Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Rock City Angels - Young Man Blues [1988] + Midnight Confessions: Last Recordings From 1989 To 1992 [2010]



Essa saudosa Combe é lotada de exemplos de grupos que tinham um imenso talento e que vezes por falta de oportunidade e outra vezes por surgirem no momento errado, acabam por não se tornarem conhecidas ou não alcançam o sucesso almejado. Mas que tal uma banda que desde seu início foi sabotada por sua própria gravadora, que tinha como objetivo que a banda contratada não estourasse, para que assim não ofuscasse as maiores estrelas de seu cast?

Isso foi o que aconteceu desde o início com o Rock City Angels, em uma das histórias mais bizarras do rock. A banda surgiu no início dos anos 80, após o vocalista Bobby Boundage e o baixista Andy Panik assistirem ao documentário "The Decline Of Western Civilization", com o nome de "The Abusers". Com um foco inicial no punk com o tempo abraçam o visual glam e inserem uma generosa porção de hard rock a suas composições. Nesse tempo a banda se muda para Los Angeles, conquista uma base de fãs e inclusive conta com Johnny Depp (sim, esse daí mesmo que você está pensando!) na guitarra base. A primeira história bizarra ocorreu com a gerente da gravadora do primeiro lançamento do grupo, Anne Boleyn, recebe ameaças de morte para que desistisse deles, e é informada que a mandante era a gravadora major interessada na banda. Apesar de relutar contra isso, ela acaba por ceder quando seu carro é jogado para fora da estrada.


Com o caminho livre, a banda assina com a Geffen, que era a mesma gravadora do Guns N' Roses. E logo de cara é assinado um contrato de 6,2 milhões de dólares com o grupo. Mas foi aí que começou o inferno astral para eles. Primeiro a nova gravadora exige que Depp seja retirado da banda. Após, tranca a mesma por dois anos em Memphis para a gravação de seu novo disco. Todo esse tempo acaba por gerar boatos de que o objetivo era que o lançamento do disco da banda não ofuscasse o Guns, que na mesma época gravava o clássico "Appetite For Destruction. Mesmo assim a banda lança "Young Man Blues" em 1988, que acabou por fracassar, mesmo com a promoção do clipe de "Deep Inside My Heart" e aberturas de shows para Jimmy Page e Joan Jett.

Tudo ficou ainda pior quando a banda mostrou para os managers da Geffen as novas composições, do disco que seria chamado "Lost Generation", que não agradou e acabou por fazer que a banda sumisse do mapa. Lançaram ainda “Rock City Angels”, que se trata das gravações com sua primeira gravadora e "Use Once & Destroy". Porém no ano passado, dezoito anos depois, as músicas rejeitadas pela Geffen foram lançadas no disco "Midnight Confessions: Last Recordings From 1989 To 1992". E serão estes dois discos sabotados pela gravadora que apresentarei abaixo, nessa história para lá de curiosa.


Young Man Blues [1988]



Uma mistura perfeita entre hard rock, a sujeira do punk e boas doses de blues e southern rock. Essa é a salada musical que o Rock city Angels nos proporciona em seu primeiro disco oficialmente lançado. Quando ouvi pela primeira vez, achei uma mistura do ZZ Top com os vocais do Billy Idol. Algo curioso, mas que deu certíssimo e apresenta uma banda que faz um rock n' roll honesto e pra lá de contagiante. Ao contrário das bandas de hard da época, o som é bem sujo, apropriado para uma boa garrafa de Red Label.



Destaque para a excelente "Deep Inside My Heart", que abre o disco com muita energia. Nesta mesma linha temos as energéticas "Hard To Hold", "Our Little Secret", "Rumblefish" e "Damned Don't Cry", que confirmam que estamos diante de uma banda raçuda, daquelas de beira de estrada, que vai direto ao ponto e sem muita frescura. Sem falar nas baladas, quase todas com o pé no blues, como nas boas "Mary" e "South Of The Border". "Liza Jo" é claramente influenciada pelo Lynyrd Skynyrd, sendo outro grande destaque desse excelente disco. Após a audição, a certeza é de que realmente a banda tinha tudo para fazer sucesso e arrebentar, pois temos qualidade de sobra por aqui.

