Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

domingo, 23 de janeiro de 2011

Winger - In The Heart Of The Young [1990]


É inegável que o Winger é uma das melhores bandas que surgiu durante a fase dourada do hard rock. Formado por músicos de uma competência inquestionável, a banda conseguiu gravar discos que são marcantes e que a cada audição se tornam ainda mais cativantes. Mas de toda a sua discografia, o registro pelo qual tenho mais carinho é seu segundo disco, o fantástico "In The Heart Of Young", lançado no ano de 1990.

Após o arrasador disco de estréia, a banda entra em estúdio novamente com o produtor e amigo de longa data de Kip Winger, Beau Hill. E se o objetivo era manter o ótimo nível da estréia, esse foi alcançado com extremo louvor. Fora aquele hard fantástico que já foi apresentado no início, ainda temos algumas "pitadas" progressivas, que geraram canções ainda mais interessantes, mesmo com a abordagem um pouco mais séria a partir da segunda metade do disco, mas em que acertaram a mão, pois mesmo nesses momentos o disco não soa maçante.


E falar sobre a banda em si é chover no molhado. A dupla Reb Beach e Paul Taylor mostram que manjam muito do que fazem, com trabalhos de fazer cair o queixo. Kip Winger faz um trabalho magistral nos vocais e ainda manda linhas de baixo precisas. Rod Morgenstein é uma lenda na bateria, como já comprovado desde os tempos de Dixie Dregs, e aqui faz um trabalho perfeito. E os teclados a cargo da dupla Winger/Taylor estão bem presentes, e muitas vezes dão um toque especial às composições.

Fico até sem ter como escolher algum destaque, pois este é um dos discos que realmente mais gosto, daqueles que escuto ao menos uma vez por semana. E para iniciar o disco temos o hard "Can't Get Enuff" que já te remeterá logo de cara aos anos 80, pois reúne todos os (bons) clichês desta década, com coros cativantes, a velha conhecida camada de teclados, um solo legal no meio da canção e uma cozinha que trabalha de maneira magistral, com destaque para a linha de baixo de Kip Winger. "Loosen Up" mais uma vez segue a cartilha, com um refrão grudento e uma banda inspiradíssima, um trabalho em equipe perfeito.



"Miles Away"... Ah, "Miles Away"... Sobre essa nem tenho muito que falar. Para mim é apenas a MELHOR balada feita nos anos 80. E olha que temos muitas representantes de peso nesse segmento. E sem falar na letra, com a qual já embalei muitos momentos de fossa. Quando você pensa que não pode ficar melhor, "Easy Come, Easy Go" lhe envolve novamente, um baita hardão denso e pegajoso, sem falar no seu refrão sensacional. E para fechar na minha opinião a trinca de ouro desse discão temos a progressiva "Rainbow In The Rose", cheia de climas que mostram o virtuosismo da banda, em que todos dão um show à parte, mostrando que não se tratavam de uma banda comum e que todos eram excelentes músicos e compositores.

"In The Day We'll Never See" dessa vez abre espaço para Reb Beach dar seu show particular, mas com uma banda redondinha o acompanhando bem de perto. "Under One Condition" é mais uma baladona com o selo Winger de qualidade, porém com uma levada bem progressiva. "Little Dirty Blonde" como seu título já entrega que é um típico hard falando sobre uma mulher que não presta, cheio de swing e que cativa sem pedir licença. "Baptized By Fire" nos dá mais uma aula de Mr. Beach, e mantém a linha de hards energéticos, como muitos já apresentados aqui. A matadora "You Are The Saint, I Am The Sinner" nos faz perguntar como esses caras conseguiram manter o excelente nível durante todo o disco, sem errar a mão em nenhum momento, e nos entregam mais uma vez uma música empolgante até o osso. "In The Heart Of Young" finaliza o disco com a sensação de dever mais que cumprido, mais uma vez investindo em um lado progressivo.

Um baita de um disco que deve ser guardado com carinho. E não só guardado, mas que merece ser ouvido sempre que possível, pois o que a banda entrega no mesmo é algo de outro mundo. Esse com certeza é um dos melhores registros gravados na fase de ouro do hard. CLÁSSICO.





1.Can't Get Enuff
2.Loosen Up
3.Miles Away
4.Easy Come Easy Go
5.Rainbow In The Rose
6.In The Day We'll Never See
7.Under One Condition
8.Little Dirty Blonde
9.Baptized By Fire
10.You Are The Saint I Am The Sinner
11.In The Heart Of The Young

Kip Winger – Vocais, Baixo, Teclados
Reb Beach – Guitarras, Backing Vocals
Rod Morgenstein – Bateria, Percussão
Paul Taylor – Guitarras, Teclados, Backing Vocals

Músicos Convidados:
Paul Winger, Nate Winger – Backing Vocals
Chris Botti – Trompete em "Rainbow In The Rose"
Micheal Davis – Trombone em "Rainbow In The Rose"




By Weschap Coverdale

13 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?y8dzodm6npeavdk

Anônimo disse...

Parabéns p/ trab mt bem feito!- Blog mt Bomb! - Forte Abç da Galera da Zona da Mata (MG)!

Anônimo disse...

Amigo,o link indicado não condiz com o album do post.Por favor ajude-nos! - Mais uma vz Abçs da Galera da Zona da Mata (MG)!

Weschap Coverdale disse...

Sim, ele é o arquivo do álbum sim. O nome foi alterado, mas ao baixar terão os arquivos do disco. Baixe e verifique após baixar

Jay disse...

Como diria Kip Winger, mals aê! Baita disco, meu preferido deles!!!

Dani disse...

Adoro esse blog, encontro tudo que quero e mais ainda, passo a ter conhecimento de bandas fodásticas sempre. =)

ZORREIRO disse...

Beau Hill também produziu Cherry Pie, do Warrant.
O cara forjou o som farofa da época.
E, querem saber, fez um trabalho excelente.

Rezimm disse...

Album MITO!

Toledinho disse...

O Winger lançou há poucos anos o CD e o DVD "Winger Live". É indecente de tão bom. Comprei o DVD pelo site da FNAC e ainda tem em estoque. Não foi caro. Paguei incluindo frete para Juiz de Fora MG menos de R$30,00. Desculpe a propaganda mas é porque vale MUITO a pena... Um abraço.
ELDER

Anônimo disse...

O Winger é um dos expoentes do Hard Rock que sofreu barbaridades com a era grunge e nas mãos de Beavis & Butthead. Injustiçado mesmo, porque a banda é formada de talentosos artistas que superam e muito na qualidade, comparada à todas as coisas que vieram sob o rótulo música pop dos anos 90.
Gosto muito do primeiro álbum e de "Pull", que é o terceiro. Este segundo registro foi o único que eu não tive acesso.

Agradeço à oportunidade de conhecer este trabalho, e a todos vocês, um abraço Rocker!

Lovatel disse...

Õtima resenha

jantchc disse...

como j disse no post do 1º deles, eu gostei muito da estreia e portanto vou baixar este pra ver se a qualidade se mantem..

brigaduuuu..

Samuel disse...

ótimo disco, infelizmente o link está quebrado.. mas obrigado pela dica de album Winger é uma baita banda