Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 30 de novembro de 2010

V.A. - Concert for George [2002]


Ontem o mundo da música completou nove anos sem George Harrison. Sua morte foi uma das maiores perdas da cultura contemporânea. A influência de Harrison é incalculável, principalmente como guitarrista da maior banda da história: os Beatles. E, seja como mauricinho engravatado tocando "I Wanna Hold Your Hand" ou como entusiasta do movimento Hare Krishna organizando um espetáculo por Bangladesh, George sempre será lembrado.

O mais discreto dos fab four foi apresentado por Paul McCartney a John Lennon com apenas 14 anos, como "o cara que sabe tocar Raunchy do Bill Justis". O ano era 1958, e a dupla Lennon/McCartney dava seus primeiros passos na banda The Quarrymen. John achou George muito novo e de início resistiu à entrada do garoto no grupo. Entretanto, logo Harrison foi aceito, e o resto é história.

Durante seus anos como Beatle, o guitarrista entrou em contato com a cultura indiana e se apaixonou por ela, sendo fundamental para a visível encorporação da mesma por parte do movimento hippie. Acabou sendo vítima de um complô de Lennon e McCartney, que, buscando conter seu crescimento dentro do processo de composição da banda, chegaram ao ponto de obrigá-lo a chamar seu amigo Eric Clapton para gravar o solo de seu maior trabalho, "While My Guitar Gently Weeps", para que não pudessem impedir sua entrada no set do Álbum Branco. Mas isso quando as coisas já não eram muito pacíficas entre os quatro, porque, no geral, George era visto como o "irmão mais novo" dos outros três. Entre seus maiores sucessos como Beatle estão "Here Comes the Sun" e "Something".

Em 70, lançou seu grande álbum como artista solo: All Things Must Pass. Nele, faixas como "My Sweet Lord", "Isn't It a Pity" e "What Is Life". Em 71, organizou, ao lado de Ravi Shankar, o antológico Concert for Bangladesh, evento beneficiente em prol dos refugiados do Paquistão Oriental (hoje Bangladesh independente), que reuniu nada menos que gente como Bob Dylan, Eric Clapton, Leon Russel, entre outros. Depois disso, já consolidado como um dos músicos mais importantes da história, fez parte do supergrupo The Travelling Wilburys e lançou vários discos solo, até descobrir, em 97, um câncer no pulmão que o levaría à morte em 2001.


Um ano depois do falecimento de George, sua viúva Olivia e seu filho Dhani organizaram, sob a direção musical de Eric Clapton e Jeff Lynne, o Concert for George. O espetáculo teve sua renda doada à Material World Charitable Foundation, fundação criada pelo guitarrista de Liverpool.

Ambientado no monumental Royall Albert Hall, o concerto foi dividido em duas partes distintas.

Na primeira parte (lançada como o disco 1), há a apresentação de um enorme grupo de músicos indianos, tocando ao lado da Orquestra Metropolitana de Londres, conduzida pelo arroz de festa Michael Kamen (S&M do Metallica, The Wall do Pink Floyd, além de colaborações para Aerosmith, Queen, David Bowie, Def Leppard, entre uma infinidade de outros). A música é a tradicional do país oriental, com instrumentos e cantos característicos. Destaque para a fenomenal sitarista Anoushka Shankar (filha de Ravi), que se sobressai mesmo em meio a um verdadeiro mar de inspiração e musicalidade dos outros vários instrumentistas. As faixas são canções tradicionais indianas, composições de Ravi Shankar e até a primeira música escrita por Harrison a aparecer em um single dos Beatles, "The Inner Light"

Na parte inferior, da esquerda para a direita: Anoushka Shankar, Eric Clapton e Ravi Shankar

Terminada a suíte Arpan e depois de um interlúdio protagonizado pelos humoristas britânicos de Monty Phyton, tem início a segunda parte do espetáculo. Em um ambiente mais ocidental, músicos fantásticos executam as eternas canções de Harrison. As performances ficam por conta de nada menos que Jeff Lynne, Eric Clapton, Tom Petty & The Heartbreakers, Gary Brooker, Joe Brown, Ringo Starr, Billy Preston, Paul McCartney e o próprio Dhani Harrison, que, no palco, emociona qualquer um, por lembrar de maneira assustadora o pai em sua fisionomia. As músicas são executadas por vários deles ao mesmo tempo, então aqui vamos atribuir cada uma a quem canta a sua maior parte.

Em certo ponto do show, Paul solta: "Olivia disse que, vendo Dhani no palco, parece que todos nós ficamos velhos, mas o George continuou jovem."

Falando um pouco das performances, destaque para a lindíssima de "Beware of Darkness" por Eric Clapton. O slow hand também aparece de forma latente ao lado de Paul McCartney, em "While My Guitar Gently Weeps" e "Something" (em uma versão que vai trazer boas lembranças recentes a algumas dezenas de milhares de brasileiros bem afortunados). É claro que Paul está ali em outros momentos inesquecíveis, como "For You Blue" e principalmente "All Things Must Pass". Outros pontos altos são de Jeff Lynne em "Give Me Love (Gime Me Peace On Earth)" e de Joe Brown em "Here Comes the Sun".

