Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sábado, 25 de setembro de 2010

Alice In Chains - Black Gives Way to Blue [2009]

Nos últimos dias, os motoristas Bruno Gonzalez e Alvaro Corpse corrigiram a falta de Alice In Chains no acervo da Combe. Assim, este que vos fala, como fã incondicional, se sentiu obrigado a participar disso, postando o retorno triunfal do que foi uma das maiores bandas da década passada.

O Alice In Chains nasceu em Seattle, nos anos de efervescência underground que prescederam o estouro internacional do grunge. O som da banda era uma combinação suja de hard rock com heavy metal, única pelas incríveis composições de Jerry Cantrell, pela cozinha destrutiva de Mike Starr (e depois Mike Inez) e Sean Kinney, e principalmente pelos vocais rasgados do inigualável Layne Staley. Tudo isso em um clima sombrio e com lírica pessimista focada em temas como vício, depressão e morte. Ou seja, prato cheio para o público jovem da época.

Sempre evoluindo do hard ao heavy, a o quarteto lançou as obras primas Facelift, Dirt e um auto-intitulado (conhecido como Tripod), em ordem crescente de influência do heavy metal, se consolidando como uma das maiores instituições do rock pesado dos anos 90.

Depois do Tripod, porém, a situação de Layne Staley foi tornando-se muito complicada. Viciado em heroína e deprimido desde a adolescência, o vocalista acabou saindo da banda e se afundando num isolamento regado à drogas até 2002, quando foi encontrado morto em sua casa, vítima de overdose.

O futuro do grupo parecia certo: o fim. Entretando, em 2005, para um show beneficiente, os três remanescentes se uniram a alguns vocalistas convidados, entre eles Pat Lachman (Damageplan) e Maynard James Keenan (Tool). Depois eles ainda viriam a tocar com Phil Anselmo e Willian DuVall. Esse último, cuja banda, Comes With the Fall, havia aberto para a carreira solo de Jerry Cantrell anos antes, seria escolhido para entrar em uma pequena turnê com o Alice pelos EUA. Em 2008, veio a notícia de que o quarteto estava escrevendo material novo. Era a volta do Alice In Chains.

O lançamento de Black Gives Way to Blue foi agendado para setembro de 2009, sob uma expectativa enorme dos antigos fãs. Mas, tão logo lançado, o álbum se tornou unanimidade. Certificado como disco de ouro, emplacou topo da Billboard com "Check My Brain" e "Your Decision".

E vamos a ele. BGWtB é um trabalho moderno, porém remete de maneira impressionante ao Dirt e principlamente ao Tripod. Aliás, ele faz parecer que a banda seguiria o mesmo caminho se o primeiro vocalista não houvesse morrido. No mais, é uma grande homenagem ao antigo público do Alice e, acima de tudo, à Layne Staley.

A abertura vem com a densa e cadenciada "All Secrets Known", que, apesar de excelente, não é uma das melhores do play. Ela parece vir mais como faixa conceitual, com a letra tematizando o retorno da banda. Jerry Cantrell domina os vocais nesse início. Depois vem a fantástica "Check My Brain", música curta e pesada, puxada por um riff 'mais Alice impossível' e um refrão tão grudento que não vai te deixar em paz por um bom tempo. Aqui DuVall começa a dar as caras de verdade num dueto com Cantrell. Virou o single de maior sucesso do álbum.

E o play parece te preparar progressivamente para a voz do novo cantor. Na terceira faixa, "Last of My Kind", ele realmente assume os vocais principais, sobre a música mais heavy metal do disco, com um refrão à moda do Metallica. Verdadeio show das guitarras, acompanhadas de uma cozinha brutal de Kinney e Inez. Quebrando o clima de destruição, entra outro single: "Your Decision". Bela e emocionante melodia acústica, cujo clipe fez relativo sucesso. Aqui Cantrell chama os vocais para si novamente.

Voltando às tijoladas, entra "A Looking in View", a primeira música do álbum a ser liberada como single. Pesadíssima, longa e com um leve toque industrial, a faixa apresenta um ótimo trabalho da banda toda, com destaque para DuVall, principalmente no refrão, que é de arrepiar a espinha. "When the Sun Rose Again" é uma faixa semi-acústica, com altas doses de folk. Apesar de diferente, tem muito de Alice, com trechos dissonantes seguidos de refrães melódicos. Além disso, é um dos melhores momentos de dueto de Cantrell e DuVall, com uma incrível harmonização das vozes.

"Acid Bubble" é de longe uma das melhores do play. Longa, arrastada e depressiva, vai te lembrar muito o Dirt. Com um pouco de doom metal, a faixa tem uma mudança repentina à la Black Sabbath que deve fazer um estrago ao vivo. Destaque para o dueto Cantrell/DuVall novamente, fazendo um refrão não menos que emocionante; mas é impossível não falar de Sean Kinney, com uma inspiradíssima linha de bateria. "Lesson Learned" é o último single lançado do álbum. Hard 'n' Heavy bastante tradicional, com riff pesado, linhas vocais muito bem encaixadas e outro daqueles refrães que arrepiam a espinha.

