Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sábado, 11 de junho de 2011

Whitesnake – Ready An’ Willing [1980]


A despeito do que vocês, os assim chamados seres humanos pensam, devo dizer que esse ainda é e para sempre será o disco mais especial do Whitesnake para mim. Não estou falando em melhor ou pior, mas em um significado maior, algo que não se explica em palavras. O fato é que Ready An’ Willing é a real confirmação e estabelecimento da banda de David Coverdale como um dos gigantes do Rock britânico – a consagração em outras terras viria mais tarde. O terceiro álbum de estúdio do grupo também seria especial por marcar a entrada do baterista Ian Paice. Ou seja, o line-up passaria a contar com três integrantes da até então última encarnação do Deep Purple. Na produção, mais uma vez o fenomenal Martin Birch, um homem cujo currículo fala por si só.

A sonoridade ainda era baseada naquele Hard Rock setentista, com influências abrangentes. Então podemos conferir detalhes de Classic Rock, Blues e a velha alma Soul/R&B nos vocais. Algo que pode soar um tanto estranho para quem se limitou à era com solos de laquê e interlúdios de batom, mas acima de tudo, uma musicalidade refinada. A turma das cordas mantinha o mesmo nível dos já famosos. E a coisa deu tão certo entre Micky Moody, Bernie Marsden e Neil Murray que anos mais tarde o trio se reuniria sob o nome de The Company Of Snakes, para relembrar as músicas dessa fase, praticamente ignorada por David com o passar dos anos e o estouro comercial nos Estados Unidos.



As nove músicas são mais que recomendáveis, dignas de nota máxima. Claro que “Fool For Your Loving” foi o grande sucesso comercial, assim como a faixa-título permaneceu no setlist pelas turnês seguintes. Mas o Rock and Roll animado de “Sweet Talker” e “Black And Blue” (o clima de bar em festa casa perfeitamente) também são dignos de citação. Da mesma forma a sublime suavidade contida em “Carry Your Load” e “Ain’t Gonna Cry No More”, com vozes próximas do Gospel, além da baladaça “Blindman” e a bluseira “Love Man”. Para fechar em alto astral, “She’s A Woman”, com outro desempenho estupendo no microfone protagonizado pelo dono da bola.

Ready An’ Willing foi um grande sucesso no mercado inglês, fazendo com que o Whitesnake fosse escalado como atração principal do mais que conceituado Reading Festival. Enquanto isso, nos Estados Unidos o disco atingiu uma modesta posição número 90 nas paradas. Na Terra do Tio Sam a banda excursionou como atração de abertura pra Jethro Tull e AC/DC. A turnê de divulgação renderia o lendário álbum Live... In The Heart Of The City. Play que define a primeira fase da banda com exatidão, referencial para quem quer conhecer a essência do veneno da cobra branca.

David Coverdale (vocals)
Micky Moody (guitars)
Bernie Marsden (guitars)
Neil Murray (bass)
Ian Paice (drums)
Jon Lord (keyboards)

01. Fool For Your Loving
02. Sweet Talker
03. Ready An' Willing
04. Carry Your Load
05. Blindman
06. Ain't Gonna Cry No More
07. Love Man
08. Black and Blue
09. She's a Woman

Link nos comentários
Link on the comments


JAY

9 comentários:

Anônimo disse...

Whitesnake – Ready An’ Willing [1980]

92 MB
320 kbps

http://www.multiupload.com/16IO73W5IL

Anônimo disse...

O Live In The Heart... realmente é um discasso.

E esse é muito bom também. Me lembro que comprei em vini, usado, na época, e era a capa do Lovehunter. Quando fui escutar, uma grata surpresa. O vinil era o Ready An' Willing.

Espero que tragam o Come And Get.

Abraços!

Anônimo disse...

Muito legal o post!
Discão!!!
Valeu!

Eduardo Paiva disse...

Discasso!

DJ disse...

boa! relembrando velhos tempos...

jantchc disse...

puta banda

todos os discos deles são bons

inclusive este q é ótimo..

gde post

Anônimo disse...

Gosto de todos os álbuns do Whitesnake, nem tanto aquele acústico com o Vandenberg, e achei incríveis os dois mais recentes.
David Coverdale tinha que ter sua própria banda depois do fantástico "Burn" do Deep Purple. E merecidamente, fez sucesso com seu próprio som, imprimindo identidade e carisma com sua voz, convocando feras nos seus respectivos instrumentos, e nunca deixando a qualidade dos trabalhos cair.
Apesar dos exageros da era Hair Metal em termos visuais, o som de "Serpens Albus/1987" e "Slip Of The Tongue" é a demonstração pura de como a banda se encaixa perfeitamente entre os vários estilos de Rock Pesado das décadas.
Considero a discografia do Whitesnaker essencial para o verdadeiro Rocker, não pode sequer cogitar de não ter ao menos o meu preferido dessa época, "Saints & Sinners".
Ainda bem que assisti o Whitesnake no primeiro Rock In Rio, de 1985. Foi um dos melhores shows que já vi, e era o auge do "Slide It In", outro álbum fantástico.

Enfim, altamente recomendado para o Dia dos Namorados, para ouvir o professor que mais vezes empregou a palavra "Love" em seus trabalhos. Um beijo para as namoradas, ao som de "Love Ain't No Stranger".

Long Live Rock'n'Roll!

nandapeppers disse...

Outro discão! (aliás, acho a discografia do Whitesnake uma pérola - sim, sou fã mesmo!)

'Black and Blue' é aquele tipo de música que vc ouve e realmente tem vontade de cantá-la numa mesa de bar com os amigos...=PP

'Love Man' - Essa música me dá 'coisas' rsrsrs...a letra, o ritmo, a voz...Provocante na medida certa!

Beto Kupper disse...

Fantastic... this is actually half deep purple mark 3 and 4.