Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

domingo, 8 de agosto de 2010

W.A.S.P. - Babylon [2009]


"Babylon" é o mais recente lançamento do W.A.S.P., lançado de forma independente pela Demolition Records em novembro de 2009. Semi-conceitual, o álbum aborda as visões bíblicas dos quatro cavaleiros do Apocalipse - temática que Blackie Lawless, o frontman, anda abordando cada vez mais em suas composições.

A sonoridade retratada aqui é um mix perfeito entre dois discos do grupo: "The Last Command", clássico da fase Hard, frenética, sanguinária e pervertida; e "The Crimson Idol", pepita conceitual com um pé e meio no Heavy Metal. "Babylon", em suma, mantém vários elementos que popularizaram o nome W.A.S.P. nos anos 1980 mas inclui a maturidade e a visão musical adquiridas por Lawless ao longo do tempo. A ideia foi colocada em prática em "Dominator" e aqui tem-se uma fervorosa continuação.

Blackie Lawless é o destaque por aqui, e sempre será, pois é um gênio. Canta muito bem, é um multi-instrumentista competentíssimo e compõe versos de se tirar o fôlego. Mas é covardia deixar de citar a habilidosa formação que está com ele. Doug Blair, guitarrista durante apresentações na época do "The Crimson Idol" e durante a turnê "Unholy Terror" (onde foi estepe de Chris Holmes, que abandonou o barco), simplesmente destruiu nessas gravações, se mostrando mais solto nos solos e licks do que antes. Mike Duda, desde 1997 com Blackie, tem competência comprovada nos outros sete discos que gravou. Mike Dupke, a surpresa mais agradável, apresentou-se como um baita de um baterista, tocando de uma forma precisa e pesada, no estilo de mestres do gênero como Frankie Banali e Eric Carr.

A abertura com "Crazy" mata à paulada. Engana-se quem pensa que a criatividade acabou só por conta do riff inicial, semelhante ao de "Wild Child", hit de 1985. Refrão grudento e performance impecável de Blackie nos vocais. A rápida e frenética "Live To Die Another Day" vem em seguida, com um pedaço do pé no metal, e ótimas execuções de Blair. "Babylon's Burning" descamba esse pé e o outro no Heavy, apresentando uma melodia galopada e muito peso na cozinha dos Mikes.


"Burn", cover do Deep Purple, foi gravado nas sessões do disco "Dominator", de 2007, mas não entrou no produto final sabe-se lá porque. Deveria, pois o quarteto arregaça nessa, que exige habilidade ímpar em todos os instrumentos. "Into The Fire" é uma ótima semi-balada que cativa o ouvinte logo de cara. "Thunder Red", hardeira de primeira, dá sequência à bolacha com qualidade.

"Seas Of Fire" novamente retoma a veia metálica, na pegada das mais inspiradas pérolas 'waspeanas' noventistas. "Godless Run", outra balada, é devagar e melódica, contendo mais uma performance aplausível de Lawless. Por fim, o cover de "Promised Land", clássico de Chuck Berry imortalizado pelo rei Elvis Presley, quebra o clima e mais soa como uma faixa bônus como parte da obra, mas garante diversão e fecha o disco com chave de ouro.

Mesmo lançado sob selo independente, "Babylon" conseguiu notável repercussão, atingindo o 15° lugar das paradas inglesas destinadas à lançamentos independentes, bem como a 24ª e a 31ª posições dos charts gerais suecos e finlandeses, respectivamente. "Crazy" e "Babylon's Burning" viraram singles e esta ganhou um clipe - o primeiro deste "Black Forever", de 1995.

Mas todo o sucesso ao quarteto não é suficiente ao meu ver, já que são uma das poucas bandas do passado que continuam fiéis aos seus fãs e ainda lançando discos sem repetições chatas, vide outras por aí que simplesmente reciclam e colocam no mercado para que os trouxas comprem. Mas dinheiro cada um gasta com quem quer e gosto é que nem braço: tem gente que não tem.

Com vocês, um dos melhores álbuns do ano passado e, ao meu ver, o melhor desde "Still Not Black Enough": "Babylon"!

01. Crazy
02. Live To Die Another Day
03. Babylon's Burning
04. Burn (Deep Purple cover)
05. Into The Fire
06. Thunder Red
07. Seas of Fire
08. Godless Run
09. Promised Land (Chuck Berry cover)

Blackie Lawless - vocal, guitarra
Doug Blair - guitarra, backing vocals
Mike Duda - baixo, backing vocals
Mike Dupke - bateria

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

Carninha pra todos os gostos, se é que me entendem.

12 comentários:

Anônimo disse...

Babylon [2009]
(57,9mb ~ 192kbps)

http://www.multiupload.com/H9E3ENH8DK

Buda disse...

sonzaço do ca*alho!!!

Leh disse...

Valeuuuu =) Ainda não escutei o album, mas se tratando de WASP não tem como não esperar algo foda !!!

R. coelho jr disse...

discão muito foda

WASP sempre surpreendendo

clássico!

Danilo Campos disse...

Este já tenho graças a uma postagem mais antiga da combe. Muito grato. A faixa de abertura é impressionante. Fiquei um pouco decepcionado com Burn... Deveria ser proibido fazer cover desta música. Além de lugar comum, ninguém conseguiu chegar perto da qualidade da versão original...

GrassHoper disse...

Para mim esse álbum já nasceu clássico! Melhor álbum da banda, pelo menos desde o Helldorado. A banda arrasou na perfomance nesse play, em especial o guitarrista Doug Blair, que está tocando MUITO desde os dois Neon God, principalmente nos solos!

Excelente repostagem, Silver!

Anônimo disse...

Hahaha esse Blackie é muito fanfarrão mesmo

Tadeu disse...

esse e daqueles que se diz,veja o filme ,compre o disco,compre a fita.um dos melhores albuns que ja escutei.

Taliban Sexy Trucker disse...

De fato esse cd do WASp ficou mto do caralho, sensacional

Dr. Heart disse...

ta ai mais um som que faz um tempo q eu to curioso p apreciar.

Anônimo disse...

grande disco grande banda, voltou a lançar bons albuns eo dominator ja esta otimo esse veio melhor ainda

judah Ben Hur (Vitória-ES) disse...

A versão de "BURN" é muito foda!!, e a melhor que existe!! chega a ser melhor que a original!! versão fudida mesmo!!