Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quinta-feira, 17 de março de 2011

Hardline - Leaving The End Open [2009]


A trajetória do Hardline é marcada por hiatos. Apesar de ser uma das bandas mais adoradas pelos fãs diehard de Hard Rock tipicamente oitentista, nunca foi um sucesso de vendas porque chegou tarde demais à cena farofeira, com um debut (magnífico), "Double Eclipse", lançado apenas em 1992.

Dois discos foram lançados após a estreia: "II", de 2002 e "Leaving The End Open", de 2009. O mais recente e foco dessa postagem era esperadíssimo por dois motivos: além de ter sido prometido desde 2006, o conjunto se tornou adorado de verdade com a popularização da Internet, que trouxe várias pepitas perdidas e fora de catálogo ao acesso dos admiradores (caso de "Double Eclipse"). Mas, assim como seu antecessor, dividiu opiniões.

Não se pode esperar "mais do mesmo" de um grupo que apostou num gênero e simplesmente fracassou. Seria utópico, ainda mais se tratando de tempos em que o modelo de Hard Rock praticado na década de 1980 e início da década de 1990 não são, nem de longe, a aposta da mídia. A mudança de gênero apresentada aqui é natural e, mesmo assim, não é drástica.



"Leaving The End Open", que traz um Hardline novamente com mudanças de formação em relação a seus lançamentos anteriores, proporciona excelentes músicas com forte influência do mesmo AOR que foi difundido por um dos fundadores da banda: Neal Schon, lendário guitarrista do Journey. Com mais peso e toques de modernidade, sejam pelos arranjos musicais, pelas temáticas das composições ou pelas linhas vocais de Johnny Gioeli - que utiliza mais vozes graves.

A maturidade e a qualidade do material apresentado é incrível. Gioeli, apesar de se centrar em vozes mais graves em alguns momentos, demonstra um poderio vocal incrível, que é exaltadamente melódico e apaixonante. A dupla constituída pelo guitarrista Josh Ramos e pelo tecladista Michael T. Ross fez a diferença ao imprimirem identidade e personalidade em seus instrumentos. E o baterista Atma Anur merece menções honrosas, por inserir linhas de bateria muito criativas e bem colocadas.

Entre os destaques, se encontram a poderosíssima Voices, as animadas Give In To This Love e Pieces Of The Puzzle e as infalíveis baladas Before This e Bittersweet - esta muito próxima de qualquer outra do debut. Download que vale a pena para todos que procuram Hard Rock melódico sem se preocupar com famigerados revivals.



01. Voices
02. Falling Free
03. Start Again
04. Pieces Of Puzzles
05. Bittersweet
06. She Sleeps In Madness
07. In This Moment
08. Give In To This Love
09. Before This
10. Hole In My Head
11. Leaving The End Open

Johnny Gioeli - vocal
Josh Ramos - guitarra, backing vocals
Jamie Browne - baixo
Atma Anur - bateria
Michael T. Ross - teclados, backing vocals

Músico adicional:
Jun Senoue - guitarra em 9

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

14 comentários:

Anônimo disse...

Hardline - Leaving The End Open [2009]
(94,2mb ~ 256kbps)

http://www.mediafire.com/?e62a5y814x6ynvg

Thiago disse...

Johnny Gioeli pra mim é um dos melhores vocalistas que existe. O timbre de voz dele é fantástico, e está na minha lista de vocalistas preferidos.

Quanto ao CD, é um Hardline atualizado..sem se prender ao passado, mas com as características que marcaram a banda.

Baixem sem medo.

Ron Mick disse...