"Take Her Out" é um hard bem grudento e melódico. Muito boa, mas nenhum destaque. Se é fã de Alice In Chains, "Private Hell" vai ter um efeito assustador em você. Aqui a voz de Layne parece realmente presente. A melodia e o dueto com Cantrell fazem a voz de DuVall, pela primeira vez no disco, parecer a do antigo vocalista, numa música que entraria fácil no setlist do Jar of Flies. "Black Gives Way to Blue" é uma quebra do clima denso. No meio de tanto niilismo e peso, a faixa de encerramento é uma leve homenagem à Layne Staley, com uma letra emocionante e violões acompanhados pelo piano de ninguém menos que Elton John, que participou como convidado.

No fim das contas, BGWtB é um álbum impecável. Um trabalho denso, nostálgico, pesado e que é a cara da banda. E depois desse retorno incrível, que venha o futuro para o Alice In Chains. Download imperdível!

01. All Secrets Known
02. Check My Brain
03. Last of My Kind
04. Your Decision
05. A Looking in View
06. When the Sun Rose Again
07. Acid Bubble
08. Lesson Learned
09. Take Her Out
10. Private Hell
11. Black Gives Way to Blue

Jerry Cantrell - guitarra, vocais
William DuVall - guitarra, vocais
Sean Kinney - bateria, percussão
Mike Inez - baixo

Elton John - piano em 11

LINKS NOS COMENTÁRIOS
LINKS ON THE COMMENTS
Jp

18 comentários:

Anônimo disse...

http://www.4shared.com/file/YY3yuftp/AAcorrentada_PretoViraAzul_Jp_.html

sergio guilherme disse...

Valeu pelo post.
Já tô baixando.

Bruno Gonzalez disse...

Ae é bom, hein! Um dos melhores lançamentos da década passada! Incrível como o Jerry Cantrell não deixou a peteca cair e conseguiu fazer o som tradicional do AiC, mesmo sem o Layne Staley.

Anônimo disse...

alice in chains eh indispensável pra qualquer site direcionado ao rock/heavy metal, uma das bandas mais respeitadas nesse cenário, não é a toa que os caras são amigos de 80% dos rockeiros fodões que tem por ai. jerry cantrell é rei.


ass: alexandre pinheiro

Daniel Nolasco disse...

"Your Decision" é ótima.

Gustavo disse...

E pensar que tinha muita viúva do Layne Staley (com todo o respeito ao sujeito, claro, ele é uma das minhas referências como vocalista) que achava que o AiC tava morto e enterrado... Esse time é bom demais pra cair no ostracismo, ainda que o Jerry Cantrell tenha uma bela carreira solo. E o William DuVall, apesar de causar estranhamento no começo (admito que eu próprio estranhei um pouco a voz do sujeito nas primeiras gravações durante os shows do retorno), simplesmente segurou bem pacas o rojão. Que venham mais álbuns :D

Eduardo Paiva disse...

Grande álbum do ALice In Chains! Curiosidade: Somando-se a resenha, que é ótima por sinal, deve ser destacado que antes de se tornarem o "ALice In Chains", a banda se chamava "Diamond Lie" e por incrível que pareça, era uma banda de Hard/Glam Rock, o que bem contraditório, pois o "ALice" é um dos ícones do Grunge.

babalu disse...

este é um trabalho que marca o retorno de uma verdadeira lenda....mto bom....

jesusbiblio disse...

Velho, achei o disco bom, realmente os vocais se encaixam e a banda ta sempre entrosada,mas achei tb ele todo meio lento,sem aquela pegada grunge empolgante dos caras,mas enfim, voltaram né !!!!!

Anônimo disse...

rock está morto!!!
Deixem a midia e os manés pensarem assim... pois a phoenix renasce...
e o AIC é um delas...
grande post.

Leecher Master disse...

Awesome!
Discão pra escutar várias vezes

Pode aumentar o volume!
Faz tempo que to esperando um trabalho desses! Private Hell detona!

Esse post foi d++ vlw!

Anônimo disse...

Bom disco, embora ache que as músicas estejam meio repetitivas.

Vocês postarão outros discos do Alice?

vitor disse...

Animal o disco, apesar de achar os antigos melhores. Mais fiquei muito feliz em ver que o alice in chains nunca perdeu o potencial, surpreendendo todos com esse disco. Parabens pelo post ae, abraço a todos

Anônimo disse...

Escutei algumas musicas já...mas só agora q vou baixar o CD todo!!!

Anônimo disse...

caralho, alice sempre

AiC é altamente viciante

Anônimo disse...

É dificil dissociar o Alice In Chains do seu vocalista-ícone. Assim como foi para o Queen, e outras bandas cujo vocalista faleceu, saiu da indústria ou simplesmente mudou de estilo. Mas é louvável que os remanescentes persistam e toquem o barco adiante. Nesse quesito, bandas que continuaram na ativa depois de tamanhas ocorrências, têm que mostrar mais que o dobro de suas capacidades para manter o bom nome e a qualidade já consolidados.

Espero que consigam sempre elevar seus trabalhos, nos oferecendo o melhor que puderem. Nós vamos continuar apreciando e consumindo suas músicas.

Longa vida ao Rock'n'Roll!

Abraços Rocker!

Gabriel Cabral Bezerra disse...

Discaço. Valeu, pessoal da Combe.

Anônimo disse...

Adoro Alice in Chains! Espero que esse seja tão bom quanto os outros :)