Mas quem realmente se sobressai é o tecladista Billy Preston, que, além de cantar "My Sweet Lord" ao lado dos clássicos corais da música, faz uso de seus vocais emocionados para criar a melhor performance do play em "Isn't It A Pity". A faixa é de uma beleza indescritível, com a melancólica composição de George crescendo em um ápice de instrumentos e vozes durante o poderoso solo de Eric Clapton, enquanto alguns ecos de "Hey Jude" vão aos poucos tomando conta do Royal Albert Hall.

Os últimos momentos são outros que merecem ser comentados. "Wah Wah" e seus incríveis riff e refrão fazem todos os presentes cantarem. E, para não fugir do habitual, tem um grande solo de Eric Clapton. Por fim, a singela "I'll See You in My Dreams" encerra a grandiosa homenagem. É óbvio que as faixas citadas não são as únicas de grande inspiração, e o disco é fantástico do início ao fim.


Enfim, somente um acontecimento como esse poderia fazer jus a George Harrison, o eterno caçula quieto dos Beatles, o hippie empático fascinado pelo oriente, um dos maiores guitarristas da história e uma das maiores figuras da música.

Disco 1
01. Sarve Shaam
02. Your Eyes
Anoushka Shankar
03. The Inner Light
Anoushka Shankar e Jeff Lynne
04. Arpan
Conduzido por Anoushka Shankar

Anoushka Shankar - sitar, condução
Michael Kamen - arranjo de cordas e condução
Eric Clapton - violão
Jeff Lynne - violão, vocais
Dhani Harrison - piano, vocais de apoio
Corais de English Chamber e Bharatiya Vidya Bhavan - vocais de apoio
Orquestra Metropolitana de Londres - cordas, metais e madeiras ocidentais
Vários músicos - cordas indianas

Disco 2
01. I Want to Tell You
Jeff Lynne
02. If I Needed Someone
Eric Clapton
03. Old Brown Shoe
Gary Brooker
04. Give Me Love (Give Me Peace On Earth)
Jeff Lynne
05. Beware of Darkness
Eric Clapton
06. Here Comes the Sun
Joe Brown
07. That's The Way It Goes
Joe Brown
08. Taxman
Tom Petty & The Heartbreakers
09. I Need You
Tom Petty & The Heartbreakers
10. Handle With Care
Tom Petty & The Heartbreakers, Jeff Lynne e Dhani Harrison
11. Isn't It a Pity
Billy Preston
12. Photograph
Ringo Starr
13. Honey Don't
Ringo Star
14. For You Blue
Paul McCartney
15. Something
Eric Clapton e Paul McCartney
16. All Things Must Pass
Paul McCartney
17. While My Guitar Gently Weeps
Eric Clapton e Paul McCartney
18. My Sweet Lord
Billy Preston
19. Wah Wah
Eric Clapton e banda
20. I'll See You In My Dreams
Joe Brown

*Marcações segundo a capa

Eric Clapton, Jeff Lynne, Tom Petty, Joe Brown - guitarra, violão, vocais
Gary Brooker, Billy Preston- teclados, vocais
Paul McCartney - violão, teclados, ukelele, vocais
Ringo Starr - bateria, vocais
Ravi Shankar - sitar
Dave Bronze, Klaus Voormann - baixo
Jim Capaldi, Jim Keltner, Hendry Spinetti - bateria
Albert Lee, Marc Mann, Andy Fairweather-Low, Dhani Harrison - guitarras e violões
Jools Holland, Chris Stainton - teclados
Ray Cooper - percussão
Jim Horn - saxofone
Tom Scott - sax tenor
Katie Kissoon, Tessa Niles, Sam Brown - vocais de apoio

LINKS NOS COMENTÁRIOS
LINKS ON THE COMMENTS

Jp


6 comentários:

Anônimo disse...

Concert for George

Disco 1:
http://www.4shared.com/file/F-T5z-6F/CFG_01_-_Jp__Combe_.html


Disco 2:
http://www.4shared.com/file/9fWCaVJP/CFG_02_-_Jp__Combe_.html

Silver disse...

Muito bom, esse serei obrigado a conferir. George é um cara foda e sua carreira solo é muito sólida, recomendada por sinal.

Marcus V. disse...

Ótimo, uma grande homenagem ao mestre vinda de outros grandes mestres da música. Simplesmente um show fenomenal.

Galera do Combe, gostaria de propôr uma parceria com vocês. Sou dono do blog Bar Obi-Wan (http://barobiwan.blogspot.com/), onde, junto a um amigo meu, falo de diversos assuntos, entre eles música (Rock, de preferência), Cinema, Games, Futebol, Humor... Meu blog ainda não é um gigante da internet, mas vem crescendo dia após dia, e seria ótimo tê-los como parceiros.

Grato.

Tiago disse...

Uma grande homenagem a um dos maiores gênios da musica!
Obrigado!

Weschap Coverdale disse...

Talvez o Beatle mais introvertido, mas tçao genial quanto a reverenciada dupla Lennon/McCartney. Uma bela homenagem, e para varia excelente post seu JP!

Carlos disse...

QUalquer reuniao com grandes mestres da Guitarra sao fantasticas... Principalmente se tratando de uma homenagem tao sublime!!!!!!!!!!
Sem duvida um grande espetaculo... VOu correndo adquirir o DVD!!
Carlos Eduardo - Sao Goncalo - RJ