Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 11 de maio de 2011

David Lee Roth – A Lil’ Ain’t Enough [1991]


Para muitos – e às vezes penso que até para o próprio – a carreira solo de David Lee Roth se resume aos dois primeiros álbuns, Eat’Em and Smile e Skyscraper. Mas isso depende muito do que o ouvinte procura. É sabido que o showman sempre teve mente aberta a tudo que o envolvia no mundo Pop. E foi assim que levou boa parte de sua história como um dos maiores frontmen da história. E uma coisa ninguém pode discordar: ele sempre se cercou de alguns dos melhores músicos da cena. Afinal, poucos poderiam perder Steve Vai e substituir com ninguém menos que o garoto prodígio Jason Becker. Some a isso a cozinha formada pelos irmãos Bissonette e temos uma senhora banda.

Produzido por Bob Rock (ao mesmo tempo em que este trabalhava com o Metallica no multiplatinado Black Album), A Lil Ain’t Enough traz o David festeiro de sempre, com os pés fincados no Hard Rock, mas sem deixar de incorporar diferentes elementos. O que não soa como algo tão descrepante para aqueles que já estão acostumados a escutar o que Diamond Dave faz. Mas o Rock and Roll dita o ritmo pra valer em ótimos momentos, como a faixa-título, que acabou ganhando maior notoriedade graças ao videoclipe, que foi censurado pela MTV após poucas exibições por mostrar moças voluptuosas e anões. Moralismo puro, mas avaliando a situação em termos de repercussão, não poderia ter sido melhor. E apesar de sua letra parecer apenas outra coleção de clichês, preste atenção na mensagem que ela traz, é de grande valor.



O clima segue lá em cima com “Shoot It”, que traz metais e piano, dando um clima vintage dos bons. “Tell The Truth” foi o segundo single e traz um clima blueseiro excelente, com Roth exercitando seu estilo canastrão com maestria e mostrando todo aquele humor que caracteriza sua fase no Van Halen. E a capacidade de criar belas e fáceis melodias não se perdeu com o tempo, como fica claro em “40 Below”, “Sensible Shoes” (o começo com a gaita e os rosnados valem a faixa, que foi o terceiro e último single do play) e o rockão à la Aerosmith “Last Call”, que traz grandes semelhanças com o clássico “Walk This Way”. E Jason Becker tem a chance de mostrar toda sua categoria na acelerada “It’s Showtime!”, som que casa perfeitamente com seu nome.

Infelizmente, a lembrança que a maioria sempre terá de A Lil’ Ain’t Enough será a de que foi durante suas gravações que o guitarrista começou a sentir os problemas que acabariam tirando todos os movimentos de seu corpo com o passar do tempo – a Síndrome de Lou Gherig. Ao menos ele teve forças para completar o trabalho, deixando uma grande lição de perseverança, que faz com que, mesmo impossibilitado de levar uma vida normal atualmente, siga compondo, lançando discos (gravados por outros músicos) e sendo admirado pelos maiores instrumentistas do mundo. Uma prova de que devemos encarar as adversidades e aproveitar nosso tempo como pudermos, valorizando cada momento.



O álbum vendeu mais de 400 mil cópias apenas na época de seu lançamento, alcançando a posição de número 18 no Top 200 da Billboard. A turnê foi de sucesso apenas mediano, com o guitarrista Joe Holmes (Ozzy Osbourne) assumindo o lugar de Jason – além de Todd Jensen (Hardline, Alice Cooper) no baixo, em substituição a Matt Bissonette. Apesar de não ter atingido o status de seus antecessores, é um disco que merece ser conferido pelos admiradores do estilo único e impagável do grande David Lee Roth.

David Lee Roth (vocals)
Jason Becker (guitars)
Steve Hunter (guitars)
Matt Bissonette (bass)
Brett Tuggle (keyboards)
Gregg Bissonette (drums)

01. A Lil' Ain't Enough
02. Shoot It
03. Lady Luck
04. Hammerhead Shark
05. Tell The Truth
06. Baby's On Fire
07. 40 Below
08. Sensible Shoes
09. Last Call
10. The Dogtown Shuffle
11. It's Showtime!
12. Drop In The Bucket

Link nos comentários
Link on the comments


JAY

12 comentários:

Anônimo disse...

