Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

XYZ - XYZ [1989]



Ao acessar a Combe hoje, não fazia a mínima idéia do que ia postar. Mas por acaso ao olhar na barra de bandas postadas, senti falta de uma que foi postada na encarnação anterior do blog, mas que ainda não tinha aparecido por aqui, e que mais uma vez é uma grande pepita do hard 80's, o injustiçado XYZ. E podemos dar essa qualificação ao grupo, pois o talento aqui é latente, e ainda mandaram de trabalhos que são mais que recomendados para quem gosta de hard.

A banda foi formada na efervescente Los Angeles, que era o palco principal para as bandas de hard que pipocavam a todo instante nos clubes da cidade. E como não poderia deixar de ser, o grupo ganhou uma boa reputação após se tornar um dos grupos que batiam cartão no lendário clube "Whisky a Go Go". Acabam por chamar a atenção de uma gravadora, que coloca Don Dokken para produzir o primeiro disco da banda.


E a influência de Dokken pode ser percebida na maneira que Terry Ilous conduz suas linhas vocais, que por algumas vezes lembram o de Don, mas com um poder vocal ainda maior, e que acaba por ser o "às" da banda. Mas o grupo não fica muito atrás, pois todo o grupo faz um bom trabalho, com melodias cheias de energia e nos apresentam um registro elétrico e cheio de distorção, daqueles para ouvir em volume bem alto.

"Maggy" inicia os trabalhos sem muita frescura, um hard direto ao ponto, com riffs em profusão, uma bateria pesada e linha de baixo marcante, que fazem uma cozinha explosiva, sem falar em como Ilous aqui surpreende de maneira positiva, sem poupar seu gogó privilegiado. "Inside Out" vem e te faz pensar se eles queriam nos matar do coração, pois mais ume vez não nos poupam de riffs carregados de distorção e vocais espetaculares. Após esse incêndio inicial, a baladona "What Keeps Me Loving You" acalma bastante os ânimos, e essa saindo um pouco mais do hard e com uma roupagem mais AOR. A agitada "Take What You Can" volta a energia inicial do disco, com ainda mais peso do que apresentado até aqui, uma verdadeira porrada nos ouvidos.



"Follow The Night" cadencia tudo, pois é a canção mais arrastada de todo o registro, o que muda no hardão "Come on N' Love Me", com seu jeitão sacana e cativante. Mas tudo vem literalmente com a magnífica "Souvenirs", em que Ilous dá um show na interpretação, carregada de emoção e agudos estridentes, uma verdadeira aula de emoção em uma balada espetacular, daquelas que logo na primeira audição nos levam as lágrimas, sem falar na revolta que ele traduz no seu vocal pelo fim da relação e as recordações que sobraram, principalmente na parte final da canção.

"Tied Up" mais uma vez volta ao hard cheio de energia, o que é mantido em "Nice Day To Die", um outro hardão cadenciado e empolgante. E para finalizar esse ótimo disco temos a emotiva balada acústica "After The Rain", que mais uma vez é palco para Ilous nos dar um belo tostão de sua voz, que é deveras encantadora. Um ótimo disco e que me arrisco a dizer que é uma das pepitas mais legais que já postei. Pode baixar sem medo, porque aqui o material é nota 10!




1.Maggy
2.Inside Out
3.What Keeps Me Loving You
4.Take What You Can
5.Follow the Night
6.Come on N' Love Me
7.Souvenirs
8.Tied Up
9.Nice Day to Die
10.After the Rain


Terry Ilous – Vocais
Marc Richard Diglio – Guitarras
Patrick Fontaine – Baixo
Paul Monroe – Bateria



By Weschap Coverdale

11 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?0acbzmpmyo7ewc5

Dragztripztar disse...

Ao contrário do que muitos podem pensar, o XYZ não acabou por causa da "onda grunge". Infelizmente, o responsável pelo fim da banda foi o guitarrista Marc Diglio, que de uma hora pra outra resolveu abandonar o barco e deixar a música de lado.
Até hoje, o Ilous é 'grilado' com ele por causa disso, porque saiu quando as coisas estavam começando a acontecer pra eles – mesmo com a época se tornando desfavorável – e estavam conseguindo mostrar que tinham potenciais acima da média e seria impossível continuar sem uma das peças fundamentais que era o Diglio, pois não tocava como qualquer outro guitarrista da época. Diglio era muito criativo na elaboração dos riffs (exemplos maiores desse disco: Tied Up e Nice Day to Die) e tinha uma técnica invejável. Deve ter tido seus motivos pra abandonar as coisas, mas é lamentável... Ainda mais que foi um sufoco conseguir um contrato e a história de como conseguiram é bem engraçada também, mas já me estendi muito....

Enfim, a única diferença do debut pro Hungry é a produção (a do Hungry é muito melhor), ambos estão no mesmo nível de qualidade.

Sobre a resenha, achei que faltou destacar o quanto esse Diglio toca, porém devo aplaudir a parte "E a influência de Dokken podem ser percebida na maneira que Terry Ilous conduz suas linhas vocais, que por algumas vezes lembram o de Don, mas com um poder vocal ainda maior, e que acaba por ser o "às" da banda."

Dragztripztar disse...

Ah, vale lembrar que o XYZ retomou as atividades, por volta de 2003, mas nem sei se ainda continuam na ativa.

Weschap Coverdale disse...

Sim, eles ainda estão na ativa Dragz.

caue disse...

Bem postado, lembro que há umas duas semanas estava afim de ouvir a baladinha What keeps me loving you e não havia nada aqui no PC do trampo, aí o jeito é recorrer aos blogs. E o primeiro que vem à mente é a Combe. Pasmei ao não encontrar nada desses caras aqui, ou então nada do Baton Rouge (que vale uma boa resenha).

Não sei explicar o motivo, mas sempre que ouço o XYZ me vem a cabeça Hurricane (rsrsrs).

Abraços

Dragztripztar disse...

Fazia muito tempo que não escutava XYZ, e ouvindo agora, entendo por que não tenha dado destaque individual ao Diglio. A forma como ele toca nesse disco segue a fórmula convencional do Hard, no Hungry que as guitarras são mais técnicas, desenvoltas e com influência de Heavy Metal. Mesmo assim, ainda acho que os dois álbuns estejam no mesmo nível.

Quanto ao Baton Rouge, é outra banda injustiçada, não só a banda, como o Kelly Keeling que é um dos melhores vocalistas que surgiu na década de 90. Já pensei em fazer um Combest Of dele, mas não tenho mais paciência pra isso. É muito trabalhoso...

Weschap Coverdale disse...

Baton Rouge, bem lembrado Caue! Acho que o Keeling e o Ilous são os dois melhores vocalistas que quase ninguem conhece...

Eduardo Paiva disse...

Baixando para conhecer!

Thiago disse...

Eu como um bom apreciador do bome velho rock n' roll e também do hard rock oitentista, só digo uma coisa, XYZ é muito foda sem dúvidas! E como ja disse anteriormente esse site cada vez me surpreende mais, por isso ta nos favoritos e de lá não sai.

Rex Niskke disse...

cara esse debut é mto foda!!! mas o segundo album consegue ser ainda melhor,pqp que puta disco,desde a primera vez que escutei ele imagino uma resenha dele na combe,e eu ainda tenho esperanças de ver isso algum dia (risos)

enfim grande post!!!!

Weschap Coverdale disse...

Pode ter certeza que ele vai aparecer! rsrsrsrs...