Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

domingo, 31 de outubro de 2010

White Lion - Pride [1987]


Sensacional! Com essa palavra eu já poderia resenhar este disco e terminar por aqui, pois não seria necessário mais nada para descrever o mesmo. Mas como é de costume, irei falar sobre este, pois é um dos grandes clássico do hard melódico.

Após terem sido chutados por sua gravadora inicial, devido as gravações de seu disco de estréia não terem agradado, eis que o Mike Tramp e o excelente guitarrista Vito Bratta fizeram um reformulação na banda, ao substituir o baterista Nicki Capozzi por Greg D'Angelo, que já havia participado da formação inicial do Anthrax. Também ocorreu a troca do baixista Felix Robinson por Dave Spitz, que também tinha certa ligação com o Anthrax, visto que seu irmão naquela época era guitarrista da banda. Mas este foi rapidamente substituído por James LoMenzo, devido o mesmo ter saído para ir tocar no Black Sabbath.


Com esta nova formação, regravam "Fight to Survive", que tem uma boa repercussão no Japão e que faz com que sua nova gravadora invista pesado na banda. Com esta nova formação, aderem a uma mudança no som, que agora ficaria muito mais característico, principalmente nos belos trabalhos de guitarra de Bratta, que viriam a se tornar a marca registrada da banda. E como essa mudança fez bem!

Logo em seu segundo disco eles, acertam a mão em cheio e conseguem emplacar duas músicas no top 10 dos charts norte-americanos e colocar em uma boa posição de vendas, onde apenas nos Estados Unidos vendeu dois milhões de cópias, e teve boa recepção no Canadá e na Dinamarca, terra natal de Tramp. Sem falar na repercussão que a MTV deu aos clipes de "Wait" e "When the Children Cry", o que impulsionou ainda mais a venda de discos e a reputação da banda.

Durante todo esse registro, temos o fino do hard melódico, com ótimos trabalhos vocais de Tramp, guitarras melódicas e marcantes de Bratta e a sempre presente cozinha de LoMenzo e D'Angelo. E o que temos aqui são pérolas incontestáveis, canções que irão fazer até um defunto se levantar. Logo de cara somos esbofeteados com a energética "Hungry", com um refrão daqueles que ficam dias na cabeça. "Lonely Nights" começa sorrateira como quem não quer nada e vira outro hard empolgante até o osso e apresenta mais um refrão certeiro.



As festeiras "Don't Give Up" e "Sweet Little Loving" mantém a empolgação inicial do play e prendem para tudo o que vem a seguir. "Lady of the Valley", com suas constantes mudanças de andamento, seria uma das cartilhas que o White Lion seguiria em discos posteriores, e se repetiria em músicas como "Lighs And Thunder" e "Sangre de Cristo", onde sempre é apresentado um hard épico e cativante. Se tudo o que foi apresentado até aqui era muito bom, a excelencia é alcançada na segunda metade do disco, onde começariam a ser apresentados os clássicos da banda.

A bela "Wait" é um belo exemplo de como uma balada pode ser feita sem soar melosa demais, e impulsionou as vendas do disco, o que se consolidou de vez com a balada "When The Children Cry", que foi o single que alcançou a melhor posição na Billboard. "Tell Me" é outra canção espetacular e que merece grande destaque, pois cativa o ouvinte em sua primeira audição e o faz se apaixonar de vez por tudo que foi apresentado nesse disco. “All Join Our Hands” e “All You Need is Rock n' Roll” complementam esse disco com mais dois hards cheio de energia e atestam que estamos diante de um disco acima da média. Se você não conhece, baixe o mesmo agora, pois a garantia de decepção é quase nula!

1.Hungry
2.Lonely Nights
3.Don't Give Up
4.Sweet Little Loving
5.Lady Of The Valley
6.Wait
7.All You Need is Rock 'N' Roll
8.Tell Me
9.All Join Our Hands
10.When the Children Cry

Mike Tramp - Vocais
Vito Bratta - Guitarras
James Lomenzo - Baixo e Backing Vocals
Greg D'Angelo - Bateria


By Weschap Coverdale

11 comentários:

Anônimo disse...

http://www.multiupload.com/FF75Q2UW4L

Silver disse...

Esse já morou em minha playlist por um bom tempo.

Mas discordo sobre "Wait" não ser piegas.

GrassHoper disse...

Belíssimo álbum, mas ainda prefiro o 'Mane Attaction'!

"Waait, waait, I never had a chance to love you..." Um doce para quem achar uma traço de pieguice sequer nesse verso, kkkkkkkk!

ótima resenha e post!!

Weschap Coverdale disse...

Eu tb prefiro o Mane Attraction, mas acho que o Pride está pouco atrás.

Eu me expressei mal, a letra é piegas, tinha de colocar quanto a melodia, comparada a muitas outras

Victor Klinger disse...

Não conheço o White Lion, e pelos comentários, o Pride e o Mane Attraction são os indicados pra quem quer conhecer o som... baixando. Vlw...

Hairbanger disse...

que mane attraction que nada... é um bom disco... mas Pride é um dos melhors discos Hard que já ouvi! Um verdadeiro clássico! "Lonely Nights", "Wait", "Tell Me", "All Join Our Hands" e "When The Children Cry" são minhas preferidas! Belíssimo Post!

Emerson disse...

já tinha ouvido falar sobre mas não conheço o som deles, como tô procurando algo novo pra ouvir, vou dar uma chace.. baixando

Natan Vieira disse...

esse disco é excelente esse Vito Brata é um monstro na guitarra, fala-se muito do mane atraction e do pride mas sinceramente eu gosto mais do clima do Big Game que é o sucessor do Pride e pra mim é nesse disco onde Vito Brata mostra toda sua capacidade, ta aí até uma boa pedida pra mais post...rs
Vlw galera da combe mais uma vez salvando nossos dias cinzentos
XD

jullecosta disse...

vou conferir,pois conheço pouco desta banda ,ouvi apenas uma coletânea da mesma e o disco fight to survive.

maisquevencedor disse...

Grande White Lion. Mais um sensacional post da Combe. esta ótima banda é certeza absoluta em meu iPod.

Anônimo disse...

Como os anos 80 foram bacanas para com a música e para os admiradores do som Hard/Heavy daquele período.
Tinha tanta banda legal que é impossível encontrar nos dias de hoje qualquer outra banda que se compare, em termos de originalidade e identidade.
Faz muita diferença porque naquele momento as bandas tocavam e gravavam, sem ProTools e congêneres.
Parafraseando o mestre do No-Hair Metal, o White Lion é Ma-ra!
Evil Eye!!