Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Queen - News of the World [1977]


O Queen já era uma banda reconhecida em 1976, tendo lançado clássicos que marcaram a história do rock e já os colocavam no panteão dos grandes nomes do rock mundial naquela altura. Após discos trabalhados e que apostavam alto na complexidade musical, eis que no ano seguinte, eles entram em estúdio para a produção de um disco que foi feito sob medida para alcançar ainda mais as massas. Em julho de 1977 a banda entra em estúdio sob a produção de Mike Stone e em 28 de outubro do mesmo ano lançam o ainda mais clássico "News of the World".

Inicialmente a crítica caiu matando em cima da banda, devido a grande mudança que ocorreu no som deles, deixando de ser progressiva como anteriormente e mostrando uma faceta muito mais pop, mas isso foi mudando drasticamente com os lançamentos dos singles e a ótima recepção do disco ao redor do mundo, chegando ao primeiro lugar em nove países (inclusive no Brasil). Em vez de ser um demérito, esta mudança mostrou uma nova faceta da banda e que era tão boa quanto em sua fase inicial, com música feitas sob medida para serem executadas perante uma multidão, com melodias marcantes e de excelente bom gosto.

E logo de cara somos bombardeados com dois dos maiores clássicos da história do rock. Só para começar temos uma das maiores (senão a maior) rock anthems da história, a simplória e contagiante "We Will Rock You" e que com certeza é conhecida até por aquele seu vizinho rabugento que gosta de Amado Batista. Só com seu início já é perceptível o poder que esta canção tem, se tornando pegajosa e marcante logo na primeira audição. Após esse estrondo, "We Are the Champions" só vem para atestar a excelente fase criativa da banda, e se trata de outro grande sucesso, e que Mercury escreveu pensando em futebol e que se tornou o hino dos vitoriosos.

"Sheer Heart Attack" é uma baita paulada, soando quase como um punk rock, agressiva, rápida e matadora, com uma atuação sublime de toda a banda. Após esse momento desenfreado, "All Dead, All Dead" serve para acalmar os ânimos com seus pianos e vocal quase que sussurando de Mercury, abrindo também caminho para uma das mais belas canções da carreira do Queen, a balada "Spread Your Wings", que consegue amolecer qualquer coração de pedra e com uma letra extremamente otimista, quase que uma auto ajuda e com um Mercury cantando como nunca, aliada a uma melodia marcante, assim como muitas outras desse disco.

"Fight From the Inside" cadencia tudo e dá mais atenção ao baixo e a bateria que a guitarra, algo incomum se tratando de Queen e que continua na sensual "Get Down, Make Love", com seus curiosos efeitos executados clássica Red Special de May. A bluesy "Sleeping on the Sidewalk" cantada por May é mais uma excelente canção, ideal para quem é chegado em um blues rock bem feito, sendo que o fato de a mesma ter sido gravada em um take e sem a consciência da banda que eles estavam apenas gravando e sim apenas praticando é ainda mais surpreendentemente, mesmo com algumas leves escorregadas de Deacon e deixando claro que eles eram músicos excepcionais.

"Who Needs You" é agradável e tranquila e uma letra muito legal de superação de um relacionamento mal sucedido em uma guitarra espanhola ainda mais agradável, ressaltando a versatilidade da banda. Temos mais uma linda balada, "It's Late" mostra a capacidade da banda de fazerem músicas marcantes, principalmente no belo refrão, em que temos três atos diferentes, retratando a complexidade das pessoas ao lidarem com seus próprios sentimentos durante um relacionamento, desde a incerteza de um amor não correspondido, passando pela tentativa de salvar um amor fracassado e finalizando com a libertação de algo que não vale a pena lutar, em uma letra genial. Finalizando este excelente disco, temos "My Melancholy Blues", com Mercury em uma bela interpretação vocal e fechando esse disco com chave de ouro.

Um grande disco que confirma que mudanças podem ser muitos boas para uma banda que realmente tenha qualidade, o que era algo que não faltava ao Queen. Essencial em sua coleção!

1.We Will Rock You
2.We Are the Champions
3.Sheer Heart Attack
4.All Dead, All Dead
5.Spread Your Wings
6.Fight from the Inside
7.Get Down, Make Love
8.Sleeping on the Sidewalk
9.Who Needs You
10.It's Late
11.My Melancholy Blues

Freddie Mercury: Vocais, Piano, Backing Vocals, Percussão
Brian May: Guitarras, Violões, Vocais, Backing Vocals, Percussão, Piano em "All Dead, All Dead"
Roger Taylor: Bateria, Guitarras, baixo, Vocais, Backing Vocals
John Deacon: Baixo, Violões

LINK NOS COMENTÁRIOS
LINK ON THE COMMENTS



By Weschap Coverdale

8 comentários:

Anônimo disse...

http://www.multiupload.com/MNWDQC6U6N

Ruben disse...

O blog já deve estar de volta algum tempo depois daquele apagão que rolou no primeiro semestre... mas somente hoje estou vendo e fico feliz com a volta da Combe.
Abraços.

Anônimo disse...

Queen é d+

Anônimo disse...

simplesmente sensacional esse post.valeu combe!!

Denilson disse...

Queen, uma banda fantastica, Freedie Mercury, uma voz sem igual que jamais sera copiada, grande post e parabens pelo trabalho a toda equipe da combi...

Valeu galera!!!!

romulo disse...

carambolas!
ouvi esse album hoje hahaha
com certeza é muito bom! otimo post, texto de qualidade. vale a pena quem ainda nao ouviu. abraços

PIXITO disse...

SIMPLEMENTE SENSACIONAL: GOD SAVE THE QUEEN!!!!!!

Gabriel L. F. Krüeger disse...

Muito boa a resenha, tão boa quando o disco.