Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 2 de maio de 2011

ZZ Top – Fandango [1975]


Filho, bote lenha na churrasqueira e abra uma gelada. Vai começar o bailão do Texas, no melhor estilo woogie boogie all night long. Let's grill!!

Se você está acostumado ao ZZ Top com sons superprocessados e aquele visual clássico de barba quadrada que estourou nas paradas de sucesso mundiais com Eliminator, prepare-se para conhecer a verdadeira face desses churrasqueiros metidos e rock’n’rollers. Face, aliás, sem barba.

That little band from Texas, como eles mesmos se qualificam, foi um dos mais ferozes power trios dos anos 70. Enquanto os ingleses brincavam de dar peso ao blues, criando o hard rock que conhecemos e é fruto do trio Led/Sabbath/Purple, os americanos estavam atolados na lama do Mississippi até o pescoço. E gostavam disso.

Eeeeeehhh.... melhor com barba...
Sobre os músicos, alguns apontamentos importantes. Billy Gibbons foi guitarrista de uma banda de blues rock do final dos anos 60 chamada The Moving Sidewalks. Eles abriram para Jimi Hendrix na turnê de 68, ocasião em que o divino Hendrix disse, no palco, que Billy era o melhor guitarrista americano que ele conhecia. Só! Dusty Hill é o cara por trás da melhor voz do ZZ Top. É ele quem canta a famosíssima Tush. Frank Beard é o cara que tem barba no sobrenome, mas o único dos três que não é barbudo (atualmente ostenta um cavanhaque bagaceira).

Fandango é o quarto disco da banda, gravado meio ao vivo/ meio no estúdio. A versão remasterizada (da postagem) trouxe ainda três outras versões ao vivo de clássicos já consagrados. Durante os anos 80 o play foi remixado para ser lançado em cd, e perdeu muito da crueza original. Somente em 2006 foi relançada a versão remasterizada com a mixagem original, com os referido bônus tracks. Temos aqui, portanto, a finura e a sutileza do trabalho original.

Thunderbird abre o play com o início do show que eles faziam na época. Gibbons usava sua famosa Gibson Peraly Gates, o que lhe conferia um timbre único. A cozinha é impressionante. Nunca um power trio completou tão bem os espaços sonoros de uma apresentação. Os barbudos intercalam os vocais com maestria. Em seguida temos o clássico Jailhouse Rock, que Elvis Presley lançou em áudio e vídeo. Mas o que os texanos fazem aqui é de matar. Dá vontade de dançar o fandango. Confira o que eu disse sobre a voz mortal de Hill.

Backdoor medley é excelente. Riffs calcados no blues rock com identidade própria. Lembra, por vezes, os Allman Brothers, mas sem conotar qualquer espécie de cópia ou plágio. Mais cru e mais agressivo. Nasty Dogs and Funky Kings inicia os trabalhos de estúdio. Um riff muito melhor do que a maioria daquilo que se fazia na época.

Blues Jean Blues é blues lento, na melhor escola Hendrix. Balinese é tudo o que os Stones tentaram fazer a partir de Sticky Fingers e nunca conseguiram (e não estou menosprezando os ingleses, apenas exaltando a qualidade do ZZ Top). Mexican Blackbird é um bluegrass muito engraçado. Aliás, humor sempre foi uma qualidade latente no trio.

Tush é o rockão que influenciou toda uma geração. Segundo Biggons, Dusty Hill cantou de improviso numa sessão nos estúdios Muscle Schoals e a versão que saiu (letra e música) é a que perdura até os dias de hoje. Harmônicos que influenciaram até Eddie Van Halen.

Some isso tudo ao fato de que os discos deles sempre foram os mais fáceis de se achar nas prateleiras das lojas (é só procurar de trás pra frente; nada vem depois de ZZ na ordem alfabética), e teremos um clássico.

Track List

1. Thunderbird
2. Jailhouse Rock
3. Backdoor Medley: Backdoor Love Affair/Mellow Down Easy/Backdoor Love Affair No.2/Long Distance Boogie
4. Nasty Dogs And Funky Kings
5. Blue Jean Blues
6. Balinese
7. Mexican Blackbird
8. Heard It On The X
9. Tush
10. Heard It On The X (ao vivo, bônus da versão expandida e remasterizada)
11. Jailhouse Rock (ao vivo, bônus da versão expandida e remasterizada)
12. Tush (ao vivo, bônus da versão expandida e remasterizada)

Dusty Hill (baixo e voz)
Billy Gibbons (guitarra e voz)
Frank Beard (bateria)

Link nos comentários
Link on the coments

Por Zorreiro

9 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?zxafk8d091f2ifm

Ricardo Brovin disse...

Clássico!!!baixando vlw!!!

Gabriel disse...

Zorreiro como sempre arrebentando na resenha! Baixando!

Legusta disse...

Zorreiro,conhece pra caramba de Blues & Rock,parabéns pelas postagens.

Arno Materiais Eletricos disse...

porra bitcho, fazia umas semanas q eu nao baixava nada da combe.
é só o Zorreiro aparecer e ja manda esse post sensacional

мєαиѕтяєєт disse...

Cara, vou te confessar, eu ADORO os seus textos!

Continue assim, surpreendendo pelo bom gosto musical e escrevendo de forma tão gostosa de ler!

Abrexxx!!!

ZORREIRO disse...

Eita que fiquei cheio das soberba.
Brigado, galera. Adoro escrever e trabalho com isso. Pra mim escrever aqui é sair da escrita/trabalho e passar para a escrita/diversão.
Tem coisa melhor que escrever esses textos? Só o reconhecimento da galera. Muitíssimo obrigado mesmo!

Eduardo disse...

BOAAAAAAAAAAAAAAAA!!
Esse eu ja tenho, mas ZZ Top é sempre bem vindo, escutem galera!!! Belo Post, a galera da Combe é Foda!

Anônimo disse...

Esse disco é o bicho da goiaba! Parabéns pessoal da combe pelos clássicos postados e ótimos comentários. Continuem assim!