Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

domingo, 23 de janeiro de 2011

Venom - Black Metal [1982]


Costumam falar que os fãs de "Rock Colorido" representam a juventude perdida e lamentável, mas custa apenas olhar ao nosso redor para perceber que existem certos estilos de Metal que têm como base uma grande quantidade de crianças e pré-adolescentes influenciadas por suas temáticas "magia, luz, pureza & simpatia" - não confunda com temas religiosos - e degeneram mentes que deveriam, nesta fase, começar a moldar uma índole digna ao invés de ser desvairada por lunáticos de meia idade.

Elucidando: é saudável - e deveria ser obrigatório - ter rebeldia nessa fase da vida e o Rock/Metal também deveria servir pra alimentar/impor isso, em vez de retardar a personalidade com temas idiotas. Possuir atitudes refratárias perante a imundície em todos os âmbitos sociais é essencial e quem não se manifesta dessa forma (principalmente nessa fase da vida) ou tem um alto grau de demência ou é o famoso bunda-mole. Desde a concepção visual até as mensagens, determinado segmento do Metal já deturpou tudo e mais um pouco.

Porém, certas bandas sempre serviram de forma exemplar pra educar e definir a dignidade das pessoas pro resto da vida. E o mais forte representante dos conciliábulos é o Venom, que jogou toda a revolta do Motörhead e Sex Pistols dentro de diatribes contra o cristianismo, com a intenção principal de repudiar os falsos valores morais e inverter os dogmas, e não de cultuar coisas malignas, como alguns babacas até hoje não entenderam - o que não impede que o power trio seja satânico no sentido filosófico. Tanto que uma das maiores características do Venom é o humor negro - e em alguns casos, apenas humor!


Depois de demonstrar muita atitude com o debut Welcome to Hell, os 3 ingleses perceberam que pra engrenar de vez deveriam sanar as deficiências apresentadas nesse trabalho: gravação porca e riffs mal definidos. E o único que poderia tornar a sonoridade mais arrojada era aquele que possuía algum "conhecimento musical". E foi assim que Mantas desenvolveu uma série de riffs incríveis, tamanha a simplicidade e força, que somados à gana de Cronos e Abaddon resultaram em músicas deslumbrantes executadas com uma voracidade inovadora que mudou a cara do Metal para sempre.

Oferecendo um extremismo nunca visto antes e estabelecendo novos limites, Black Metal se mostra um dos momentos mais simbólicos da música pesada. 11 composições antológicas com uma crueza que potencializa tudo que havia sido feito no Metal e coloca o Venom na categoria de fenômeno, apostando no Heavy Metal, mas com o clima macabro que seria definitivo para gerar outro subgênero. A Escandinávia nunca soube absorver isso, o que não significa que não existam várias bandas pelo mundo seguindo os passos do Venom - mas como tudo é baseado no Black Metal escandinavo, há quem afirme que "não existe nada de Black Metal no Venom".


Mais do que música de qualidade feita com garra, o Venom é fundamental na criação de personalidades dignas, e acredito mesmo que se pelo menos metade da juventude escutasse os discos dessa banda, não haveria essa decepcionante "visão de mundo" (já diria aquele velho). Vontade de incendiar a escola e sonhos em sodomizar a professora é o que o Venom ensina e prega, mas seu sarcasmo inteligente não permite que as pessoas passem destes limites imaginários e serve pra criar senso crítico - pena que alguns retardados não entendem a "piada". E a mais impactante representação desse seu trabalho certamente se encontra no segundo álbum, Black Metal.

Lembrando que além do termo Black Metal, o Venom também criou a designação Power Metal. No entanto, muitas vezes, este último se encaixa na definição citada no início do texto, o que nos leva ao fio da meada. E como chegamos ao ponto em que os representantes do Metal da doçura & esperança falam em nome do Heavy Metal, finalizo este post com uma frase do Marcelo Nova aos emos, mas que serve também para estas criaturas do mundo encantado: "Se é filho meu, eu dou tapa! Aos 18, 19, você está cheio de testosterona, você quer mudar a bagaça, você quer se manifestar porque o mundo é uma merda e sempre foi uma merda".

