Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Jô Soares e o Sexteto [2000]


Continuando a nossa série de posts ecléticos – até porque não diz em nenhum lugar que a Combe é um blog de Rock, muito menos de Heavy Metal. De modo que, aquele que pensa isso deve procurar um psiquiatra urgentemente, pois enxerga coisas além da realidade.

Quem acompanha o Programa do Jô desde os tempos de SBT – quando se chamava Jô Soares Onze e Meia, mesmo começando sempre depois desse horário – sabe que uma característica marcante sempre foi levar atrações musicais de primeira linha. Era uma alternativa muito boa em relação à mesmice que toma conta das atrações do tipo. O espectro era amplo, tivemos grandes apresentações dos mais variados gêneros, desde o Blues, o Fusion, chegando até o Heavy Metal. O importante era a qualidade. Mas a grande paixão de Jô sempre foi o Jazz, estilo com o qual conviveu durante seus tempos de Europa, para onde foi mandado para estudar nos idos dos anos 1950.

Quando voltou ao Brasil, tinha um background inequiparável no estilo, tendo assistido alguns dos lendários nomes que construíram essa história. Muito tempo se passou até que ele teve a idéia de prestar uma homenagem a alguns desses artistas, em um espetáculo com direção de Ronaldo Viana. Uma temporada de shows no Tom Brasil, em São Paulo, atraiu ótimas platéias, o que encorajou todos a registrar esse momento para a posteridade. E quem conhece a capacidade do sexteto que acompanha Jô, sabe muito bem o que pode esperar. O entrosamento é latente, sem destaques individuais – embora Tomati deixe bem claro porque é um dos grandes nomes da guitarra no país.



O repertório, escolhido por Jô, reúne standards do Jazz, como a espetacular “Summertime”, composição de George Gershwin ou a divertida “Let’s Get Lost”. Também tem espaço para o approach com o Blues em “Stormy Monday Blues”, onde o sexteto dá verdadeira aula. Mesmo algumas brincadeiras próprias como a salsa “Enkrenka”, executada várias vezes em seu programa com o passar dos anos, comparece. Encerrando o espetáculo, a versão para “One Meat Ball”, de George Martin Lane, traduzida com o humor particular para “Um Croquete”.

Aliás, importante citar que entre as músicas, Jô não deixa de conversar com a platéia, contando piadas e histórias, dando um clima parecido com o da tevê. Coisa de quem sabe o que faz. Download recomendado para os fãs de boa música, independente de rótulos. Beijo do gordo, uou!!!

Jô Soares (Vocais, Trompete, Bongôs)
Osmar Barutti (Piano/Teclado)
Derico (Saxofone)
Carlos Nascimento (Guitarra)
Bira (Baixo)
Milton Ramos de Brito (Bateria)
Francisco Carlos de Oliveira (Trompete)

01. Summertime
02. Sudwest Funk
03. Night In Tunisia
04. Let s Get Lost
05. Blues Walk
06. Stormy Monday Blues
07. On The Sunny Side Of The Street
08. ST. James Infermary
09. Enkrenka
10. Markin Whoopee
11. Caravan
12. You Oughta Be In Pictures
13. Um Croquete (One Meat Ball)

Link nos comentários
Link on the comments



JAY

12 comentários:

Anônimo disse...

Jô Soares e o Sexteto [2000]

64 MB
128 kbps

http://www.mediafire.com/?g3y86skj5y5ibmb

Anônimo disse...

eu ja o tenho....
mas esse cd é dá hora.. ótimo post...
abraço!

Anônimo disse...

maneiro

Jp disse...

Grande post, esse disco é ótimo!

Daniel disse...

Se hoje eu curto jazz e blues, devo muito ao Jô e a este cd rs.

Recomendo o CD do "Quinteto Onze e Meia" é muito bom também e tem uma pegada bem mais jazzistica.

Abraço

Fabio disse...

Gosto muito dos posts ecléticos, continuem assim!

Henrique disse...

NÃO É MINHA PRAIA MAS RESPEITO!!!

Jô disse...

Sensacional !!! Ainda há musica feita por paixão no Brasil... apenas lamentavel que não seja tão difundida... mas tb como concorrer com restart, fiuk, exaltasamba e afins neste pais sem cultura ???

Anônimo disse...

Muito bom!!
Uma boa música, combinada com o carisma do Jô.
Ficou demais!

Abraço!

Denis disse...

Que foda!

Não sabia que esse gordo gay fazia boa música!

Marcelo Ciconini disse...

Graaaannnde post.
Do tamanho do Jô.
Parabéns.

Anônimo disse...

Sou grande fã dele, porém ele hoje em dia é muito mascarado..... apesar de gênio... ótimo cd.