Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 12 de abril de 2011

Van Halen – Diver Down [1982]

Achei que já era hora de me dar o direito de postar um Van Halen, afinal, é um ponto a mais na carteira de motorista. Ou sete pontos na carteira, se pensarmos na penalidade máxima. Já tem um monte de postagens do Van Halen na Combe, o que me fez pensar: encontrarei algo que ainda falta? Achei! Diver Down, o disco.

Em 1982 o Van Halen já dominava o mundo como a melhor banda de hard rock. O guitarrista mais inovador desde Hendrix já mantinha seu status quo desde 1978 e reinava absoluto sem concorrentes à altura. Malmsteen e Vai ainda estavam tentando se firmar na cena, mas Eddie era o rockstar carismático que, no palco, parecia não se importar com os problemas da vida.


O Van Halen era uma febre, e na turnê desse disco, em 1983, foram a atração principal do grande US Festival, que contou com nomes tão importantes como Ozzy Osbourne, Scorpions, Motley Crue, Judas Priest, Quiet Riot, Triumph e uma constelação que fica difícil superar. Mas eles superavam rindo. Parecia brincadeira.



Ainda na formação clássica com Dave Lee Roth, o Van Halen teve em Diver Down seu último momento de sossego. Depois vieram os egos inflados e as brigas internas. O multiplatinado 1984 estourou nas paradas trazendo uma porrada de sintetizadores e Roth salta fora para seguir carreira solo. Aquilo era bom, mas não era o mesmo Van Halen de guerra, que parecia fazer música para tocar nas festas de repúblicas dos campus universitários dos Estados Unidos.

Para onde foram os bons tempos?

Diver Down é Van Halen em sua melhor forma, com as velhas e boas pirotecnias de guitarra que, por mais que estejam presentes a todo momento, não enchem a nossa paciência. É bom ouvi-las. Não existem teclados se sobressaindo, e os riffs de guitarra soam fantásticos, ainda com o famoso Brown sound (ou woman tone) de Eddie.

As letras estão mais maduras, mas não fogem das velhas e consagradas temáticas. Me admira que a frase “rock’n’roll all night and party every day” não tenha sido deles. Esse é o disco que traz a música (Oh) Pretty Woman, de Roy Orbison, na sua versão mais maluca. Distorções estranhas abrem a faixa que engrena com todos acompanhando o já elogiado timbre de Eddie. Um riff simples que, nas suas mãos, virou coisa de outro mundo. E isso não é para qualquer um.




Cathedral é o solo de Eddie com efeitos de echo (ele ainda não usava digital delay) e volume (o botão da guitarra, e não um pedalzinho). Dez entre dez guitarristas tentam imitar isso em algum momento da carreira. Assista o solo de Reb Beach no vídeo ao vivo do Winger de 2007 que você perceberá o que quero dizer.

Jan Van Halen, pai da dupla, toca clarinete em Big Bad Bill (Is Sweet William Now). Esse é o disco do Van Halen que mais tem covers, desde Kinks até Marvin Gaye, bem como três músicas/ vinhetas instrumentais. Isso talvez demonstre que a turma não estava se encontrando muito para compor na época, e que o clima estava azedando nos bastidores.




A capa do play é uma bandeira utilizada para indicar aos barcos que um mergulhador está na área, muito utilizada nos Estados Unidos. Perguntado sobre ela, Dave respondeu: “there was something going on that's not apparent to your eyes. You put up the red flag with the white slash. Well, a lot of people approach Van Halen as sort of the abyss. It means, it's not immediately apparent to your eyes what is going on underneath the surface”.

Será que era um aviso dos conflitos que acabaram por destruir essa formação cerca de dois anos depois? O problema é que agora, já velhos, eles tentam em vão repetir a mágica. Timming é tudo nessa vida.

Track List

1. Where Have All the Good Times Gone! (Ray Davies)

2. Hang 'Em High

3. Cathedral (instrumental)

4. Secrets

5. Intruder (instrumental)

6. (Oh) Pretty Woman (William Dees, Roy Orbison)

7. Dancing in the Street (Marvin Gaye, Ivy Hunter, William Stevenson)

8. Little Guitars (Intro) (instrumental)

9. Little Guitars

10. Big Bad Bill (Is Sweet William Now) (Milton Ager, Jack Yellen)

11. The Full Bug

12. Happy Trails (Dale Evans)


Michael Anthony (baixo)

Eddie Van Halen (guitarras)

Alex Van Halen (bateria)

David Lee Roth (vocais)


Link nos comentários

Link on the comments


Por Zorreiro

14 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?d8ipfyjw3vsc2do

Silver disse...