01. Black Metal
02. To Hell And Back
03. Buried Alive
04. Raise The Dead
05. Teacher's Pet
06. Leave Me In Hell
07. Sacrifice
08. Heaven's On Fire
09. Countess Bathory
10. Don't Burn The Witch
11. At War With Satan (preview)
Bonus:
12. Bursting Out
13. Black Metal
14. Nightmare
15. Too Loud For The Crowd
16. Bloodlust
17. Die Hard
18. Acid Queen
19. Bursting Out
20. Hounds Of Hell

Cronos - vocal/bass
Mantas - guitar
Abaddon - drums

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar


We created black metal and then it developed. The groups that play black metal take black metal a step further. WE TOOK METAL A STEP FURTHER.

- Mr. Dunn

19 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?b5fjos3a8951e44

*Remasterizado

Willian disse...

Opa! Agora, sim! Um álbum que merece comentários! Simplesmente fantástico, com toda a brutalidade que deveria caracterizar o termo "heavy metal"!!! Clássico!!!

Jay disse...

LAY DOWN YOUR SOUL TO THE GODS ROCK AND ROLL!!!

Eu tenho uma vizinha que é a cara do Cronos.

Jp disse...

Cara, texto incrível, merecedor de elogios! Temos agora uma das juventudes mais bundonas da história, sem perspectivas coletivas, sem visão crítica, completamente acomodada e contente com todo tipo de merda que lhe é empurrada goela abaixo.

Eu sempre acreditei que o rock fosse um gênero de constestação. Não de protesto ou panfletagem ideológica, mas de transgressão da regra, do ortodoxo.
Desde criticar alguma guerra, a atacar a manipulação religiosa, e até pregar a bebedeira e a promiscuidade (salve a farofa), o rock sempre está lá, chutando bundas conservadoras.

E sempre tive em mente que, pra realmente entender o que é o tal do black metal, eu teria que ouvir esse disco. Chegou a hora, baixando pra conferir.

Luca Lamy disse...

Cara, quase caí da cadeira quando você falou em "incendiar a escola" e "sodomizar a professora" (tive uma professora no pré-vestibular que dava vontade de sodomizar mesmo. Ashuashua...) Lembrei na hora de Teacher's Pet.
Esse foi um dos primeiros álbuns de "Metal Extremo" que ouvi. Foi meio que um soco no estômago. Lembro que foi na mesma época que eu tava ouvindo o Debut do Masterplan (Ótimo texto do Jay) e outras coisas "viajantes". Realmente teve o efeito de me acordar pro mundo ao meu redor.
Baixando pelos bônus...

dnlz disse...

Album antológico , no começo do anos 80, na época conheci primeiro o Welcome to hell e depois o Black Metal, eu lembro que o pessoal da Woodstook discos aqui de São Paulo ter lançado um botleg o , The 7th date of hell - Live at Hammersmith .
CLASSIC!!!

Anônimo disse...

Dragz, vc escreve muito bem cara, fiquei curioso, quantos anos vc tem?

Ahh, e belo album, já conhecia!

Dragztripztar disse...

Às vezes o que ocorre é o que Costinha dizia: "O povo gosta mesmo é de putaria". Eu só levo uma parte do lema do blog mais a fundo. Não sei ser muito simpático e imparcial, raramente consigo escrever sem insultar outras bandas ou outros estilos (mesmo que indiretamente). Em alguns casos, vou longe demais e falo mal de coisas “sagradas” do Rock, mas pelo visto, aqui as pessoas possuem uma maturidade rara (ou não) que nunca encontrei em outro lugar. Porque se eu escrevesse em outro site algumas coisas que escrevo aqui, ia ser escorraçado. Essa coisa de levar críticas às bandas e discos pro lado pessoal é a maior babaquice que existe no mundo do Rock. Até porque, por mais que o insulto seja gratuito, eu sempre deixo claro alguns pontos, justamente pra evitar ser questionado pelos "guarda-costas" de bandas e discos.

