Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Stormwind - Stargate [1998]


Imagine o vocal da Bonnie Tyler elevado à enésima potência, com a classe da Doro e firulas influenciadas pela soul music. Assim temos a fabulosa vocalista Angelica Häggström, o maior trunfo deste disco do Stormwind. Mas os méritos principais pelo trabalho desenvolvido aqui devem ser atribuídos ao guitarrista e líder, Thomas Wolf, que é um daqueles "faz tudo". Compôs todas as músicas e letras de Stargate, além de ter co-produzido e colaborado com toda a arte gráfica do material.

Depois de ser campeão sueco de Karate em 1993, Thomas decidiu abandonar as artes marciais e se dedicar à música, formando, inicialmente, um projeto solo. Mesmo afastado das competições de Karate, Wolf, durante a carreira no Stormwind, continuou trabalhando como sparring (algo como treinador) do ator Dolph Lundgren - talvez o nome não traga a lembrança, mas é bem conhecido, jogue no Google. Depois de lançar o bom debut Straight From Your Heart, Thomas compôs seu melhor trabalho e o último como projeto.

Stargate apresenta uma mistura de Hard e Heavy, com toques de Neoclássico (nos solos) e AOR (nas partes lentas e baladas). O álbum abre com "Hit by the Sun", com algumas guitarras que lembram "Wolf to the Moon" do Rainbow. E Angelica não se furta de demonstrar toda sua capacidade vocal do começo ao fim, soltando vibratos descomedidos. Uma atuação digna de rasgados elogios. Já em "Masquerade of Love" com sua levada lenta e progressiva, os vocais são obrigados a serem mais controlados.



As interpretações incrivelmente expressivas de Angelica influenciam até a forma como as letras são colocadas no encarte do disco, sempre com as estrofes terminadas com várias exclamações ou interrogações. E o conteúdo das mensagens do álbum é algo muito positivo e otimista - o que é comum em bandas da Europa, pois vivem uma realidade completamente diferente da nossa. Voltando ao som, o Power Metal na linha do Malmsteen surge em "Time Won't Tell", seguido pelo curto e belo instrumental "Sakura Opus".

A influência do Rainbow volta a ficar latente na faixa-título, mas dessa vez, na linha da fase oitentista, especialmente do disco Straight Between Your Eyes. As guitarras só faltam falar com solos emocionantes em "Cry for Your Love". E a influência de Warlock é aflorada em "Tears Of Confession", bem na linha de "True As Steel". Inclusive os vocais agudos lembram a rainha do Metal nessa música. Nos bônus, ainda tem um ótimo cover do Alcatrazz, que não parece ser cantado por Angelica. Também não consta nenhuma informação quanto a isso nos créditos .

Stargate é um dos únicos trabalhos que me agrada com vocal feminino, que salvo raras exceções, acho que não combina com Rock ou Metal. Então, pra quem é 'misógino musical', esse álbum, muito possivelmente, irá excetuar essa aversão. E pra quem gosta de vocal feminino em grupo de Metal, a recomendação é total. Infelizmente, Wolf direcionou a sonoridade do grupo para o Power Metal Melódico/Neoclássico posteriormente, criando CDs insuportáveis. Nem o ótimo vocalista Thomas Vikström conseguiu tornar audíveis esses discos.



01. Pegasus
02. Hit By The Sun
03. Masquerade Of Love
04. Aliens
05. Time Won`t Tell
06. Sakura Opus
07. Stargate
08. Cry For Your Love
09. Beyond Lies
10. Tears Of Confession
11. Drive My Way Home
12. Miramar
13. Tears Of Passion (bonus)
14. Too Young To Die, Too Drunk To Live (bonus)

Angelica Häggström - vocal
Thomas Wolf - guitar, additional keyboard, bass solo on track 10
Kristofer Eng - bass
Zepp Urgh - drums
Per Hallman - keyboard

Ian Hauglund - drums (8 & 9)
Michelle Wilcox - violin, string arr. (3,7,9 & 12)
Anna Norberg - fluet (6 & 12)
Thomas Ahlen - additional keyboard

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar

5 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?vm6kfyow325lyh1

phdesenhista disse...

Voz potente desta mulher. O disco é muito bom, as influências do Rainbow estão bem na cara.
O que só acrescenta bom gosto, por parte do compositor. Ah! Ótima resenha.

Dirty Foxx Brasil disse...

Fodão o guitarrista!!
deem uma sacada na minha banda ae
www.myspace.com/dirtyfoxxjf

Ito disse...

Começou bem o ano!!!! Vlw.

Anônimo disse...

Gosto é gosto... pra mim Doro Pesch e Leather Leoni catam muito e combinam com metal.

Abs.