Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 1 de março de 2011

King Kobra - Thrill Of A Lifetime [1986]



Se hoje sou apaixonado pelo AOR, devo muito a um disco que mesmo que subestimado por alguns, foi o pontapé inicial para eu gostar de rock mais melódico. Nessa altura do campeonato eu já gostava e muito de hard rock, e estava na caçada de novas bandas, quando me interessei ao ver o nome de Carmine Appice nas baquetas, visto que na época eu havia acabado de conhecer o Blue Muder, o qual ele participou. Apesar de "Ready To Strike" ser mais minha cara naquele momento, os primeiros acordes de "Thrill Of A Lifetime" foram o suficiente para me apaixonar por esse.

Apesar de conhecer muita gente que achincalhe esse disco, digo que o mesmo é o meu predileto do grupo. Primeiro, aqui é possível perceber o quanto Mark Free estava à vontade nos vocais, pois agora sim ele está fazendo o que realmente gosta. E a banda mostra a tradicional competência, e que ainda que muitos torçam o nariz para o visual do grupo. Carmine Appice é um monstro das baquetas, a dupla Philips e Sweda entrosada nas guitarras e Johny Rod com um bom trabalho no baixo.

Sim, e aqui teremos muitos momentos voltados para o AOR, mas ainda com o hardão do primeiro disco aparecendo. "Second Time Around" já inicia o trabalho da melhor maneira possível e é uma das canções prediletas de sempre desse que vos escreve. Destaco o trabalho de Free nos vocais, em que ele canta demais e a letra da canção, uma das belas que já ouvi sobre fim de relacionamento. "Dream On" poderia estar em qualquer disco do Foreigner, e escancara o quanto Free teve influência no processo de composição e guia o som para o mais puro AOR, algo do qual a tia Marcie manja muito até os dias de hoje.


A festeira "Feel The Heat" incendeia tudo com seu jeito inocente e um grande refrão, que vai arrancar lágrimas dos que são como eu apaixonados pelos anos 80, com uma melodia que funciona muito bem. "Thrill Of A Lifetime" com sua melodia grandiosa mais uma vez mostra a influência de Free e de como a banda estava distante do seu disco de estréia. A balada "Only The Strong Will Survive" é o espaço para Free mostrar seu feeling, conduzindo sua voz de maneira calma e igualmente bela e mesmo com toda sua calma acaba por cativar.

"Home Street Home" é completamente descartável e indecifrável o motivo de estar aqui, essa pode pular, porque nem entendo até hoje por que adicionaram esta faixa, uma tentativa mal sucedida de rap e mal encaixada na proposta do disco. Para recuperar do baque anterior temos "Iron Eagle (Never Say Day)", que foi trilha sonora de filme inclusive, mais um grande AOR, com aqueles teclados bacanas bem característicos dessa época.

As músicas que encerram o disco é o que chega mais próximo do disco de estréia do grupo, com Appice destruindo tudo nas baquetas em hards acelerados, mas com ainda mais destaque na paulada "Raise Your Hands To Rock", em que ele mostra o execelente baterista que é. Um registro que deixa bem claro o caminho que Free enveredaria em sua carreira, com excelentes discos de AOR, seja com o Signal, em sua carreira solo ou ainda com o Unruly Child. Daqueles que podem lhe fazer se apaixonar logo em sua primeira audição.




1.Second Time Around
2.Dream On
3.Feel the Heat
4.Thrill of a Lifetime
5.Only the Strong Will Survive
6.Iron Eagle (Never Say Die)
7.Home Street Home
8.Overnight Sensation
9.Raise Your Hands to Rock
10.Party Animal
11.This Ranging Fire (Bonus Track)

Mark Free - Vocais
David Michael Philips - Guitarra
Mick Sweda - Guitarria
Johny Rod - Baixo
Carmine Appice - Bateria


By Weschap Coverdale

7 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?5cm28y95m00ypdq

мєαиѕтяєєт disse...

Melhor disco do King Kobra. "Dream On" é um som que já me tirou da vala inúmeras vezes. E é impossível não se sentir motivado a aumentar o peso na academia ao som de "Iron Eagle".

Weschap Coverdale disse...

Para mim Mean, a música que me tirou da vala várias vezes foi "Second Time Around", essa consegue me tirar da fossa de maneira quase que mágica! Mas "Iron Eagle" realmente tem cara de som de academia! rsrsrsrs

Silver disse...

Melhor disco é sacanagem, mas é um disco bem legal e nunca recebe a devida atenção.

Gabriel Hard disse...

eu tenho em vinil este disco, comprei ele num sebo aqui em Campo Grande,MS.
Bom, oque falar deste disco: o primeiro play deles Ready to Strike, é um grande disco de hard, já Thrill Of A Lifetime, é um puta disco de aor. quando eu escutei ele levei um susto, pensei é outra banda, não é a que gravou Ready to Strike. Falar o que o 2 discos são otimos.
na minha opinião eles deverião ter lançados outros discos nesta linha,que pena que é meio injustiçado...
Grande clasico. não vou abaixalo por que já tenho em cd e vinil...

Dragztripztar disse...

Só uma pequena correção; Dream On não demonstra a influência de Free no processo de composição porque é um cover. Foi composta por Russ Ballard e gravada pelo mesmo no ano anterior ao lançamento de Thrill of a Lifetime.
A versão do KK é infinitamente superior a do Ballard. Por sinal, Ballard é um excelente compositor, mas aquela voz.........
This Raging Fire também é cover, mas nesse caso, a versão do KK ficou muito aquém da original.

Mark Free canta um absurdo nesse disco (como em todos que gravou), mas considero um trabalho bem inferior em relação ao debut. Dream On e Only the Strong Will Survive valem o play.

Anônimo disse...

Estou na expectativa de ouvir o retorno do King Kobra, agora com o Paul Shortino mandando brasa no gogó.
A banda praticamente é a mesma, os 4/5 da formação original.

Quanto a esse álbum, "TOAL", aplico ao dito cujo a máxima dos filmes: nem toda a sequência supera o original.
Todo o peso do debut se perdeu, e acho que isso mais atrapalhou a possível longevidade da banda na época por ter partido para uma linha diferente da proposta inicial. É como se o Jeff Scott Soto resolvesse deixar o Hard Rock de lado, e começasse a cantar sucessos da Disco Music... OPS! Ele já faz isso! hehehehe!

Apesar da minha reação ao segundo álbum ter sido de "Pô, cadê o KK Hard'n'Heavy?", ouvi as músicas, e depois ouvi de novo, mas não adianta. Meu preferido ainda será o 'Ready To Strike'.

Abraços Rocker!