Ou as pessoas entendem que, mesmo com arrogância da minha parte, tudo não passa de opinião, ou não estão a fim de perder tempo me xingando ou indagando por que falo mal disso e daquilo. De qualquer forma, minha mãe agradece. Embora 99 % das vezes eu deva essa gratidão, não posso esquecer os cuzeiros que tentaram me ofender num post passado (e nem foi por algo que eu disse no texto e simplesmente pelo motivo de tal nome automaticamente despertar raiva, sem a pessoa ao menos saber se expressar por que essa coisa é "ruim", "gay", "nojento", etc. E aposto que ninguém - desses babacas - soube contestar quaisquer predicados ou explicações do texto. Típica coisa de filho da puta).

Por mais que exista esses pingados - aposto também que fazem parte da ala dos ingratos que só comenta quando quer falar mal, maior exemplo disso tá lá nos comentários do post do Roberto Carlos, e em alguns outros também -, é uma parcela insignificante. Começando pela existência dos mesmos... Então, partindo disso tudo, minha idade não tem relevância, mas agradeço teu comentário e dos outros.

caue disse...

Mais uma vez meus parabéns à Combe e ao motô Dragz. Esse cara escreve muito bem, tem um ponto de vista crítico, é sagaz e bastante perspicaz. Isso é refletido em seu gosto musical e em suas postagens, que diga-se de passagem, melhora a cada dia.
Ele gosta de polêmica, sempre traz textos, plays e artistas que causem isso.

Com o Venom não poderia ser diferente. Conheci o som desses caras numa Lan, tava rolando lá, pois a galera que colava lá se dizia TR00 from Hell (o pior é que eu acreditava nisso, hoje vejo que são um bando de merdinhas).
Serviu pra eu diferenciar o que realmente é Black Metal do que não é. Do que é deturpação (o Black escandinavo), foge da proposta inicial e vira samba do criôlo doido.

Vou baixando esse clássico, pois cometia a heresia de não possuí-lo aqui em meu trampo.

ZORREIRO disse...

Quando esse disco saiu eu era criança.
Lembro que saíram vários filmes sobre heavy metal e invasão de demônios.
Todos filmes de última categoria, claro, mas que passavam no SBT.
Eu tinha medo do Venom... uhauhauha

Rex Niskke disse...

nao sou amante de black metal(mto menos um expert no assunto),mas talvez nunca tenha criado "coragem" pra baxar um disco de tal estilo justamente pelo que o dragz disse no testo,pelo fato das badnas escannavas nunca terem intendido o verdero "pincipio" da coisa(que eu tbm nao tinha intendido tbm,até ler esse texto),e vou baixar o cd para compreender melhor a tal "exencia" da coisa,enfim,texto mto bom,e esperoq ue o disco tbm seja né,mas comc ertza é se nao nem estaria aqui,certo??! (pergunta idiota a minha -o-),enfim excelente texto,e parabens pelo blog de vcs!!! o/

Jp disse...

Ouvi o disco e é simplesmente genial. Um dos melhores que já ouvi no heavy metal.

Isaac disse...

CLÁSSICO!!! E ponto final.

мєαиѕтяєєт disse...

Uma pena q a professora q me flagrou batendo punheta em sala não me chamou para um "after class"...

EJ disse...

Eu tenho uma vizinha que é a cara do Cronos. [2]

Anônimo disse...

BLACK METAL!

Fábio RT disse...

Este site está cada vez melhor
cada vez mais abrangente
Postem muito FAROFA METAL, BLACK METAL, JAZZ, CAETANO, ROBERTO CARLOS, MUSICA INDIANA, RAP .... TUDO

e que se exploda a crítica dos que tem ouvido pequeno

Abraços

jesusbiblio disse...

Quem dera a molecada de hj começasse a a sua formaçào musical com bandas do gabarito do Venom, o mundo com certeza seria bem menos idiota, e com mais atitude e censo critico. infelizmente poucos entendem a essencia do rock, que hj é completamente distorcida !!!
Long live rock and roll !!!!

Gabriel Leite disse...

Confesso que não sou lá muito fã da maior parte do material Hard Rock aqui postado, mas não deixo de visitar o blog, e eis que acho algo do Venom aqui! Haha, faz tempo que queria ouvir isso. Baixando.
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Inclusive, o Dragztripztar escreve muito bem, e o melhor é que ele difere bastante a cada post! Parabéns!