Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 12 de abril de 2011

Bruce Springsteen - Born In The U.S.A. [1984]

Desde o início de sua carreira, Springsteen sempre foi o artista que mais mostrou estar ligado com os sonhos, desilusões, esperanças e tristezas do povo norte americano. Isso ficou muito claro em discos como "Born To Run", em seu ressurgimento após o atentado de 11 de setembro com "The Rising" ou ainda a falta de esperança em "Darkness On The Edge Of A Town". Mas o ápice desse envolvimento se deu com o lançamento do mais celebrado disco de sua carreira, o clássico "Born In The U.S.A.".

A capa com ele de costas e ao fundo a bandeira americana e o título do mesmo podem deixar bem claro que ele era apenas mais um nacionalista babaca a fim de promover o "american way of life" para o restante do mundo. Mas para quem deixa a impressão inicial de lado, ao escutar principalmente a faixa-título, verá o quanto é veraz aquele famoso dito popular de que "as aparências enganam". Pois aqui temos uma crítica ao que acontecia com os soldados que voltaram derrotados do Vietnã, que ao contrário dos que participavam de outras guerras e que eram tratados como heróis, esses não tinham oportunidades assim que voltaram da guerra.


Mas apesar da crítica em algumas faixas do disco, com "Born In The U.S.A", Springsteen desejava soar mais pop, onde percebemos músicas com um direcionamento mais acessível para as rádios da época, inclusive onde vemos a ótima "E Street Band" utilizar sintetizadores pela primeira vez. E esse direcionamento acabou por ser algo certeiro, pois possibilitou um feito incrível para época. Das doze canções, sete atingiram o top 10 da Billboard, o álbum atingiu o primeiro lugar por quatro semanas, e permaneceu em segundo lugar dos mais vendidos por mais 18, perdendo apenas para "Purple Rain", que naquela época também havia estourado.

E para confirmar de vez o sucesso do disco, 15 milhões de cópias foram vendidas apenas em solo americano, ganhou diversos prêmios entre os quais quatro American Music Awards, um Grammy, um MTV Music Video Awards, um Brit Awards e um Juno Awards, só para citar alguns. Sem falar nas críticas positivas ao mesmo, onde choviam elogios de todos os lados, onde afirmavam que esse era o ápice tanto da E Street Band como a confirmação da posição de rock star para Springsteen. Apesar disso, ele tece comentários contraditórios sobre isso, dizendo que ele sentia indiferente quanto algumas canções deste, apesar de reconhecer a importância do mesmo para sua carreira.




Mas somos apresentados a algumas canções que são realmente irresistíveis. A poderosa "Born In The U.S.A." é um retrato brutal de como os que voltaram do Vietnã eram tratados, sem oportunidade e que terminavam como a letra da canção mesmo diz "como um cachorro que foi surrado demais". Então aquele coro no refrão não se trata da mais pura ironia de Springsteen e que acaba por enganar a quem não se dá o trabalho de escutar com atenção. "Downbound Train", juntamente com as clássicas "Dancing In The Dark" e "Glory Days" continuam a retratar de maneira não muito feliz o declínio da classe trabalhadora americana naquele momento.

Um dos grandes momentos deste é a linda "Bobby Jean", em que Springsteen se lamenta a maneira que Steve Van Zandt, que era guitarrista de sua banda de apoio e amigo pessoal rompeu com ele para seguir em uma carreira solo, em uma linda declaração de amizade, com destaque para última estrofe:

"Em algum quarto de motel
Haverá um rádio tocando
E você vai me ouvir cantando esta canção
Bem se você fizer, você saberá que
Estou pensando em ti
E em todas as milhas que nos separam
Estou chamando pela última vez
Não para fazer você mudar de idéia
Mas só para dizer que sinto sua falta baby
Adeus e boa sorte, Bobby Jean"

Ainda destaco deste a energética "I'm Goin' Down" e "I'm On Fire". Um registro que se tornou um clássico e hoje figura em praticamente todas as listas feitas de grandes álbuns feitos nos anos 80. Mais um que entra para a lista dos obrigatórios a estarem em sua coleção e que tem de ser ouvido uma vez na vida.




1.Born in the U.S.A.
2.Cover Me
3.Darlington County
4.Working on the Highway
5.Downbound Train
6.I'm on Fire
7.No Surrender
8.Bobby Jean
9.I'm Goin' Down
10.Glory Days
11.Dancing in the Dark
12.My Hometown


Bruce Springsteen – Vocais, Guitarra, Violão
Nils Lofgren – Guitarra, Bandolim, Backing Vocals
Clarence Clemons – Saxofone, Percussão
Roy Bittan – Piano, Sintetizador
Danny Federici – Órgão, Piano em "Born in the U.S.A."
Garry Tallent – Baixo
Max Weinberg – Bateria

By Weschap Coverdale

10 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?2nw3chtsttntr9j

Katia Barbosa disse...

Amei!!!! Recordei minha pré-adolescencia!!! Mto bom!!! Não sou Facebook, mas curti!!!

Inté a próxima

pango disse...

pior capa do mundo

Anônimo disse...

fino! Classico! OBRIGADO por relembrar coisas boas!"

ZORREIRO disse...

Cara, a resenha ficou simplesmente demais! Parabéns.
Agora só falta arrumar um motocross pra ficar assistindo enquanto esse som rola no fundo.

Anônimo disse...

bruce é muito bom e esse disco em especial marcou minha adolescencia! Gratíssimo!!!!

Ingsoc disse...

Um discaço que sempre foi muito, mas muito malhado pela crítica (inclusive entrando na famigerada lista de piores discos da Bizz).

Uma pena, porque se é um Bruce Springsteen pop, ainda sim é um Bruce Springsteen. Obrigatório!

Lyn disse...

Você falando do Bruce é igualzinho a mim falando do Extreme... Fica difícil poupar os elogios!
Excelente texto, amigo!
Bjs.

HENRIQUE disse...

BRUCE SPRINGSTEEN É FODÁSTICO !!! FENOMENAL, ELE E SUA E STREET BAND !!! POST MAGNÍFICO DE UM ÁLBUM MAGNÍFICO !!! PARABÉNS COMBI DO IOMMI POR NA TRAZER SEMPRE "GLORY DAYS" COM SEUS POSTS !!! VALEU !!!

Anônimo disse...

TOP 10 - ANOS 80. ESSENCIAL!