Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Avantasia - The Metal Opera [2001] + The Metal Opera Part II [2002]

Tobias Sammet já desfrutava de certo prestígio na cena graças ao seu trabalho no Edguy, quando resolveu colocar em prática o projeto Avantasia (junção das palavras Avalon e Fantasia). A idéia de uma ópera metálica, com personagens interpretados por diferentes vocalistas não era realmente original. Porém, abriria espaço para que toda uma nova geração de músicos partisse para a mesma proposta. Quem fez melhor é uma questão estritamente de gosto pessoal. Mas o fato é que nenhum alcançou o sucesso desse aqui, que perdura até hoje. Mesmo assim, é importante frisar que a história original se resume a esses dois capítulos que aqui trazemos.


E em se tratando de um estilo que gradativamente caía em um marasmo, com discos e bandas repetitivas, podemos dizer que o mérito de Tobias é ainda maior. As duas partes da Metal Opera estão entre os melhores trabalhos da história do gênero, com músicas pegajosas e de qualidade musical superior. E o maior mérito, indiscutivelmente, foi reunir um conjutno de vocalistas que representavam o que de melhor havia na cena. A façanha de conseguir tirar Michael Kiske do exílio musical (na primeira parte usando o pseudônimo Enie) foi a cereja que faltava no delicioso bolo preparado pelo compositor e personagem principal.

A história se passa no ano de 1602, com o monge noviço dominicano Gabriel Laymann (Tobias Sammet) tentando libertar sua meia-irmã, Anna Held (Sharon Den Adel), que está prestes a ser julgada pela Igreja Católica Romana como uma bruxa. Após ser descoberto por seu mentor, o monge Bruder Jakob (David DeFeis), ele é preso em uma masmorra. Lá, conhece Lugaid Vandroiy (Michael Kiske), um ancião que se torna seu guia na missão de salvar Anna. Para escapar da prisão, os dois acessam um mundo paralelo, conhecido como Avantasia. Lá chegando, conhecem o elfo Elderane (Andre Matos) e o duende Regrin (Kai Hansen).



Enquanto isso, na Terra, o bispo Johann Adam von Bicken (Rob Rock) e o juiz Falk von Kronberg (Ralf Zdiarstek) viajam até Roma para encontrar o Papa Clemente VIII (Oliver Hartmann). Junto, levam o livro secreto que Gabriel abriu e leu. Reza a lenda que nele está a última das sete partes do selo sagrado. Quem desvendar a mensagem e levar até a torre no centro de Avantasia terá a sabedoria absoluta. Ao mesmo tempo, se a barreira entre a Terra e Avantasia for quebrada, as conseqüências poderão ser trágicas para os dois mundos. Sabendo disso, o Papa conversa com a misteriosa voz dentro da torre (Timo Tolkki). Enquanto isso acontece, Gabriel rouba o selo, desencadeando a guerra. Ao fugir, ele chega a Sesidhbana, cidade dos elfos, onde termina o primeiro disco.


Querendo descobrir mais sobre Avantasia, Gabriel é levado até a Árvore do Conhecimento (Bob Catley). Ao mesmo tempo ele tem uma visão de Jakob ardendo em um lago de chamas como castigo pela traição de seu pupilo. Sentindo-se culpado, o personagem principal decide ir a sua ajuda, deixando o salvamento de Anna temporariamente de lado. Daí pra frente, uma série de acontecimentos leva ao desfecho da história, que obviamente deixarei que descubram ao ouvir os álbuns. Com o encarte em mãos, a coisa fica bem mais fácil, é claro, mas várias páginas na internet detalham a saga de maneira bem satisfatória.

Além de toda a emocionante trama desenvolvida, a obra se destaca por conter uma forte crítica à realidade da Igreja Católica até os dias atuais. Os personagens ligados a ela exercem um papel dominante sobre as pessoas comuns, apresentando-se como únicos donos da verdade e tentando manter todos afastados de qualquer tipo de instrução, para que não descubram suas reais intenções em manipular o poder em nome de Deus. Algo não muito diferente do modelo cruel e ganancioso que vimos acontecer repetidamente em inúmeras passagens da história da humanidade.



Musicalmente, as duas partes de The Metal Opera são primorosas. A base é o Power Metal, mas especialmente na parte 2 há algumas tímidas aproximações do Hard Rock, que seriam ainda maiores nos trabalhos posteriores. Prova disso são as participações de Bob Catley e Eric Singer no segundo capítulo, duas figuras com raízes nesse estilo. O êxito comercial surpreendeu até mesmo Tobias, com disco de ouro na Alemanha e ótimas posições em várias paradas européias. Algo mais que justo, pois estamos diante de momentos referenciais na história do Heavy Metal. Material indispensável na coleção de qualquer fã de Rock. E uma prova definitiva de que inteligência e sucesso podem conviver em harmonia.


