Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 15 de junho de 2010

Aerosmith - Rocks [1976]


Guns n' Roses? Poison? Mötley Crüe? Se você é fã de uma dessas bandas, tem de agradecer a cada dia de sua vida a trupe Steven Tyler, Joe Perry, Tom Hamilton, Brad Whitford e Joey Kramer, pois estes foram os grandes responsáveis por pavimentar o caminho do que viria a se tornar o Hard Rock americano dos anos 80. E o principal responsável por isso foi o álbum que falaremos agora, o grande Rocks.

Para aqueles que contestam isso, olhem esses comentários, de dois dos grandes guitarristas de todos os tempos:

"O grande estalo para mim aconteceu quando eu tinha 14 anos. Eu estava tentando pegar uma garota mais velha fazia um tempo, e ela finalmente me deixou ir até a casa dela. Nós relaxamos, puxamos um fumo e ouvimos o Rocks do Aerosmith. Ele me atingiu como um caminhão de uma tonelada. Eu fiquei lá sentado ouvindo repetidamente, e ignorei completamente essa garota. Eu me lembro de voltar de bicicleta pra casa da minha avó sabendo que a minha vida tinha mudado. Agora eu me identificava com alguma coisa". Slash (Guns N' Roses)

"Existem poucas bandas que me excitam como o Aerosmith. A sua música é sexy. Se não fosse pelo Aerosmith não haveriam tantas minissaias hoje na América." (Ted Nugent)

Para a minha geração, que está acostumada com o Aerosmith comportado e de baladas como "I Don't Wanna Miss a Thing", saiba que nos anos 70 eles estavam muito longe disso. Para se ter idéia, os dois principais integrantes do grupo, Perry e Tyler, eram conhecidos como Toxic twins (Gêmeos tóxicos), devido ao consumo excessivo de drogas. Mas foi nessa fase que a banda teve seu ápice criativo, primeiro em 1975 lançando o clássico "Toys In The Attic", onde começaram a trilhar seu caminho rumo ao estrelato, mas que se concretizou com "Rocks".



E o álbum já começa com acordes explosivos da guitarra de Perry e mais a marcação pesada da cozinha da banda na encantadora "Back In The Saddle", onde somos transportados para o velho oeste americano, com os vocais rasgados de Tyler e atuação perfeita de toda banda, onde podemos nos sentir dentro da história contada na música e como se estivéssemos em um "saloon", vendo tudo aquilo ocorrer. Logo em seguida, sem tempo nenhum para descanso, temos uma introdução enganadora, onde pensamos que virá uma balada, mas ao contrário, "Last Child" vem com um swing funkeado muito bom de ouvir, onde o destaque é Brad Whitford, com sua guitarra base cativante.

Após o início arrebatador, temos a punk "Rats In The Cellar", onde a banda mostra sua insanidade, em que relembram seus tempos antes da fama. A stoniana "Combination" fecha o lado A do álbum, que tem um show de Joe Perry, onde você viaja e pensa que é o próprio Keith Richards nas guitarras.

A experimental "Sick as Dog" com todos os integrantes trocando de instrumentos também é um dos pontos altos do álbum, com uma das melhores atuações de Steven Tyler e com um final extasiante com três guitarras, quando no final Tyler assume mais uma guitarra.

"Nobody's Fault" começa e fica pergunta: Isso é realmente Aerosmith? Uma canção com um quê de Led Zeppelin, onde apenas reconhecemos que realmente é Aerosmith pela voz de Tyler, mas que passaria desapercebida em qualquer álbum do Zeppelin, e sabemos que isso já é um baita sinal de qualidade.

A cheia de swing "Get The Lead Out" é um hard rock daqueles que só o Aersomith sabe fazer, apimentado que descreve da melhor maneira o comentário de Ted Nugent feito acima. Realmente não tem como negar, as músicas do Aerosmith tem um certo ar sexy que só eles sabem dar a uma canção. Após temos o hardão "Lick and A Promise" com seu ar vintage, mais uma vez mostrando a diferença do Aerosmith dos anos 70/80 para o insoso que temos hoje, que vive de baladas para rádio.

Finalizando o álbum, temos a balada "Home Tonight", com a guitarra de Joe Perry guiando uma balada mais direta e sem muitas firulas para acalmar qualquer alma desafortunada, com uma letra triste, totalmente diferente das que eles fazem hoje.

Resumindo, para aqueles que desejam saber de onde se originou o Glam Rock dos anos 80, nada melhor que este álbum, onde temos a essência e influência de tudo o que viria ocorrer na década seguinte. Que saudade do Aerosmith dessa época!

LINK NOS COMENTÁRIOS
LINK ON THE COMMENTS

01.Back in the Saddle
02.Last Child
03.Rats in the Cellar
04.Combination
05.Sick as a Dog
06.Nobody's Fault
07.Get the Lead Out
08.Lick and a Promise
09.Home Tonight

Steven Tyler - Vocais
Joe Perry - Guitarra Solo
Brad Whitford - Guitarra Base
Tom Hamilton - Baixo
Joey Kramer - Bateria



By Weschap Coverdale

7 comentários:

Anônimo disse...

http://www.multiupload.com/5TU60R03KJ

jantchc disse...

não gosto muito do aerosmith, mas queria deixar registrado q esta foi uma ótima resenha..

Rodolfo disse...

eu sou diferente gostei da resenha e gosto de AEROSMITH !!! então farei o download beem faceiro !!!
valew equipe da Combe !!!

Eduardo disse...

Classico, Fodastico.

diogo disse...

finalmente achei a combe..
grande trabalho galera.

Anônimo disse...

link ta broken... =/

Trovator disse...

É, o link tá quebrado. Galera da Combe pode consertar?