Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sábado, 30 de outubro de 2010

Pink Cream 69 - One Size Fits All [1991]


Chegado o final dos anos 80, o Rock se encontrava cada vez mais pasteurizado e previsível, pensando em mudar um pouco a cara do cenário da época, a revista Metal Hammer organizou em 1988, um concurso para premiar uma banda nova com um contrato com a major Epic (Sony Music BMG). A intenção crucial era encontrar um grupo novo e talentoso, mas que apresentasse um diferencial, e eis que uma banda surgida há um ano venceu a disputa, os então jovens alemães do Pink Cream 69. Que no ano seguinte já estariam lançando o seu debut auto-intitulado que foi tão bem recebido que permitiu logo no ano posterior fazer alguns shows nos Estados Unidos, o que aumentou gigantescamente sua popularidade.

O estilo do Pink Cream 69 é fundamentado no Hard Rock, porém a pegada das músicas, o peso e a voz esplêndida do Andi Deris acometem algumas vezes pro Heavy Metal, que seria uma característica que tomaria forma mais consistente a cada disco, até chegar em um ponto que o som do PC 69 veria só a sombra do Hard Rock em meio à uma sonoridade muito pesada, tendendo mais para o Heavy Metal. Mas pro seu segundo, e particularmente falando, melhor disco, a banda ainda apostava acima de tudo, no Hard Rock, com o diferencial da execução ter uma força típica do Heavy Metal, não à toa o grupo escolheu o produtor Dirk Steffens, conhecido por seus trabalhos com o Accept para trabalhar nos seus primeiros álbuns, visto que Dennis Ward ainda não enveredava por esse lado da produção, vindo a se tornar referência nessa área só daqui a alguns anos.

"One Size Fits All" foi lançado em uma época que o Hard Rock começava a perder suas forças, o que não afetou em nada sua receptividade, pois como dito, o Heavy Metal permeava de maneira concisa seu Hard Rock, o que contribuiu para a banda alcançar expressivos resultados nos charts alemães e japoneses, chegando a ficar em primeiro lugar. E caso haja dúvida em relação ao lado mais pesado e agressivo abordado pelo PC 69, e para não julgarem o conjunto pelo seu nome, eu recomendo que iniciem a audição do disco pela música "Hell's Gone Crazy" e depois pule para a "Signs of Danger", e tente encontrar nessas músicas elementos clichês do Hard 80's. A primeira é um Heavy Metal trampado, com riffs rápidos e uma pegada voltada pro Power Metal oitentista, e a segunda mescla riffs tradicionais de Metal que lembram muito "Bark at the Moon" do Ozzy, com uma levada misturando Hard e Heavy.



Para os fãs de baladas românticas, "Ballerina" e "Where The Eagles Learn To Fly" farão os mais sentimentais chorarem. "Where The Eagles Learn To Fly" é uma balada tão extraordinária, que o Helloween se rendeu à sua bela melodia melancólica e a executou em algumas apresentações, após a entrada do Andi Deris na banda. E "Ballerina" é um dos momentos mais marcantes do disco, com um tema de guitarra que não sai da cabeça por nada, sem contar o timbre diferente e original de Andi Deris, muitas vezes acusado de não ter uma extensão vocal tão alta para cantar determinadas músicas de sua atual banda, porém sabe usar muito bem sua voz, que é única, e cria melodias de muito bom gosto, sem nunca cantar de forma afetada, porque de nada adianta ter todos os pré-requisitos de um grande vocalista, mas não saber usar a voz, embora isso seja uma coisa que fãs de determinados estilos nunca irão entender, pois se rendem à qualquer aberração que surge fazendo vibratos inaudíveis.

Já considerado os extremos do álbum, seu lado romântico e agressivo, o que marca o trabalho é sua faceta Hard Rock presente nas excelentes "Talk to the Moon", "Do You Like It Like That", "Walkin' Out To Heaven" e "Stray Kid", mostrando uma banda jovem fazendo um som muito mais maduro que muitos grupos de tiozões. Apesar de serem músicas animadas, não são exatamente festeiras, e mostram um Hard Rock mais sério, talvez devido à origem da banda. O instrumental é maravilhoso, mas a classe de Andi Deris e o bom gosto que ele tem ao criar suas linhas vocais é o maior destaque desse trabalho, ultrapassando os limites de taxação de um vocalista de Hard Rock, tanto que recebeu um convite para participar de uma banda com um estilo completamente diferente do Pink Cream 69.

Então se você procura uma banda com uma proposta mais sisuda e queira comprovar que o Hard Rock oitentista não se limita à caras e bocas, extravagância e músicas que caem sempre no lugar-comum, experimente escutar esse disco.

01 - Livin' My Life For You
02 - Talk to the Moon
03 - Hell's Gone Crazy
04 - Do You Like It Like That
05 - Ballerina
06 - Signs of Danger
07 - Walkin' Out to Heaven
08 - Stray Kid
09 - Piggy Back Bitch
10 - Where The Eagle Learns to Fly
11 - We Taught the Children (CD bonus track)

Andi Deris - Vocals
Alfred Koffler - Guitar
Dennis Ward - Bass
Kosta Zafiriou - Drums

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar

Da esq. para dir.: Kosta Zafiriou, Alfred Koffler, Andi Deris e Dennis Ward

10 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?pyyjj3nn7hiv2ef

Eduardo Paiva disse...

Baixado! Gostaria de dizer que a resenha é ótima, só não concordo no início quando diz que no fim dos anos 80 o Hard Rock estava previsível. Acredito que, justamente pela com a ascensão do Guns N' Roses em fins de 1987, o Hard tomou fôlego novo, pois a essência do Guns não era festeira como das outras bandas. Consequentemente, com o sucesso do Guns, as bandas de Hard , em sua maioria, começaram a lançar álbuns com sonoridade diferente, mesclando o Hard contagiante e festeiro com toques de agressividade, ou até, no caso específico do Cinderella com o "Long Cold Winter" (1988), toques de Blues, que destoa totalmente do "Glam" "Night Songs"(1986).

Um abraço.

Rodrigo disse...

gosto desse hard mais pesadão... mas o baixista não precisava usar esses microfones a la Ana Maria Braga, né?!

flww.

BraBus! disse...

Eu gosto Muito o Deris é um dos meus vocais favoritos! ele me as vezes me lembra o Biff Byford!

Dragztripztar disse...

Só na aparência né, Brabus!?

Rodrigo, realmente esses microfones são bizarros.

Eduardo Paiva, opiniões sempre causam divergências. Pelo jeito que eu falei posso até ter dado a entender que não curto muito Hard 80's, mas eu adoro, inclusive muita coisa do final dessa década. Mas eu tenho uma impressão dessa época, você tem outra, o que é normal.
No mais, valeu pelo elogio.

E brigado por terem comentado :)

Weschap Coverdale disse...

Discasso Dragz! Quando escutei ele primeira vez fiquei encantado, tanto que acabei baixando a discografia toda do Pink Cream 69! Ótimo post!

Alceu disse...

Ae povo! valeu pelo post, tbm so fã do Deris no vocal e show blz valeu kombão!!

Alceu disse...

caceta inferno eu gosto mesmo eh do David Readman na real, comi merda, eu vi q essa voz tava diferente hehe mas valeu mesmo assim!

Montoya_Rose disse...

Muito boa esta banda. Baixando esse cd para conferir.
Valeu mesmo! :)

Delton disse...

só tenho a dizer q tem pouquíssimas postagens do Cream 69 aqui heinn..uhuhauhuha..banda foda !...valeu pelo post !