Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Sepultura – Beneath The Remains [1989]



Esse não foi o disco mais vendido do Sepultura, e nem o que mais influenciou milhares de novas bandas européias que surgiram a partir dos anos 90. Mas é o portal que permitiu aos mineiros a entrada no mercado internacional.

Quando vi a capa pela primeira vez, fiquei chocado. Aquilo era mais dark, mais malévolo que The Number Of The Beast. O fundo preto, a silhueta do cachorro com olhos brilhantes, o cemitério. Tudo dentro de um crânio. Eram muitas mensagens a decifrar e, com elas, a trilha sonora do caos.

Os irmãos Cavalera estavam perfeitamente entrosados com Andreas Kisser, que sempre se mostrou um dos guitarristas mais criativos do mundo e que havia entrado no grupo em 1987 para a gravação do álbum Schizofrenia. Onde todos veem ruído, ele vê riffs. Trabalha-os e joga para a música, fazendo com que tudo encaixe de maneira tão perfeita, que chego a pensar se a sinapse dele é diferente da dos demais humanos.

Igor estava mais preciso, mais cuidadoso com o resultado de seus grooves em relação aos discos anteriores. Max já era identificado por seu estilo próprio, que influenciou grandes nomes, como Morbid Angel (alguns vão contestar) e Canibal Corpse (alguns vão me esconjurar).

A banda atingia o status de profissional. E colhia os louros disso.

1989 foi o ano deles. Com turnês pela Europa, Estados Unidos e México, e milhares de discos vendidos, a gravadora abriu todas as comportas para que os próximos trabalhos conseguissem resultados cada vez melhores. Mas em Beneath The Remains temos a dose exata de profissionalismo misturada com fúria juvenil, característica esta se perderia nas próximas etapas da carreira dos caras. Produzido por Scott Burns (Morbid Angel, Obituary, Death) e gravado na Flórida e no Rio de Janeiro, foi o primeiro pela Roadrunner Records, e ajudou a cimentar de vez o nome da empresa junto ao público metal.



Beneath The remains abre o front na base da pedrada. Quem conheceu os dois primeiros discos do Sepultura notou que aqui havia algo diferenciado, e o dedilhado com teclado fantasmagórico da introdução já entregava. Inner Self foi o hit do disco, se é que podemos chamar assim, juntamente com Mass Hypnosis. Pela primeira vez as músicas apresentam refrões para sacudir a galera e dinâmicas que intercalam peso e fúria com calmaria e levadas diferenciadas. A influência de Dave Lombardo em Igor é latente, mas ele tem um groove brazuca que os gringos nunca vão conseguir.

A versão postada é a reedição em cd, com cover dos Mutantes (A Hora e Vez do Cabelo Nascer) e a versão drum tracks de Inner Self e Mass Hypnisis, essas duas últimas absolutamente dispensáveis, mas que valem pela curiosidade.



Depois desse disco teve Arise, Chaos A.D. e Roots, que tornaram o Sepultura a banda brasileira mais influente da história do metal. Mas aqui está o filezinho. Sem meter Carlinhos Brown na parada, eles firmaram a identidade brasileira num estilo tão primeiromundista como o metal.

Se você tem um skate, bote isso pra rolar no IPod e faça um downhill, por mim.

Ah! Se sobreviver, me conte, ok? Boa sorte.

Track List

1. Beneath the Remains
2. Inner Self
3. Stronger Than Hate
4. Mass Hypnosis
5. Sarcastic Existence
6. Slaves of Pain
7. Lobotomy
8. Hungry
9. Primitive Future
10. A Hora e a Vez do Cabelo Nascer (cover dos Mutantes)
11. Inner Self (drum track)
12. Mass Hypnosis (drum track)



Max Cavalera (guitarra e vocais)
Andreas Kisser (guitarras)
Igor Cavalera (bateria)
Paulo Xisto Pinto Jr. (baixo)

Link nos comentários
Link on the comments

Por Zorreiro

15 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?nnbrz3mxybkokb7

Ricardo Brovin disse...

Ja tenho mais vou levar essa c/ extras!!! valeu Zorreiro, ótimo trampo!!!

Z disse...

Tempo bom que não volta mais...

Ricardo Adriano disse...

Para mim o primeiro álbum bom do Sepultura, bem produzido com uma sonoridade bem definida. Ponto de partida para os bons álbuns.

Gabriel disse...

DISCÃO!

Esse foi o início do auge do Sepultura. "Beneath" e "Arise" estão entre meus álbuns favoritos de todo o Thrash, e acho o "Chaos A.D" ótimo também.

Obrigatório!

Eduardo Paiva disse...

Baixando!
Valeu Zorreiro!
"Ô Trem bão de Minas!

Anônimo disse...

parabéns! otimo disco

Jonathan Pedroza disse...

\,,\ da hora!

Anônimo disse...

QUE SAUDADE DOS VELHOS TEMPOS !!!

Dynasty disse...

Obra prima de Heavy Metal.

Com este album, o Sepultura conquistaria aquilo que a minha geração tinha por impossivel: respeito internacional.

Mais, redefiniria diretrizes importantes para gerações inteiras de bandas headbangers brasileiras.

E colocava os brazucas de uma vez por todas no cenário internacional. Parabens pela postagem.

Ah, comprei este vinil no seu lançamento. rsrs.

Abraço a todos.

Anônimo disse...

Metal brasileiro de primeira qualidade!! \,,/

jesusbiblio disse...

Ta eu lá garotinho juvenil com 12 anos de idade gravando em fita k7 esse som pra ouvir igual um louco no talo o radinho !!! era muita revolta deles e minha. E até hj eu piro igual !!!!! 15 anos depois !!!

Iver disse...

Depois desse, todo mundo queria saber qual seria o próximo do Sepultura.
É o disco da carreira deles.
Ab

Makoto DnD disse...

Parabéns, belo post!

só uma coisa, vocês poderiam postar albuns em 320 kbps né?

Abraços e Combe do Iommi forever, rsrs

mgtattoos disse...

este disco é simplesmente FODA!!!!!