Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Barão Vermelho – Supermercados da Vida [1992]


Muitas vezes o pré-conceito estabelecido nos faz perder várias coisas boas na vida. Isso se aplica muito no Rock, onde os apreciadores mais radicais não toleram o sucesso comercial, como se toda banda não quisesse atingir o reconhecimento fazendo seu honesto trabalho. Falo isso porque, explicar para a geração mais nova a importância do Barão Vermelho na história do Rock n’ Roll feito em terras brazucas é, quase em 100% das ocasiões, como dar murro em ponta de faca. Tá certo que os últimos trabalhos da banda cada vez mais tendem para o Pop/Rock. No entanto, Frejat e sua turma possuem uma folha corrida de bons serviços prestados que falam por si só.

Lançado logo após a turnê que comemorou os dez anos do grupo, “Supermercados da Vida” é um disco com a cara do Barão. O play marca a estréia de Rodrigo Santos no baixo, em substituição a Dadi. Aquele som totalmente stonenano, com toques de Blues e guitarras pesadas comparece de maneira direta, desde a abertura com “Fúria e Folia”, música beirando o Hard Rock, especialmente em seu final arrasa-quarteirão. Na seqüência vem “Odeio-te Meu Amor”, homenageando o rock paulistano dos 70’s no melhor estilo Jagger/Richards.



Outro destaque vai para a música de trabalho, a densa “Pedra, Flor e Espinho”, que contou com um videoclipe para lá de polêmico, especialmente à época – lembrem que recém estávamos nos acostumando com a proposta de linguagem de uma então novata MTV Brasil. Merecem ser citadas também “Flores do Mal”, uma das mais belas baladas da história do Rock nacional (com uma letra perfeita para a dor-de-cotovelo) e “Azul Azulão”, uma espécie de filha bastarda brasileira do Deep Purple, com levada à la “Black Night/Strange Kind of Woman”, Hammond e tudo mais que se tem direito. Aliás, nela temos a particpação de ninguém menos que Luis Carlini, lenda viva da guitarra em terras tupiniquins, líder do Tutti Frutti, que acompanhou Rita Lee em seu melhor momento solo.

O álbum teve a participação de George Marino na produção, que também trabalhou com Queen, Aerosmith, Led Zeppelin, Iron Maiden, AC/DC, Van Halen, Metallica, Dio e Guns N’ Roses, além de alguns mais recentes como Coldplay, Slipknot e Nickelback. Pouco, né (risos)? Não deixe passar a oportunidade de conferir esse clássico feito por esses lados do mapa mundi.

Roberto Frejat (vocais e guitarras)
Fernando Magalhães (guitarras)
Rodrigo Santos (baixo)
Guto Goffi (bateria)
Peninha (percussão)
Maurício Barros (teclados – convidado especial)

Participações
Guilherme Arantes (piano na faixa #2)
Sivuca (acordeom na faixa #4)
Luis Carlini (guitarra na faixa #5)

01. Fúria e Folia
02. Odeio-te Meu Amor
03. Pedra, Flor e Espinho
04. Flores do Mal
05. Azul Azulão
06. Fogo de Palha
07. Fios Elétricos
08. Supermercados da Vida
09. Sombras no Escuro
10. Cidade Fria
11. A Noite Não Acabou
12. Comendo Vidro
13. Portos Livres
14. Marcas no Pescoço

Link nos comentários
Link on the comments


JAY

11 comentários:

Anônimo disse...

Barão Vermelho – Supermercados da Vida [1992]

45 MB
192 kbps

http://www.multiupload.com/SX1BW0EWEL

Weschap Coverdale disse...

Sou suspeito pra falar, porque Barão foi uma das bandas que ouvi quando muleque e mesmo nos trabalhos mais direcionados para o pop, tem uma pegada legal. Mas esse acho o ápice da carreira do grupo!

ZORREIRO disse...

Sem dúvida, Weschap. Esse é o disco do Barão em que eles atingiram o ápice da maturidade sem Cazuza.
Ninguém tinha nada para provar. Vamos fazer apenas um bom diisco de Rock. E fizeram.

Ricardo Brovin disse...

baixando!!! essa da produção eu não sabia!!!show!!!vlw

Anônimo disse...

Aê galera da Combe. Tô gostando do direcionamento um tanto 'alternativo' que as postagens mais recentes vem tomando.

E, aproveitando o ensejo, gostaria de deixar um outro cara alternativo e que sempre tentam silenciar:

http://www.youtube.com/watch?v=uCB0oK5AxxI

Abraxxxxx!!!!

Natan Vieira disse...

Também sou suspeito, curto barão em todas as fases e esse disco é demais.
Também não consigo entender gente do Rock torcer o nariz, o Barão sempre teve um pé fincado no Blues e no Classic Rock desde os tempos de Cazuza e os músicos são muito bons.Inclusive, um amigo meu virtuoso, admira demais Frejat, sempre exaltando a expressão, o feeling e a precisão deste nas 6 cordas...
E o Fernando Magalhães é um monstro, busquem qualquer aolo de guitarra dele mais comprido e entenderão o que estou dizendo...

Anônimo disse...

Só pra acrescentar nas participações...

Em "Fio Elétricos" tem o Clemente (Inocentes, que compôs a música junto do Frejat) tocando guitarra.

Toledinho disse...

Cara, não tinha como ver essa postagem e não comentar. É de longe o melhor disco do Barão. Junto com "Carnaval", "Na Calada da Noite" e "Carne Crua", temos o melhor período do Barão. Eu tenho todos os discos dos caras e pessoalmente acho que o Barão sem o Cazuza é muito mais Rock N' Roll.

Rfred80 disse...

Show de bola esse album, muito obrigado!

Ricardo Adriano disse...

Eu quero aproveitar a oportunidade pra dizer também que esse album é altamente recomendado. Para mim a fase mais madura do Barão.
Rock'n'Roll na íntegra, baixem sem preconceito e sem medo que é coisa de primeira. Abraço a todos.

`Pacheco´ disse...

depois de ver somente elogios
vou baixar e conferir
obrigado pelo post combe
bom trabalho nos garimpos ultimamente
tenho conhecido somente boas bandas
vlw =J