Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

domingo, 7 de agosto de 2011

Ozzy Osbourne - The Ultimate Sin [1986]


O disco “pouser”. Embora o próprio Madman não se sinta muito confortável com essa fase de sua carreira – quando resolveu virar uma mistura de Hebe Camargo com Cid Guerreiro, em termos visuais – The Ultimate Sin possui uma verdadeira legião de admiradores ao redor do mundo. Talvez o próprio fato do autor da obra o marginalizar, até certo ponto, tenha acabado por conferir esse status de cult. Com Ozzy ainda pegando pesado nas substâncias químicas, o trabalho passou por uma série de mudanças durante sua concepção. A começar pelo título do álbum, que inicialmente seria Killer of Giants, mas foi trocado em cima da hora pela equipe promocional.



Outras substituições ocorreram na banda, que inicialmente teria a cozinha formada por Bob Daisley e Jimmy DeGrasso. A dupla chegou a registrar as demos, mas acabou saindo após desentendimentos (mais um do baixista com Sharon) contratuais. Bob chegou a participar da composição de oito das nove faixas, mas não foi creditado na prensagem original por pura birra da dona da bola. Em edições posteriores, isso foi corrigido. Em seus lugares entraram Phil Soussan e o agora saudoso Randy Castillo, que dava início a uma parceria de três álbuns de estúdio mais gravações ao vivo com o grupo.

Falando em parcerias, essa seria a última contribuição do exímio guitarrista Jake E. Lee, que até hoje conta com uma grande leva de admiradores com sua técnica refinada e estilo todo próprio. Mostrando capacidade de mesclar sua sonoridade característica aos tempos que vivia a indústria, Ozzy conseguiu até mesmo emplacar um hit single, algo inédito para sua carreira até então. “Shot In the Dark” foi a única a não contar com Bob Daisley na composição, sendo de autoria de Phil Soussan, o que acabou gerando uma futura disputa judicial por questões de royalties. A música chegou ao número 68 no Hot 100 da Billboard, além da quarta posição na parada Rock Mainstream.



Também foram lançadas de maneira promocional a faixa-título (com a característica intro de bateria de Randy) e “Lightning Strikes”, com direito a videoclipes bem no espírito da época. Mas a qualidade do trabalho não se resume a essas. Pedradas como “Secret Loser”, a cadenciada “Never Know Why” e a quase nome do disco “Killer Of Giants” (resgatada na mais recente turnê) mostram que a inspiração estava em alta. Os músicos oferecem uma performance soberba, sem destaques individuais. E Ozzy é Ozzy, fazendo valer seu registro todo próprio. Alguns não gostam, é verdade, mas a história já se encarregou de colocar as coisas em seu devido lugar.

The Ultimate Sin obteve grande sucesso comercial, vendendo mais de dois milhões de cópias, garantindo o status de platina dupla, além do número 6 na parada de álbuns da Billboard. A excursão que promoveu o play contou com ninguém menos que o Metallica e Queensrÿche como atrações de abertura, além de ter dado ao Madman a honra de ser a atração principal do tradicional Castle Donington Monsters of Rock pela primeira vez, se apresentando ao lado de Def Leppard, Scorpions, Motörhead e Warlock. Se ele não gosta por causa da produção mais elaborada, azar do próprio, pois vale várias escutadas!



Ozzy Osbourne (vocals)
Jake E. Lee (guitars)
Phil Soussan (bass)
Randy Castillo (drums)

Special Guest
Mike Moran (keyboards)

01. The Ultimate Sin
02. Secret Loser
03. Never Know Why
04. Thank God For the Bomb
05. Never
06. Lightning Strikes
07. Killer of Giants
08. Fool Like You
09. Shot In the Dark

Link nos comentários
Links nos comentários


JAY

14 comentários:

Anônimo disse...

Ozzy Osbourne – The Ultimate Sin [1986]

95 MB
320 kbps

http://www.multiupload.com/QC3341AM6H

Eduardo Paiva disse...

