Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Europe - The Final Countdown [1986]



Se postasse só a capa e informações desse disco aqui, creio que já teriam milhões de comentários elogiando a postagem, pois este é o magnus opus da carreira do Europe e um dos maiores clássicos que o hard rock oitentista criou. Podemos dizer que este é praticamente um resumo de tudo de bom que esta época ofereceu: um vocalista estupendo, guitarrista excelente, camada de teclados inesquecível e uma cozinha absolutamente perfeita. Sem falar nas canções, que grudam mais do que chiclete jogado no piso do trem!

E os números que esse clássico gerou, dizem por si só o estardalhaço que ele causou na época. Primeiramente, a faixa título alcançou o primeiro lugar em 26 países, e a balada "Carrie" alcançou o terceiro lugar na parada da Billboard, algo impressionante para uma banda vinda da Suécia naquela época. As vendas desse disco também são absurdas, alcançando até os dias de hoje a quantidade de 18 milhões de cópias vendidas. A adição do produtor Kevin Elson por sugestão da gravadora foi o que a banda precisava, pois a sua experiência no trabalho principalmente com o Journey contribui muito para o direcionamento do som que foi tomado pelo grupo.


E a mudança em comparação com os dois primeiros discos é algo notável. Se no início a banda investia em um hard mais tradicional, com influências do Ufo, Thin Lizzy e do próprio Deep Purple, aqui a coisa muda de figura. Sintetizadores presentes, teclados idem, e um som muito mais melódico e acessível são marcas registradas deste. E este foi um momento atípico dentro da discografia do grupo, pois em mais nenhum registro essa mesma fórmula foi seguida, o que acabou por decepcionar alguns que se tornaram fãs nesse período.

E logo de cara temos uma das canções mais marcantes da história do rock. Quem aqui nunca ouviu o característico teclado que inicia o clássico "The Final Countdown"? Conhecida de onze entre cada dez pessoas, essa canção até hoje faz um tremendo sucesso por onde passa, e já foi até música de encerramento das olimpíadas de Seul em 1988. Um clássico absoluto e incontestável, essa surgiu como uma música que a banda queria apenas para a abertura dos shows e nem queria lançar esta como um single, mas a gravadora viu o potencial desta e decidiu apostar na mesma, o que se mostrou ser uma aposta certeira, como bem sabemos.



Mas as outras nove canções não fazem feio, pois o nível de inspiração do grupo estava acima do extraordinário naquele momento. "Rock The Night" não nos deixar mentir, com uma energia incrível e refrão feito para ser cantado com plenos pulmões, um rock anthem dos bons. Após essa e temos a também clássica "Carrie", que aparece em tudo que é coletânea de rock romântico e é uma das músicas de fossa mais executadas ao redor do globo. Outro petardo é a sensacional "Cherokee", com destaque para o belo trabalho de guitarras do monstruoso John Norum, que dá um show à parte, com riffs marcantes durante toda a canção.

"Ninja" vem mais acelerada, enquanto "Time Has Come" tem teclados bem presentes e que cativam logo de cara em mais um grande hard bem melódico e apaixonante. De fato, após escutar todo este, é impossível não se sentir apaixonado pelo grande trabalho que o grupo apresenta aqui. Pode soar bem datado para alguns, mas nem por isso deixa de ser apaixonante desde sua primeira audição. Mas se você é daqueles que pegaram os anos 80, mesmo que em seu fim e acharam essa década apaixonante, deve ter este correndo.





1.The Final Countdown
2.Rock the Night
3.Carrie
4.Danger on the Track
5.Ninja
6.Cherokee
7.Time Has Come
8.Heart of Stone
9.On the Loose
10.Love Chaser

Joey Tempest – Vocais
John Norum – Guitarras, Backing Vocals
John Levén – Baixo
Mic Michaeli – Teclados, Backing Vocals
Ian Haugland – Bateria, Backing Vocals


By Weschap Coverdale

11 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?it8s7c25m5zpg7o

Eduardo Paiva disse...

Resenha Perfeita! Disse tudo!
"É impossível não se sentir apaixonado pelo grande trabalho que o grupo apresenta aqui".

Anônimo disse...

Ótimo post.. esse cd realmente é muito bom

Rex Niskke disse...

seiq ue mtuios vao me trucidar,mas acho que esse disco esta longe de ser o melhor do europe,nao deixar e ser um grande disco,as mas acho o prisoners in paradise ainda bem melhor,de qualquer modo,grande post!!! \o/

Dragztripztar disse...

Concordo totalmente com o Rex Niskke. Pra mim, não tem comparação, o Prisoners in Paradise é o melhor trabalho do Europe.
Mas o The Final Countdown é muito bom.

Anônimo disse...

De fato, não é o melhor trabalho, que pra mim é o atual "Last Look At Eden" além de considerar o "Prisoners..." também superior. Mas a qualidade dos álbuns do Europe não deixa brecha pra falar "este é ruim". Na minha opinião, "The Final..." só não é o melhor por causa da produção, que (apesar de vencedora, como as vendas mostraram) deixou o som dos caras mais fraquinho.

AlBassPlayer
Curitiba

ZORREIRO disse...

Um sucesso de vendas. O que eu mais gosto é o Secret Society.
Mas esse é excelente tbm. E ótima resenha.

jantchc disse...

ainda não ouvi nenhum deles inteiro, mas se este cd tem 4 musicas q são classicas não tem como ele ser ruim..

мєαиѕтяєєт disse...

Um dos shows que eu mais lamento ter perdido. Foi uma grande cagada não ter ido à SP ver os caras no ano passado. Enfim...

Na minha opinião, The Final Countdown é o terceiro melhor disco do Europe. Perde em alguns aspectos para seus dois sucessores (principalmente para o Out of This World), mas resultou na turnê mais histórica já realizada pelo grupo.

E tem a música favorita do Stephen King: Carrie.

Emerson disse...

A maioria dos visitantes da Combe e dos fãs atuais do Europe não eram nascidos quando esse LP apareceu nas lojas... meu, eu tinha uns 11 anos quando vi essa capa numa loja, e pirei... já era fã de metal (tinha muita coisa do Iron, Judas, Manowar e Twisted Sister), e resolvi comprar a bolacha (até o papel da capa era fosco, muito legal). Não tem como não se empolgar com os teclados iniciais da faixa título! As outras músicas, eu levei uns meses pra digerir... tinha achado comercial demais... mas em pouco tempo lá estava eu cantando todos os refrãos.

Pode não ser o melhor do Europe, mas com certeza é o mais emblempático! Quando o nome da banda é citado, esse é o disco que me vem à memória...

[]´s
Merso

Anônimo disse...

Quem não tiver esse cd não precisa dizer que curte hard; é indispensável na sua coleção.