Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 19 de abril de 2010

The Red Hot Chili Peppers - One Hot Minute [1995]


Assim como boa parte dos álbuns "pós-formação clássica", pode-se dizer que "One Hot Minute" é injustiçado e até mesmo renegado da carreira do Red Hot Chili Peppers. Mas "One Hot Minute" é bem mais do que um disco diferente na discografia dos pimentas - além de envolver todo um conceito histórico durante toda a sua "fase", é um álbum excelente (e um dos meus prediletos).

Após o estouro de "Blood Sugar Sex Magik", antecessor de "One Hot Minute", os Chili Peppers estavam esgotados. O guitarrista John Frusciante, acabado pelas constantes apresentações e pelo abuso das drogas, se retirou da banda. Logo os remanescentes correram atrás de substitutos, pois haviam vários shows marcados para a turnê daquele. Arik Marshall e Jesse Tobias chegaram a tocar com a banda ao vivo e, apesar de serem bons, não encontravam a química do grupo.

Passada a época de marasmo, o até então ex-guitarrista do Jane's Addiction, Dave Navarro, passa a fazer parte da banda. Obviamente a influência de Navarro modificou o som do Red Hot Chili Peppers que, em setembro de 1995, concebeu "One Hot Minute". A gravação demorou quase um ano e foi difícil porque Anthony Kiedis voltou a usar drogas e Dave Navarro questionou tudo feito pela banda, até mesmo a escolha dos produtores.

Mas logo ao dar play nesse grande disco, nota-se que toda essa dificuldade foi recompensada, musicalmente falando. Em "One Hot Minute" encontram-se riffs pesados, expressiva utilização de wah-wah, linhas de baixo e de bateria furiosíssimas, letras mais melancólicas e menos sexuais, harmonias obscuras e, principalmente, vocais diferentes: mais esticados, mais berrados e menos "rappers". A presença de Dave Navarro explorou os Chili Peppers como músicos, principalmente Anthony Kiedis, que deixou as linhas vocais tranquilas de lado e realmente mostrou do que é capaz.

"One Hot Minute" é magnífico, repleto de extremos. Enquanto a direta e funkeira "Coffee Shop" retoma um pouco do estilo anteriormente abordado pela banda, com direito a um magnífico solo de baixo de Flea, a digna paulada "Deep Kick" mostra que a banda realmente mudou. Algumas belas baladas aqui presentes como "Tearjerker" e "My Friends" me emocionam enquanto verdadeiras pancadas na face como "Warped (minha predileta do play) e "Shallow Be Thy Game" são um deleite a ouvintes que apreciam canções com peso. E, claro, a radiofônica "Aeroplane" não pode deixar de ser citada, com mais furiosas linhas de baixo de Flea e um ótimo solo de Navarro.

Desconsiderando as vendas de seu antecessor, "One Hot Minute" foi um grande sucesso. Sete milhões de cópias no mundo todo, quarto e segundo lugares nas paradas americanas e inglesas, respectivamente, e três hit-singles em âmbito mundial. Mas como a mídia adora polemizar e comparar, o álbum foi dado como um sucessor fracassado de "Blood Sugar Sex Magik", que fez praticamente o dobro disso tudo. Como era de se esperar, Dave Navarro saiu da banda, alegando as clássicas diferenças musicais. Enquanto isso John Frusciante se afundava nas drogas, quase chegando ao céu pra dar um abraço no Criador. E mais previsível ainda: Frusciante, após se recuperar, é convidado para voltar à banda. A partir daí, só morando em outro planeta pra não saber do futuro da banda todos já conhecem: "Californication", "By The Way" e por aí vai.

Enfim, se meu caro leitor for limitado musicalmente, a recomendação que fica é: não baixe "One Hot Minute". Mas se meu caro leitor souber apreciar boa música, independentemente de gênero, não perca tempo e baixe essa pérola perdida!

01. Warped
02.
Aeroplane
03. Deep Kick
04. My Friends
05. Coffee Shop
06. Pea
07. One Big Mob
08. Walkabout
09. Tearjerker
10. One Hot Minute
11. Falling Into Grace
12. Shallow Be Thy Game
13. Transcending

Anthony Kiedis - vocal
Dave Navarro - guitarra, backing vocals
Flea - baixo, backing vocals, vocal em "Pea"
Chad Smith - bateria, percussão

Músicos adicionais:
Lenny Castro - percussão em "Deep Kick", "My Friends", "Walkabout", "Tearjerker" e "One Hot Minute"
Stephen Perkins - percussão em "One Big Mob"
Tree - violino em "Tearjerker"
John Lurie - gaita em "One Hot Minute"
Aimee Echo - backing vocals em "One Big Mob" e "One Hot Minute"
Kristen Vigard - backing vocals em "Falling Into Grace"
Gurmukh Kaur Khalsa - corais em "Falling Into Grace"

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

6 comentários:

Anônimo disse...

The Red Hot Chili Peppers - One Hot Minute [1995]
(86,9mb ~ VBR 192/256kbps)

http://lix.in/-77b6e1

jantchc disse...

com certeza vou baixar este cd..

adorava esta banda naquela epoca..

hoje eu acho q eles tão meio chatinhos, mas nos anos 90 eles eram foda..

dnlz disse...

Na boa , adoro o Frucisante, mas o Navarro arrebenta nesse album , vou te falar... e é pesadão apesar da viadinosidade das letras.
Valeu!

ey-eu-sou-rockstar disse...

disco impressionante! essa banda é foda

Gabriel L. F. Krüeger disse...

Rapaz, que discaço!

Anônimo disse...

i like pleasure spiked with pain and music is my aeroplane!