Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 9 de março de 2011

Vaughan Brothers – Family Style [1990]


Pouca gente sabe que, quando Stevie Ray Vaughan começou sua carreira de blues man, seu irmão mais velho Jimmie já detonava na cena texana com seu grupo The Fabulous Thunderbirds.

Stevie tentava o reconhecimento a todo custo, tendo gravado inclusive com David Bowie no multiplatinado Let’s Dance. Quando sua carreira ao lado do Double Trouble passou a chamar a atenção do mundo, o irmão mais novo de Jimmie foi aclamado como o responsável pela revitalização do blues, tão menosprezado naqueles excessivos anos 80. Alguns até o chamaram de o novo Hendrix e essas bobagens que aparecem quando um talento desponta.


O fato é que Stevie desenvolvia sua técnica em composições próprias e em covers de clássicos do blues e do rock imprimindo a sua personalidade com uma força pouco vista até então. Quem tiver a oportunidade de assistir o vídeo Live at El Mocambo verá uma das melhores versões de Voodoo Child (Slight Return), de Jimi Hendrix, da história. Esse motorista que vos escreve, mesmo sendo Hendrixmaníaco, acha a tal versão melhor até mesmo que a original.

Enquanto isso, os Fabulous Thunderbirds tornavam-se expoentes do blues texano e, querendo ou não, pegavam certa carona com a fama do irmão mais novo de Jimmie para serem conhecidos mundialmente. Os dois irmãos são feras nas composições e nas guitarras. A voz de ambos tem praticamente o mesmo timbre de “taquara rachada”, e dividem opiniões: ou se adora, ou se odeia.

Os irmãos Vaughan já tinham suas carreiras consolidadas quando resolveram gravar um disco juntos, em 1990. O resultado é a postagem de hoje: Family Style. O título não poderia ser mais apropriado.

O disco foi gravado basicamente em três locais diferentes: Memphis (Tennessee), Dallas (Texas) e New York. Isso porque conta com participações mais que especiais e músicos de primeira linha. Nile Rodgers (Chic) foi o produtor e toca guitarra. Doyle Bramhall segura as baquetas junto com Larry Aberman, além de participar da autoria de diversas músicas do disco. O cast não traz nenhum músico da Double Trouble (banda de Stevie) e nem dos Fabulous Thunderbirds (banda de Jimmie).

Sobre Bramhall, é importante lembrar que tocou com Jimmie Vaughan na primeira banda de ambos, chamada The Chessmen, a qual chegou a fazer um show de abertura para Jimi Hendrix, em 1969. Nos anos 70, Bramhall formou um grupo com o irmão mais novo de Jimmie, Stevie, chamado The Nightcrawlers. Bem no estilo família. É pai de Doyle Bramhall II, que formou a banda Arch Angels com os remanescentes do Double Trouble. Tudo em casa.



Voltando ao disco, é uma aula de feeling. Foi a primeira vez que ouvi acordeon em um disco de blues. Mas isso também significa que o play está longe de ser purista. É música feita com estilo, sem se prender a rótulos ou fórmulas. O climão de festa está presente por todo lado.

White Boots e Good Texan são cantadas por Jimmie. Percebe-se que o mais velho desenvolve um timbre de guitarra parecido com o de Alberto King, enquanto Stevie busca aquele timbre limpo de amp Fender no volume máximo. O bom humor é latente, tanto nas execuções dos instrumentos como nas letras. Confira o vídeo abaixo.



Hillbillies From Outerspace traz o Texas aos nossos ouvidos. Impossível não lembrar de Billy Gibbons e seu ZZ Top. O disco, em si, é uma pérola que não pode faltar na discografia de um bom amante do blues, do rock, das seis cordas, das 88 teclas, dos sopros...

É impressionante o que o DNA pode trazer. Nesse caso, talento absoluto.

Track List

1. Hard to Be
2. White Boots
3. D/FW
4. Good Texan
5. Hillbillies from Outerspace
6. Long Way from Home
7. Tick Tock
8. Telephone Song
9. Baboom/Mama Said
10. Brothers

Stevie Ray Vaughan (vocais e guitarras)
Jimmie Vaughan (vocais, guitarras, lap steel, órgão)
Nile Rodgers (guitarras)
Rockin' Sydney (acordeon)
Steve Elson (saxofone)
Stan Harrison (saxofone)
Richard Hilton (piano, órgão)
Preston Hubbard (baixo acústico)
Al Berry (baixo)
Larry Aberman (bateria)
Doyle Bramhall (bateria)
Tawatha Agee, Curtis King Jr., George Sims, David Spinner, Brenda White-King (backing vocais)



Link nos comentários
Link on the comments

Por Zorreiro

7 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?pp3ahvvbf69egix

Érico disse...

Detalhe: esse album foi lançado poucos dias após a morte do Stevie, o que o torna ainda mais único.

Paulo disse...

ótimo!!!
valeu pelo post!!!

Anônimo disse...

Stevie Ray Vaughn... esse nome jamais poderá ficar de fora da lista dos grandes mestres do Blues e do Rock.
Porque não será uma lista qualquer, será o testamento que os humanos deixarão para a próxima civilização quando nós formos simplesmente aniquilados do planeta, em 2012 (segundo os fanáticos e os alarmistas), mas também porque ao seu lado estarão todos os nossos grandes ídolos, que contribuíram sobremaneira pelo alto nível da música e da arte que criaram.

Ótima postagem!

Abraços Rocker!

jantchc disse...

o stevie é bem legal, mas nunca tinha ouvido falar deste irmão dele..

otimo post, nem que seja só por curiosidade

Arno Materiais Eletricos disse...

Excelente post, só nao fiz o download pq ja tenho o vinil em casa.
Mas é otimo como tudo oq o SRV faz, td em que o cara poe o dedo pode saber que é de qualidade.

sueco disse...

cara, White Boots é muito foda!!!

discão!