Cralho, o Neal Schon é foda. Montou três grupos FODA, mas é um puta cara ranzinza: viu que nem o Hardline nem o Bad English iam dar mais grana que o Journey (mais por questões de royalties do que por falta de qualidade) pulou fora do barco sem nem hesitar, voltando pra banda que lhe deu fama e fortuna, porém, hj em dia o Journey tá mais pra uma banda cover do antigo Journey do que qualquer coisa. Mas o que o velhinho não podia impedir era a volta do Hardline, cujo vocal havia obtido MUITO destaque com o Axel Rudi Pell, visto que o alemão trocava de cantor como quem muda canal na tv. O resto é história...
Tivemos mais dois álbuns bons, embora não superem o primeiro nunca, que ao menos resgataram o prestígio que essa banda teve, e os apresentaram pra uma nova geração. Acho que se o Justin Bieber tivesse ouvido Hardline, teríamos ficado livres de milhões de bebês por aí... hehehee
Façam como o Thiago recomendou brilhantemente e baixem sem medo, pois vale muito a pena!

Henrique disse...

Baixando pra conferir, o debut é muito bom, esse eu nunca ouvi. Valeu

Eduardo Paiva disse...

Vou baixar para ouvir, ainda mais que foi pela Combe que conheci o Hardline!

Anônimo disse...

Caras, o Hardline é um conjunto que devia ter mais destaque com certeza no atual cenário do Hard Rock, com a volta de várias bandas do estilo à cena.
Considero "Double Eclipse" um álbum perfeito. Não há uma só coisa negativa para dizer a respeito desse trabalho que ouvi milhões de vezes do meu CD player.
A dúvida quanto aos álbuns posteriores é: o Hardline não é o mesmo sem o Neal Schon? Ou não faz diferença quem é o guitarrista?
Mas uma coisa é certa: sem o Johnny, a banda jamais teria tido o enorme respeito que tem até hoje entre seus fãs. Tanto que só comecei a comprar e escutar os álbuns do Axel Rudi Pell por causa dos vocais. E descobri mais uma ótima banda.
A melhor coisa para a banda Hardline ter uma boa receptividade nos dias atuais é fazer shows. E seria muito legal se viessem para cá, em um local de acordo com sua qualidade e importância.

Quanto ao "II" e este "LTEO", escutei tão pouco que preciso voltar a executá-los novamente. O fato é que nenhum deixou na memória tantas músicas boas quanto o seu debut. Mas quem gosta de Hardline pode fazer um pequeno sacrifício, afinal, são álbuns que valem a pena ouvir, em meio a tantas bandas que ouvimos atualmente.
Outra coisa intrigante é que o primeiro Bad English também é excelente, mas o segundo pouco captura a mesma vibe, apesar de ser bom. Mas entre o Gioeli e o Waite, o primeiro detona! Acho que o Gioeli seria um excelente segundo Klaus Meine em uma segunda banda Scorpions.

Abraços Rocker!

Rafael (Melão) disse...

Confesso que quando baixei esse disco na época que saiu, fiquei um tanto decepcionado, pois esperava mais se tratando de um Hardline... achei AOR demais e Hard de menos... e sem trazer nada de menos pra um disco de AOR.

Mas ouvi muito pouco também. Vou baixar de novo e escutar com mais calma.

ZORREIRO disse...

Recomendadíssimo.
Como dito acima, os caras não se prenderam ao passado, mas mantiveram a qualidade.

Carlos Sugawara disse...

só uma coisa a dizer...

longa vida à combe!!!

valeu pessoal!

tks Silver.

abçs.

jantchc disse...

gostei muito do 1º, o segundo e este ainda são legais, mas mais suaves..

uma boa parte da qualidade da banda ta no gioeli, o cara é muito bom..

só não baixo este cd pq já tenho..

Anônimo disse...

Eu acho a voz desse cara fantástica e quisera cantasse um décimo do que ele canta...Gosto muito do Double Eclipse e espero gostar tanto desse quanto do anterior. Grande post!!!!!

Alexandre disse...

Gosto muito da Combe, mas sinceramente esse Hardline (os três álbuns) é muito fraco, não passa de uma imitação de Bon Jovi só que bem menos criativo.

Karen disse...

Vlwwww, ótimo. *o*

Anônimo disse...

excelente banda muchas gracias por el aporte saludos desde Ururguay