David Lee Roth – A Lil’ Ain’t Enough [1991]

66 MB
160 kbps

http://www.mediafire.com/?3vfctes86j4b1bt

Ricardo Brovin disse...

Jason realmente é um exemplo de superação!!!parabéns pelo post e pela resenha...Vamos torcer pro novo cd do Van Halen ser um grande retorno!!!

Anônimo disse...

Uma coisa que me surpreendeu muito, ao conhecer a biografia de David Lee Roth, é saber que ele foi contra a inclusão da música I'll Wait no disco 1984, do Van Halen.

Isso porque a afirmação que normalmente circulava a seu respeito era a de que ele era o farofão do grupo, quando, na verdade, era a favor de se manter aquela veia rock 'n roll antigo que o Halen tinha. Chegou mesmo a dizer que a música do Halen estava virando música para dona de casa, antes de largar o grupo, que a música do grupo estava ficando chata.

O principal problema do grupo, em termos de direcionamento musical, vem daquele que é também sua principal qualidade: Eddie Van Halen.

Anônimo disse...

Quem diria o Bob Rock produzindo um bom disco.

Ron Mick disse...

Diz a lenda que Becker terminou de gravar o àlbum com apenas METADE da velocidade. E ainda assim é rápido pra cacete! Ele é um dos maiores exemplos de superação que eu conheço! Tem gente com todos os movimentos do corpo que só faz caca, e ele só pisca os olhos!
Bem, sobre o àlbum, eu considero o melhor do David justamente pq tem essa diversidade de estilos e canções fantásticas, não só bululus e fritação de gatinhos do Eat Them, sem contar que o Jason seria um guitarrista mais completo que o próprio Steve Vai não fosse a doença. Stevetes, não me matem.rsrsrs. É a minha opinião.
E o Dave NUNCA MAIS produziu/irá nada com essa qualidade.
Felicitar o Jay pelas ótimas resenhas é chover no molhado.

Anônimo disse...

Vou baixar esse. Nao escutei ainda.

Considero David Lee Roth um dos melhores frontmen que existe. Nos shows que tenho suas performances sao excelentes!
Sem mais.
Valeu Jay e Combe!

Yusef

AlBassPlayer disse...

Na minha opinião, o último disco bom do DLR. Jason trouxe um toque de classe no trabalho de Dave e, de fato, isso fez com que este fosse o play mais consistente de sua carreira. Bob Rock mais uma vez produzindo um bom disco (bom, até St Anger do Metallica o considerava um bom produtor...)provando que até então o cara manjava mesmo de Hard Rock. Discasso.

Diego De Los Santos disse...

Bob Rock produziu o Dr. Feelgood do Motley...

Acho esse disco sensacional. Foi o primeiro do DLR que conheci e escutei exaustivamente...

destaques, além da faixa título são Shoot it e Hammerhead Shark

barbara disse...

se não fosse por esse post, ia deixar passar batido esse disco do David Lee. são tantos "allmusic" da vida botando lá no alto o primeiro disco solo dele (que nem achei lá grandes coisas), que desanimei total de baixar "a lil' ain't enough", que só pelas duas faixas que ouvi, parece ser o melhor da discografia do ex-atual-ex-vocalista do =VH=

Bruno Siqueira disse...

Só registrando, o Jason gravou apenas a faixa título e as duas ultimas, Drop in the Bucket e It's Showtime.

Anônimo disse...

Há muito tempo não ouço esse disco. Vou baixar! Parabéns pelo Blog.

ZORREIRO disse...

Aqui temos o último trabalho solo de Roth que realmente vale a ouvida.
Agora, o que aconteceu com Jason é simplesmente inaceitável para os fãs do cara.
Não vou deizer se seria melhor ou pior que fulano ou beltrano, mas um artista de ponta, isso afirmo categoricamente.
Grande post.