Único do Ozzy nos 80' que eu não tenho! Baixando! Valeu Jay!

lucas disse...

vlw cara! esse album eh mt foda mesmo!! grandes composiçoes! indispensavel para qualquer fan do madman

jantchc disse...

tb gosto muito deste cd..

acho dos cds do ozzy da decada de 80 e 90 todos são otimos..

Anônimo disse...

Esse disco eu comprei em vinil, de presente de Natal para mim mesmo!
Como é um ótimo álbum, gravei em fitas K7 para ouvir direto no walkman em minhas viagens, principalmente nos finais de semana.
A formação é uma das melhores que o Ozzy já teve à sua disposição.
Lamento saber que o lado podre da indústria sempre trata de estragar o astral que poderia ter resultado em vários outros álbuns de ótimo nível. O aspecto business (mais para DIRTY BUSINESS) é pavoroso.
Infelizmente, isso convive o tempo todo dentro de uma banda, até mesmo quando a mesma se dissolve. Os royalties desse álbum devem ter dado condições para que os músicos pudessem viver confortavelmente até hoje, creio, se não fosse a voracidade e ganância da mesma Sharon que herdou do pai essa casca de serpente e veneno de cobra coral.
É triste! Mas quanto ao som, é ÓTIMO!! Gosto muito desse trabalho, e ao lado de 'Bark At The Moon', são os dois registros de Jake E. Lee que eu faço questão de prestigiar. E prestigio aqui, fazendo esse comentário, e baixando esse arquivo que não tenho em MP3.

E uma sugestão: Ozzy, se aposenta já, antes que o próximo trabalho estrague toda a sua história. Saia de cena com dignidade!

Long Live Rock'n'Roll!

Dean Moriaty disse...

Comprei esse "Vinil" um dos primeiros da minha vida, deveria ter ums 8 ou 9 anos. Veio em uma coleção chamada "Heavy Metal Heart" da antiga CBS, onde possuia outras bandas e titulos como Judas Priest com Turbo, Saxon Com Inocent Is Not Excuse, nossa quanta sudade.
Para mim é o trabalho mais injustiçado do Mr. Madman, com o fantástico Jake E. Lee mandando ver nas 6 cordas. Killer Of Giants é um clássico. Excelente escolha!

Dynasty disse...

Este album vinha com uma faixa estragada. Eu o curti muito. Mas Ozzy estava perdido no meio da cena glam oitentista. Não tinha nada a ver com ele.

Lembro que ele apareceu com uma roupa toda brilhante cujo estilista era o mesmo do Kiss - basta ver os Clipes do Asylum.

Precisou alguns bons anos para o heavy deixar de ser um baile de carnaval e voltar a ser um filme de terror.

Quando isto aconteceu, Ozzy virou cult, tanto para góticos, quanto para Dooms, quanto para Black Metals... e por ai vai.

Foi sua vitoria suprema.

Parabens pelo post. Abraço a todos da combe.

llelete disse...

cara d onde vc tirou Cid Gurreiro com Hebe Camargo? Ótima essa!! hahahahaha

Edu Zupelli disse...

"The Ultimate Sin possui uma verdadeira legião de admiradores ao redor do mundo" - Eu sou um deles!

luxorissa disse...

Como vc mesmo citou:OZZY É OZZY e isso resume tudo...

Marcelão disse...

Para mim esse disco só foi superado pelo "Blizzard" e pelo "No More Tears".

É um senhor disco, muito bem produzido. Acho que não tem nada a ver comparar a cena "poser" com a música que as bandas faziam.

Nos anos 60 tivemos umas 300 bandas parecendo os Beatles. Nos 70 muitos imitando as bandas progressivas e o Led, Purple. Nos anos 90 surgia um Nirvana e um Pearl Jam a cada esquina.

O que importa é o som. E esse do Ozzy é duca!

Mr Villaça disse...

Sou guitarrista e professor a 22 anos e recomendo esse discos aos meus alunos é uma obra prima !! pena o link esta off!!

Mr Villaça disse...

ÓTIMO DISCO !!!

Mr Villaça disse...

LINK ESTÁ OFF !!