Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sábado, 3 de julho de 2010

Deep Purple - Philadelphia 1991 [1991]


Em 1989, a primeira reunião da formação clássica do Deep Purple tinha fim. Ritchie Blackmore demitiu Ian Gillan alegando diferenças musicais (pra variar). Para o cargo de vocalista, o ex-vocalista do Rainbow de Blackmore, Joe Lynn Turner, foi convocado. A line-up lançou "Slaves & Masters" em outubro de 1990 e embarcou em uma turnê que durou por todo o ano de 1991 e, inclusive, foi a primeira que passou pelo Brasil.

"Philadelphia 1991" é um dos melhores, quiçá melhor, bootlegs dessa famigerada turnê que, apesar de ter sido um sucesso, não angariou boas vendas para o play. O show se deu no dia 20 de abril de 1990 no Tower Theater de Filadélfia, cidade norte-americana da Pensilvânia. A captação do som foi realizada diretamente da mesa de som, ou seja, tem a melhor qualidade que se pode encontrar.

A bootleg mostra um Purple renovado, com um repertório bem diferente do que costumavam fazer (o mesmo repeteco de sempre). Clássicos do cunho de "Lazy", "Perfect Strangers" e "Smoke On The Water" aliaram-se perfeitamente às novas - e excelentes - canções como "Truth Hurts", "Fire In The Basement" e "Love Conquers All", e tem-se algumas surpresas como "Burn", que não era executada pelo grupo desde 1976, e o instrumental "Difficult To Cure", baseado na Nona Sinfonia de Beethoven e rearranjado por Blackmore, Roger Glover e Don Airey nos tempos de Rainbow.


Em relação à performance, não há nada a reclamar: o entrosamento é impecável, os improvisos de sempre estão mais fantásticos do que nunca, o instrumental não peca em uma nota sequer e Joe Lynn Turner, vocalista de se tirar o chapéu, não faz feio nem um pouco. Mesmo posando de galã, aqui ele se mostrou um filho bastardo de Gillan no que tange à voz, pois os timbres são parecidíssimos, apenas mudando o modo de cantar.

Infelizmente Turner foi despedido ao fim da turnê e Gillan voltou para a turnê de 25 anos de aniversário do Purple. O resto todo mundo já sabe - Blackmore pulou fora no meio da tour subsequente, Joe Satriani foi convocado mas não quis assumir a pedrada e Steve Morse acabou assumindo o posto.

Por fim, novamente ressalto que o registro é incrível. Faz qualquer fã de Deep Purple sonhar com Ritchie Blackmore voltando a fazer Rock n' Roll e ficar de boca aberta com tamanha competência demonstrada do início ao fim. Confiram!

CD 1:
01. Burn
02. Black Night
03. Truth Hurts
04. The Cut Runs Deep
05. Perfect Strangers
06. Fire In The Basement

CD 2:
01. Love Conquers All
02. Difficult To Cure
03. Knockin' At The Back Door
04. Lazy
05. Highway Star
06. Smoke On The Water (incl. Woman From Tokyo)

Joe Lynn Turner - vocal
Ritchie Blackmore - guitarra
Roger Glover - baixo, gaita, backing vocals
Jon Lord - órgão, teclados
Ian Paice - bateria

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

12 comentários:

Anônimo disse...

Philadelphia 1991

CD 1:

http://www.multiupload.com/QWJCV2NF26

***

CD 2:

http://www.multiupload.com/YD5Z5O4C9Q

crisscat disse...

buenisimo aporte, gracias amigo!!

Anônimo disse...

A ver como suena.Gracias

Elton disse...

Alguém sabe se esse é o mesmo set list do show em SP, Ibirapuera?

JORJAOFONSECA disse...

Caras, belo post,Deep Purple e´sempre prazeroso ouvir, particularmente não gosto do Joe Lyn Turner,mas não dá pra negar que ele estava muito bem acompanhado aki e se não tivesse qualidade não estaria nessa verdadeira instituição do hard/heavy metal, é só questão de gosto mesmo.

jantchc disse...

puta post...

adoro o DP e o JLT, os dois juntos então é muito bom..

mas mesmo assim o DP é do Gillan e ninguem tasca, portanto eu discordo do seu "infelizmente" referente a saida do JLT da formação..

de qualquer modo muito obrigado pela pepita..

Silver disse...

Elton, o setlist da turnê toda foi basicamente esse. Houveram no máximo algumas variações como a retirada de Burn ou improvisos maiores.

jantchc, de fato Deep Purple é com o Gillan. Meu "infelizmente" foi dito porque eu esperava mais discos dessa trupe aí.

Abraços!

jantchc disse...

eu tb gostaria q houvessem mais discos do DP com o JLT, mas depois de uma entrevsita q eu li do cara, fiquei feliz q ele foi embora..

ele disse q tava escrevendo o battle rages on com o jim peterik do survivor e queria q o DP seguisse o q o aerosmith tva afazendo..

virar uma banda completamente comercial e baladeira....

isso não pode, isso não dá..

Edhendrix disse...

Estive no show do Ibirapuera p/ apresentação da banda Deep Purple que praticamente me jogou pra dentro do rock,e vc não imagina a felicidade de ver este post da mesma tour que passou pelo Brasil,pois a acústica do Ibirapuera é horrivel e eu praticamente só curti o visual da banda emcima do palco.
Onde agradeço esse presentão,pois a emoção de ouvir e relembar aquele show é demais.

Aproveito para parabenizar o blog,pois tem muita coisa interessante e estou conhecendo bandas muito boas,e pelo jeito vou fazer com prazer muitas visitas,valeu,grande abraço!

Anônimo disse...

EU GOSTEI DESTA FORMAÇÃO, FOI A PRIMEIRA VEZ QUE VIERAM NO BRASIL E EU GOSTEI BASTANTE, ABRAÇOS.

Joao disse...

tenho ouvido bastante o Slaves and Masters ultimamente e to gostando bastante do JLT no DP. Valeu pelo post!

Anônimo disse...

Blz ai? to baixando mas realmente nem tem comparação Ian Gillan é foda demais, eu vi o boiola do J.L.T. junto com o Tony Martin aqui no Manifesto Bar, o gayzão não parava de agarrar o guitarrista que era brasileiro, fora isso canta muito tks pelo post.