Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

domingo, 17 de outubro de 2010

W.A.S.P. - The Crimson Idol (2-CD Version) [1992]


A situação do W.A.S.P. no fim dos anos 1980 estava piorando a cada lançamento. Os integrantes que passavam, logo largavam mão do grupo: Randy Piper em 1986, Steve Riley em 1987 e, por fim, Johnny Rod e Chris Holmes em 1989. A baixa mais significativa foi a de Holmes, por influenciar diretamente no som e por ter caído fora, segundo rumores, graças à sua esposa na época, a gostosíssima Lita Ford.

O líder Blackie Lawless, então, decretou fim ao W.A.S.P. e passou a se concentrar em uma carreira solo. O perfeccionismo do homem é tão grande que o primeiro álbum da empreitada demorou três anos para ser finalizado. Prestes a ser lançado, Lawless sofreu pressão da gravadora e lançou a bolacha sob o nome da banda, mesmo sendo um trabalho solo. Este é "The Crimson Idol", que saiu em junho de 1992 e foi o último a sair pela Capitol Records.

"The Crimson Idol" é diferente de qualquer outro trabalho do W.A.S.P. em vários aspectos, mas mantém a essência em inúmeros outros. As diferenças já começam por ser conceitual: as composições narram a história de Jonathon Steel. Jonathon é menosprezado desde sua infância, pois seus pais (principalmente seu pai, que atende pela alcunha de Red) gostavam mais de seu irmão, Michael. Após o falecimento de Michael, que apesar de tudo era um herói para o irmão, Jonathon se torna um rockstar e se afunda na "perdição" proporcionada às estrelas deste - e qualquer outro - gênero.



Há se de notar a distinção na estrutura melódica das canções. A essência conhecida por todas foi mantida, já que, incontestavelmente, Blackie Lawless sempre foi a alma do grupo. Mas inserções acústicas se tornaram mais constantes, bem como nuances mais complexas e diferenciadas. O Hard Rock pesado e direto de outrora cedeu espaço para um Heavy Metal ainda pesado, sólido, competente, bem trabalhado.

Vale ressaltar que, por ter sido planejado como um álbum solo de Blackie, não havia obrigação de se manter algum outro integrante de antigas formações. Para a gravação de "The Crimson Idol", portanto, houve o mantimento do monstro Frankie Banali (que havia trabalhado anteriormente como músico de estúdio) nas baquetas de algumas faixas, enquanto o também foda Stet Howland assumiu a bateria em outras. Para a guitarra solo, teve-se a presença do fantástico Bob Kulick. Todo o resto - guitarra base, baixo, teclados e vocais - ficou por conta do mestre Lawless.

Infelizmente o W.A.S.P. nunca teve a aceitação que merecia na mídia. Mas "The Crimson Idol" saiu melhor do que a encomenda: atingiu a 47ª posição das paradas norte-americanas e seus dois vídeo-clipes, "The Idol" e "Hold On To My Heart", tiveram circulação moderada para tempos em que o alternativo andava em alta. Saiu melhor do que esperado porque o álbum não teve turnê de divulgação, se limitando apenas a algumas apresentações ao vivo, como no Donington Monsters Of Rock de 1992 e alguns programas de televisão.



Além das duas belas baladas anteriormente citadas, há de se destacar a paulada "Chainsaw Charlie (Murders In The New Morgue)", composta em homenagem ao presidente da Capitol Records - que resultou na demissão do W.A.S.P. do cast da gravadora -; a densa "The Invisible Boy"; e a ótima "Doctor Rockter". No mais, trata-se de um puta disco que merece ser aproveitado da cabeça aos pés, pois qualquer detalhe não foi inserido por acaso.

PS: a versão aqui trazida é a do relançamento de 1998, em que houve a inclusão de "The Story Of Jonathon" no álbum em si e a presença de um segundo disco, com sobras de estúdio e partes do show em Donington.

CD 1:
01. The Titanic Overture
02. The Invisible Boy
03. Arena Of Pleasure
04. Chainsaw Charlie (Murders In The New Morgue)
05. The Gypsy Meets The Boy
06. Doctor Rockter
07. I Am One
08. The Idol
09. Hold On To My Heart
10. The Great Misconceptions Of Me
11. The Story Of Jonathon (Prologue To The Crimson Idol - Bonustrack)

CD 2:
01. Phantoms In The Mirror
02. The Eulogy
03. When The Levee Breaks (Led Zeppelin cover)
04. The Idol (Acoustic)
05. Hold On To My Heart (Acoustic)
06. I Am One (Live)
07. Wild Child (Live)
08. Chainsaw Charlie (Murders In The New Morgue) (Live)
09. I Wanna Be Somebody (Live)
10. The Invisible Boy (Live)
11. The Real Me (The Who cover - Live)
12. The Great Misconceptions Of Me (Live)

Blackie Lawless - vocal, guitarra base, violão, baixo, teclados, backing vocals
Bob Kulick - guitarra solo, violão
Frankie Banali - bateria, percussão
Stet Howland - bateria, percussão

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

7 comentários:

Anônimo disse...

W.A.S.P. - The Crimson Idol [1992]

CD 1:

http://www.multiupload.com/M3HNNNVF33

***

CD 2:

http://www.multiupload.com/6TMM9IHA32

Jay disse...

Esse disco é uma droga! No sentido viciante da palavra. =D

Weschap Coverdale disse...

Este disco é um espetáculo! Blackie Lawless se superou aqui...

GrassHoper disse...

Gosto muito desse cd, mas na discografia do W.A.S.P. prefiro o debùt e o The Last Command, que são grandes 'grãos-de-areia-recobertos-por-camadas-sobrepostas-de-madrepérola' (definição nerd de pérola, ahahah)!!

Blackie é mesmo um monstrinho e manda hiper bem dos discos com temas sacanas/sangrentos (os dois citados, p.ex) e nos mais sérios/conceituais - vide este, o 'Still not the black enough' e os dois 'The Neon God'. Um mestre do rock, sem dúvida!

Ótimo post!

Anônimo disse...

O Blackie é foda desse jeito pq conviveu com Deus na juventude. (Deus = Ace Frehley)

Eduardo Paiva disse...

W.A.S.P. nunca recebeu o reconhecimento necessário!
Baixando!

Reinaldo Rezende disse...

Muito foda essa álbum.
As duas baladas então... Dispensa comentários, poi não as definiriam por incomparável beleza.
Agradeço trasparentemente a combe por está obra dividida conosco.