01. Deep Inside My Heart
02. Hard To Hold
03. Mary
04. Our Little Secret
05. Damned Don't Cry
06. Wild Tiger
07. These Arms Of Mine
08. Rumblefish
09. Boy From Hell's Kitchen
10. Liza Jo
11. Beyond Babylon
12. Hush Child
13. Ya Gotta Swear
14. Rough 'N' Tumble
15. South Of The Border


Bobby Durango - Vocais
Mike Barnes - Guitarras
Doug Banx - Guitarras
Andy Panik - Baixo
Jackie D. Jukes - Bateria

Músicos Adicionais:
Andrew Love, Wayne Jackson, Ben Cauley, Bill McKee - Metais
Jerry Carrigan - Percusssão
Wayne Bennett - Guitarras
Deborah C. Hall, Betram Brown, William Brown - Backing Vocals


Midnight Confessions: Last Recordings From 1989 To 1992 [2010]


Se no primeiro disco temos aquela mistura toda que gera um som único, no registro boicotado pela gravadora o som é mais voltado para o hard tradicional, pórem ainda distante do que as bandas da época apresentavam e carregado de influências setentistas, o que tira um pouco da sujeira apresentada inicialmente. O fracasso de seu disco de estréia com certeza afetou o grupo, pois é perceptível que em alguns momentos eles estão perdidos. Sem falar nas várias mudanças de músicos que aconteceram, onde só o vocalista Bobby Bondage e o baterista Ringo Jukes aparecem em todas as faixas.

Mas nem por isso deixamos de ter música bem construídas e que merecem ser ouvidas. A abertura com "Tear It Up" lembra os tempos de "Young Man Blues". "Shattered Shake", "Heart And Soul" (com Brian Robertson nas guitarras) e "Southern Vision" funcionam muito bem, assim como a linda "2:45", que mais uma vez segue a cartilha Lynyrd de baladas. Não é memorável como o antecessor, mas ainda assim é um bom disco.

01. Tear It Up
02. Looks Like Up
03. Just Can't Love
04. Shattered Shake
05. Midnight Confessions
06. Come Tumblin'
07. Heart And Soul
08. One More Time
09. Rise Above
10. 2:45
11. Right On Time
12. Ten Lonely Nights
13. Cryin' To The Night
14. Southern Vision
15. Sweet Ambition


Bobby Durango - Vocais e Percussão
Mike Barnes - Guitarras (2,4,5,6,12)
Lloyd Stuart Casson - Guitarras
Brian Robertson - Guitarras (7)
Doug Banx - Guitarras (2,4,5,6,12)
Steve Nolan - Guitarras
Andy Panik - Baixo
James Cooper - Baixo (7)
Ringo Jukes - Bateria
Rick Steff - Teclados (2,4,5,6,12)


By Weschap Coverdale

5 comentários:

Erich disse...

Rock City Angels é uma grande banda...
Tinha tudo para dar certo e ser um grande nome do hard nos saudosos anos 80...
Infelizmente rolou toda essa merda ai, o que para mim é a história mais BIZARRA da história de todo o rock 'n roll... oieoieioieo'

Anônimo disse...

Rock City Angels - Young Man Blues [1988]:
http://www.mediafire.com/?pjsydhl0yp3950p

Midnight Confessions: Last Recordings From 1989 To 1992 [2010]:
http://www.mediafire.com/?uwflv12ad5gjdrm

Dragztripztar disse...

izcutey u debute i tha maez duki aprovadu

It's a **** thing disse...

Latest interview with RCA

http://itsaxxxxthing.blogspot.com/2011/02/rock-city-angels-bobby-durango.html

Anônimo disse...

vi o clipe e a banda parece mto boa, mas não acredito q tenha sido prejudicada para não ofuscar o guns n' roses, pq convenhamos, mesmo a banda sendo foda, jamais superaria o appetite for destruction...valew pelo post!