Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Judas Priest – Rocka Rolla [1974]



Pouca gente sabe que, atualmente, Ian Hill é o único remanescente da formação original do Judas.

Formada em 1970 na cidade de Birmingham (terra natal do Black Sabbath), a banda contava originalmente com Ian Hill no baixo, K. K. Downing nas guitarras, Alan Atkins nos vocais e John Ellis nas baquetas. O nome foi extraído de uma música de Bob Dylan, intitulada The Ballad of Frankie Lee and Judas Priest, e era como se chamava a banda original de Al Atkins formada em 1969: Judas Priest. Que história, o nome da banda foi emprestado...

Al Atkins sai do Judas e, para seu posto, é chamado o irmão da gata que K.K. Downing estava pegando: Robert Halford. Vários bateras passaram pelo posto até que John Hinch é trazido por Halford, pois ambos integravam uma mesma banda chamada Hiroshima. Glen Tipton entrou em 1974 para as gravações do primeiro disco, por sugestão da gravadora. Segundo algumas fontes, Tipton recebeu os créditos, mas não compôs nenhuma das músicas do primeiro disco.



Lançado em 1974, o debut do Priest foi produzido por ninguém menos que Rodger Bain, responsável pela produção dos três primeiros petardos do Black Sabbath. Apesar disso, a aposta da gravadora não foi alta, e os caras tiveram que fazer um ao vivo no estúdio, o que resultou em uma sonoridade pouco empolgante.

Mas não há como não se empolgar com a qualidade das composições e a performance de uma banda querendo mostrar seu trabalho ao mundo. Das sessões de gravação, The Ripper, Tyrant, Genocide e Victim of Changes foram guardadas para serem lançadas no próximo play, e, curiosamente, são as que ainda hoje fazem a cabeça do público nos shows.

A abertura, com One For The Road traz um hardão a la Free com o qual é impossível não ficar empolgado. Rob Halford já se mostra o grande vocalista que conquistaria o mundo alguns anos depois. Se considerarmos que o disco é uma gravação ao vivo, eu diria que ele é o melhor músico do grupo.
Winter é praticamente uma vinheta, e traz a escola heavy metal na qual o Judas é mestre incontestável. A produção sabbathiana é evidente em Deep Freeze, mas os trabalhos de guitarras dobradas merecem um destaque a parte: foram gravadas antes mesmo dos trabalhos da dupla Gorham/ Robertson, do Thin Lizzy. Me arrisco a dizer que aqui está a origem desse tipo de entrosamento entre twin guitars.



Run of the Mill é um épico de mais de 8 minutos muito bem tocados. Caviar and Meths é a única que parece deslocada do contexto. Mais para outra vinheta, são 2 minutos de um dedilhado que parece ter saído daqueles primórdios de 1969. Mas era para ser o encerramento do disco original. O cd trouxe um bônus.

Além das composições próprias, o clássico Diamonds & Rust, de Joan Baez, foi acrescentado ao set list original. É impressionante como essa música é hipnotizante ao vivo. Quem conferiu o show dos caras pode confirmar o que estou dizendo.

Ouça isso. Mesmo que você já conheça, deve fazer um tempo que não coloca pra rodar no play. A hora é agora.

Track List

1. "One for the Road"
2. "Rocka Rolla"
3. "Winter"
4. "Deep Freeze"
5. "Winter Retreat"
6. "Cheater"
7. "Never Satisfied"
8. "Run of the Mill"
9. "Dying to Meet You/Hero, Hero"
10. "Caviar and Meths"
Bonus Track
11. "Diamonds & Rust"




Rob Halford (vocais, harmonica)
Glenn Tipton (guitarras, sintetizadores, backing vocais)
K.K. Downing (guitarras)
Ian Hill (baixo)
John Hinch (bateria)

Link nos comentários
Link on the comments

Por Zorreiro

8 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?71xy3h22xilazgo

Gabriel disse...

O que falar de seus posts, Zorreiro? Só coisa boa!

Quanto ao Judas, ouvi apenas Painkiller música. Acho que chegou a hora de conhecer mais a fundo essa banda. Baixando!

Tasrael disse...

Realmente é um bom disco. Pena que a banda só decidiu tocar alguma música do álbum nessa última turnê. Essa versão de Diamonds and Rust chega a ser melhor do que a versão de 1977.

lucas disse...

Nunca tinha ouvido nada que o Judas tivesse gravado antes do British Stell.Este debut é fantástico,nem parece a banda que eu estou acostumado a ouvir,o disco tem uma pegada meio Lynyrd Skynyrd e meio Sabbath no primeiro disco.Enfim é um excelente álbum

AlBassPlayer disse...

É bom postar estes clássicos antigos. Essa molecada de hoje sequer sabe o que é uma capa de disco ou um álbum. O Judas é bem mais do que apenas o "British...". Cultura moçada! Vamos largar um pouco o videogame e as extensões .mp3 e procurar um pouco mais de história.
Apenas uma correção: quanto ao "twin guitars", o Wishbone Ash sempre foi e sempre será os precursores das guitarras gêmeas. Tanto que é influência básica do grande Iron Maiden e muitas outras grandes bandas, inclusive, o Judas Priest.

Nelson disse...

banda maravilhosa,comecei a curtir judas nos anos 80 um bastião do rock.

@mvmeanstreet disse...

"Caviar and Meths" era o número de encerramento do Priest com Al Atkins. A música original é um quase-prog que tem oito minutos e o dedilhado que encerra o disco é uma breve passagem dela. Pode ser ouvida no CD solo do Al, Victim of Changes, com outras versões de músicas dos primeiros álbuns do Priest. ;)

Lune disse...

Ca-ra-ca!!! Eu nem tinha ideia dessa fase dos Judas Priest,realmente preciso conhecer mais sobre essa banda, este álbum me surpreendeu muito, e até me animei a procurá-lo em vinil. Super great!