Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Poison Sun - Virtual Sin [2010]


Post em homenagem a todas as damas que freqüentam a Combe, em especial as grandes amigas e divulgadoras via Twitter @MetalLadies e @cris_svieira, valeu!

Em primeiro lugar, é preciso dizer que Herman Frank é um trabalhador e tanto. Nos últimos dois anos, o guitarrista lançou três discos: seu solo, o novo do Accept e agora o Poison Sun, projeto que conta com ninguém menos que sua esposa nos vocais. Aliás, vamos deixar claro que Martina Frank não é uma aventureira qualquer que, do nada, decidiu cantar por ser a cônjuge de uma figura conhecida. Ela já deixou sua voz registrada em estúdio para bandas como UFO e Weinhold. E que voz! Lembrando a linhagem tradicional de figuras como Doro Pesch e Leather Leone, a dama não deixa pedra sobre pedra.

O play já abre com um verdadeiro pé na porta em “Voodoo”, um Hard/Heavy de primeiríssima qualidade, com alma oitentista. Candidataça a figurar nos Best of’s da galera. Para não deixar a bola cair, “Red Necks” chega estourando os alto-falantes, em um convite para o headbanging. “Hitman” poderia facilmente entrar em algum clássico do Accept. Dá até para imaginar a linha de frente da banda fazendo a tradicional coreografia enquanto a executa. Hora de meter o pé no acelerador com “Rider in the Storm”, Power Metal vigoroso com um refrão que na segunda passagem você já está cantando junto. Quando surge o riff inicial de “Killer”, não tem como não lembrar automaticamente de “Balls To the Wall”. Mas não soa como mera cópia, com seu desenrolar, o som vai ganhando corpo e vida própria.



A faixa-título abre a segunda metade do álbum com uma pegada Rock and Roll indefectível! Lembra bons momentos da outra banda de Herman, o também excelente Victory. A cadenciada “Princess”, com seu baixo à la Geezer Butler, faz o ouvinte bater o pé no ritmo em outro momento de destaque. “Phobia” é bem Hard Rock, com aquela típica levada festeira do estilo e um refrão grudento. Já “Excited”, cover do The Pointer Sister (grupo vocal norte-americano de R&B), traz um clima mais moderno, mas sem perder as características da proposta inicial. A ‘menos boa’, digamos assim, pois não dá para desprezar. Encerrando, temos a arrastada “Forever”, que não chega a ser uma balada típica e conta com uma interpretação emocionada de Martina.

Não bastasse o fantástico Blood of the Nations com o Accept, Herman Frank mostra a todos que está em um momento pra lá de inspirado. Afinal, não é para qualquer um conseguir colocar dois trabalhos entre os destaques no mesmo ano. Trabalho digno da tradicional escola alemã de Rock. Que o Poison Sun tenha longa vida, pois passou no primeiro teste com louvor!

Martina Frank (vocals)
Herman Frank (guitars)
Stefan Hammer (bass)
Florian Schonweitz (drums)

01. Voodoo
02. Red Necks
03. Hitman
04. Rider in the Storm
05. Killer
06. Virtual Sin
07. Princess
08. Phobia
09. Excited
10. Forever

Link nos comentários
Link on the comments


JAY

9 comentários:

Anônimo disse...

Poison Sun – Virtual Sin [2010]

61 MB
192 kbps

http://www.mediafire.com/?5g8tdzyl3aiyi2d

abilio disse...

obrigado,ja que nao conheço esta banda!! e bom ano novo para todos aki no teu blog!!!sempre r'n'r amigo!! bilio desde frança

Anônimo disse...

adorei a banda boa dica valeu.


cadê o avenged sevenfold na enquete?

Ricardo Brovin disse...

Essa eu não conhecia!!!! vou conferir pois Accept é uma ótima referência!!!!! Parabéns pelo post!!!!

dnlz disse...

Animal cara , que som legal , dá um gaz na primiera ouvida. Valeu!!

Anônimo disse...

Boa dica. Não conhecia essa porrada na orelha... obrigado.

AlBassPlayer
Curitiba

Hellison disse...

Não conhecia mas adorei e que bela voz hein... otimo post!

Anônimo disse...

Tô baixando aqui e ainda não ouvi, mas vindo do HERMAN FRANK JR só pode ser coisa boa, o véio lançou um dos melhores discos de 2009 e se tiver perto do LOYAL TO NOME é garantia de discão.Valeu e abraço.ART.

caue disse...

Fui ouvir ontem essa pedrada.
É muito bom em todos os aspectos, guitarras fuderosas e cozinha mandando bem, com muito peso.

O que me desagrada é o timbre da vocal, aquela que era pra ser o destaque.

O registro não é ruim, pelo contrário, agrada à primeira escutada, porém não curto o estilo de voz. =P

Vlw