Acredita que cheguei a compactar esse álbum ontem mas não escrevi nada sobre?

Mandou bem. Diver Down é meio injustiçado, não recebe muita atenção por ser um momento crítico da banda. Mas mesmo assim os caras mandaram pra caralho.

Anônimo disse...

Recebi um convite pra ser amigo no facebook de vocês e foi quando conheci esse blog.
Myito maravilhoso o trabalho de vocês. Excelente a seleçao dos videos do facebook. Viciei e entro toda hora pra ver as atualizaçoes.

Aqui as postagens são muito boas. Os textos muito legais. Vcoes são massa. To gostando muito.

Combe do iommi - melhro blogg de rock que eu já vi!

Abraço - Leo

ZORREIRO disse...

Hehe
Silver. Essa situação já aconeteceu comigo umas 3 vezes aqui.
Já to com impressão que o Weschap crackeou meu pc, pois é o que adivinha todas as minhas intenções de postagens e se adianta.
Mas isso é que é legal na Combe. Tduo ao mesmo tempo agora.
Diver Down é conhecido como o disco de covers do Van Halen. Mas é bonzaço.

Anônimo disse...

Acho Van Halen, principalmente nessa época, maravilhoso.

E o clima entre eles começou a azedar depois do Fair Warning, se não me engano. Por que o Eddie queria as coisas mas sérias, mais pesadas, e o Lee Roth queria ser festeiro ainda, uma espécie de Ney Matogrosso Made In Usa.

E apoio o que vocês disseram a respeito do 'timming é tudo nessa vida'. Há um momento certo para fazermos as coisas. Não é apenas questão de know how.

E O Diver Down poderia não apenas indicar que a relação entre eles deveria ser vista para além das aparências, de uma forma um pouco mais profunda, mas que o próprio barco estava afundando.

Abrações de um fã incondicional de Van Halen.

Weschap Coverdale disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk... Sempre acontece isso! Ainda bem que não postou o que tem minha música predileta do Van Halen, vou fazer isso antes que alguem o faça!

Weschap Coverdale disse...

E só para afirmar: AMO LITTLE GUITARS!

Eduardo Paiva disse...

Van Halen com Roth é perfeito! Pena que pouco tempo depois ele sairia da banda como dito na resenha.
Valeu Zorreiro!

Anônimo disse...

CARA... LITTLE GUITARS UMA DAS MELHORES MUSICAS DO VAN HALEN...
COMERCIALMENTE NAO FOI BOM (NAO IMPORTA, PRA NÓS), MAS É UM DOS MELHORES NA EPOCA LEE ROTH... PERDE PARA FAIR WAIRNING E O PRIMEIRO SÓ

OBRIGADO, COMBE E ZORREIRO

YUSEF

romulo disse...

Esse disco do van halen é lindo, só perde p VH II, mas é muito bom
pode ter muitos covers e musicas instrumentais, mas é fodaaaaaa!!!

obs: little guitars é foda msm haha

Lyn disse...

Van Halen com Dave Lee Roth pra mim é a melhor formação!

Adorei o post!

P.S.: Estou sem pontos na minha carteira! :(

jantchc disse...

to ouvindo a discografia do VH bem aos poucos..

acabei de escutar o fair warning ontem..

tava me preparando pra baixar esse e acho postado aqui..

maravilha..

valeu..

Músico Amador disse...

Amigos,
Tenho todos os cd´s do Van Halen. Me impressiona como tem gente mais nova que adoa Satriani, Vai e não conhece Edward Van Halen.
Depois de Hendrix, Van Halen foi o maior a reinventar.
Do primeiro até o Diver Down, Eddie simplesmente deixou a todos de boca aberta.
Mais um post ducarái... Vocês sempre se superando.
PARABÉNS !!!!!

Anônimo disse...

Vééééí, o clipe de "Pretty Woman" ta entre a pior e a melhor coisa que ja vi na vida... não sei explicar esse paradoxo... mas é simplesmente algo surreal, surpreendente e sei la mais qual adjetivo posso dar para aquela obra de arte!