo disse...

Parece legal! Dragztripztar, vc sabe onde posso arranjar algum vídeo de um show dessa banda? Fiquei, digamos, morbidamente curioso sobre a encenação descrita na resenha, hehehe...

Dragztripztar disse...

YouTube

michel disse...

curto muito doom metal, conheci esta banda a apouco tempo, mas muito boa mistura de heavy/doom/speed e o proprio black metal.
só possuia até então o 1988 Death SS - ...In Death of Steve Sylvester
que é muito bom!
obrigado por postar coisas tão boas e classicas do underground!
hail combe di iommi
abraço a todos que fazem este blog...

Anônimo disse...

conheco esta banda desde 91epoca que fiquei fanetico por eles eo alice cooper(sou fanatico pelos dois ate hoje)classicos