The Metal Opera [2001]

Tobias Sammet (vocals on 2, 3, 5, 6, 7, 9, 11, 12 & 13; keyboards, piano & orchestration)
Ernie/Michael Kiske (vocals on 2, 5, 6, 9 & 13)
David DeFeis (vocals on 3 & 13)
Ralf Zdiarstek (vocals on 4 & 7)
Sharon Den Adel (vocals on 6)
Rob Rock (vocals on 7 & 12)
Oliver Hartmann (vocals on 7, 12 & 13)
Andre Matos (vocals on 11, 12 & 13)
Kai Hansen (vocals on 11 & 12)
Timo Tolkki (vocals on 13)

Henjo Richter (guitars)
Markus Grosskopf (bass)
Alex Holzwarth (drums)
Norman Meiritz (acoustic guitar on 6)
Frank Tischer (piano on 11)
Jens Ludwig (guitars on 12 & 13)

01. Prelude
02. Reach Out For the Light
03. Serpents In Paradise
04. Malleus Maleficarum
05. Breaking Away
06. Farewell
07. Glory Of Rome
08. In Nomine Patris
09. Avantasia
10. A New Dimension
11. Inside
12. Sign Of the Cross
13. The Tower


The Metal Opera Part 2 [2002]

Tobias Sammet (vocals, keyboards, orchestration, bass on 10)
Michael Kiske (vocals on 1 & 2)
David DeFeis (vocals on 1 & 5)
Ralf Zdiarstek (vocals on 9)
Sharon Den Adel (vocals on 10)
Rob Rock (vocals on 1 & 6)
Oliver Hartmann (vocals on 1)
Andre Matos (vocals on 1, 2 & 8)
Kai Hansen (vocals on 1 & 8)
Bob Catley (vocals on 3 & 4)

Henjo Richter (guitars)
Markus Grosskopf (bass)
Alex Holzwarth (drums)
Eric Singer (drums on 10)
Frank Tischer (piano on 1, 4 & 7)
Norman Meiritz (guitars on 10)
Timo Tolkki (guitars on 1 & 10)
Jens Ludwig (guitars on 5 & 9)

01. The Seven Angels
02. No Return
03. The Looking Glass
04. In Quest For
05. The Final Sacrifice
06. Neverland
07. Anywhere
08. Chalice of Agony
09. Memory
10. Into the Unknown

Links nos comentários
Links on the comments


JAY

9 comentários:

Anônimo disse...

Avantasia – The Metal Opera [2001]

85 MB
192 kbps

http://www.mediafire.com/?8brj86tv6v1z21u

Avantasia – The Metal Opera Part 2 [2002]

85 MB
192 kbps

http://www.mediafire.com/?vdzkhzaabeue41b

Thiago disse...

Melhor disco de power metal da historia.Valeu Combe.

Thiago disse...

Melhor disco de power metal da historia.Valeu Combe.

Anônimo disse...

Menos Thiago, menos.

Rex Niskke disse...

nunca me apeguei mto ao segundo,mas o primeiro é simplismente o melhor disco de heavy metal com sinfonica que ja ouvi,nao sou nenhum especialista no assunto,mas tenho certeza que qualquer um que tenha ouvidos e escute esse disco nao possa dizer nda menos que fantatisco,puta disco,tobbias é um puta de um compositor,e mal posso esperar pro cd novo do edguy,hehe!!! grande post jay!!! o/

Caue Machado disse...

Muita firulagem pro meu gosto.
São musicas de tecnica absurda, e musicos competentissimos, principalmente o Tobas, ops, Tobias.

Mas que é um porre, é!
Não me empolga por nada.

Jay disse...

Discordo totalmente que sejam músicos de técnica absurda. Ao contrário, são músicos bem comuns em sua maioria. O forte tanto do Avantasia quanto do Edguy está nas melodias. Nenhum deles é um grande instrumentista no aspecto técnico. Não é porque os caras fazem Power Metal que significa que todos sejam acima da média tocando. Aliás, a maioria dos que fazem esse estilo são "apenas" bons, mas nada demais. Só que as músicas conseguem passar essa impressão de serem muito mais complexas que na realidade são.

Renato Spacek disse...

Velocidade muitas vezes pode ser confundida com técnica excessiva, uma palhetada alternada bem veloz aqui, um pedal duplo ali e afins...

Mas isso não muda o fato de que Avantasia é excelente, e na minha opiniào o Metal Opera I é o melhor disco.

Gus disse...

baixei há um tempo e não consegui ouvir mais de uma vez.... muita firulagem pro meu gosto. de qualquer forma, parabéns por divulgar

\m/