Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sábado, 1 de janeiro de 2011

AC/DC - Tributos [1995-2007]


A importância do AC/DC já foi minuciosamente explorada no post especial de Natal, e agora no post de ano novo, poderemos constatar o resultado dessa influência. São inúmeras as homenagens destinadas ao grupo, o que compreende desde discos tributos convencionais até releituras em torno de um estilo específico, paródias, e coisas que não passariam nem na cabeça dos membros que fazem - ou fizeram - parte da banda, como versões em roupagens barroca e lounge.

Claro que, em meio a infinidade de tributos, vários são oportunistas, ou mesmo, são honestos mas não acrescentam muita coisa. Todavia, também devemos levar em consideração o respeito com que a obra do AC/DC é tratada, portanto, por mais excêntrico que seja um trabalho baseado nas composições da banda, deve ser, no mínimo, respeitado, pois mostra a preponderância e reconhecimento do grupo pelas mais diversas vertentes musicais, sendo perpetrado de acordo com a visão musical cabível ao estilo que se refere.

Thunderbolt - A Tribute to AC/DC [1996]


Esse é um dos tributos mais conhecidos ao AC/DC. Basta olhar os músicos que participam para entender. O objetivo desse tributo foi claramente prestar homenagem à fase Bon Scott, mas como o Back in Black se tornou um dos maiores marcos da história do Rock, a homenagem não pôde ser completamente destinada ao Bon Scott. O resultado disso são 10 composições da fase Scott e apenas duas da época com o Brian Johnson, naturalmente, ambas do Back in Black.

A maioria dos covers são versões fiéis e mais pesadas, onde se destacam, "Highway to Hell" executado brilhantemente pela formação clássica do Quiet Riot; "Shake a Leg" com John Corabi rasgando a voz até onde não consegue mais; e "Whole Lotta Rosie" com Stephen Pearcy mandando muito bem. Outra versão interessante é a de "Back in Black" que começa e finaliza com uma parte instrumental do meio da música. Muito bem sacado. Mas o destaque principal fica com a atuação de Joe Lynn Turner. As outras versões variam entre regulares e boas. De qualquer forma, o time de músicos participantes obriga qualquer fã de Hard/Heavy a conhecer esse tributo.

01 - Kevin Dubrow Vocals
Carlos Cavazo Guitar
Rudy Sarzo Bass
Frankie Banali Drums

02 - Sebastian Bach Vocals
Warren DeMartini Guitar
Billy Sherwood Bass
Bobby Blotzer Drums

03 - Joe Lynn Turner Vocals
Phil Collen Guitars
Jeff Pilson Bass
Simon Wright Drums

04 - Whitfield Crane Vocals
Klaus Eichstadt Guitar
Mike Combs Guitar
Brad Divens Bass
Shannon Larkin Drums

05 - Jack Russell Vocals
Mark Kendall Guitar
Bruce Gowdy Guitar
Sean Mcnabb Bass
Bobby Blotzer Drums

06 - Whitfield Crane Vocals
Klaus Eichstadt Guitar
Mike Combs Guitar
Brad Divens Bass
Shannon Larkin Drums

07 - John Corabi Vocals
Bob Kulick Guitar
Billy Sheehan Bass
Pat Torpey Drums

08 - Stephen Pearcy Vocals
Tracii Guns Guitar
Bruce Gowdy Guitar
John Alderete Bass
Jay Schellen Drums

09 - Dave Meniketti Vocals, Guitar
James Morley Guitar
Tony Franklin Bass
Simon Wright Drums

10 - Lemmy Kilmister Vocals, Guitar, Bass
Jake E. Lee Guitar
James Morley Guitar
Ricky Phillips Bass
Simon Wright Drums

11 - Dee Snider Vocals
Scott Ian Guitar
Frank Bello Bass
Charlie Benante Drums

12 - Sebastian Bach Vocals
Kelly Deal Guitar, Drums
Jimmy Flemion Bass

We Salute You - A Tribute to AC/DC [2004]


No mesmo esquema do anterior, a fase Brian Johnson aqui é lembrada com apenas duas músicas, e adivinha de qual disco são? (risos) Rejeições à parte, o tracklist do tributo aborda a fase do conjunto a partir do Dirty Deeds Done Dirt Cheap. Contando com a produção de Bob Bulick e Bruce Bouillet, o time de estrelas foi garantido, com a diferença que a cozinha é fixa, e os incumbidos para tal tarefa foram os consagrados Tony Franklin (baixo) e Aynsley Dunbar (bateria).

Quando eu fiz o post especial compilando os covers gravados pelo Mark Slaughter, acabei passando batido pelo cover que Mark gravou para esse tributo. Apenas aconselho a pegarem esse cover de "Dirty Deeds Done Dirt Cheap" e juntarem aos outros da coletânea, pois pra quem conferiu - ou quiser conferir -, fica claro que Slaughter manja muito dessa área, e aqui, não deixa mais dúvida quanto a essa sua capacidade. Diferente do Thunderbolt onde é possível notar uns 4 deslizes, no mínimo, desta feita a decepção só fica por conta de "You Shook Me All Night Long" que ficou muito fraca na voz inexpressiva de Doug Pinnick. Ou seja, Kulick e Bouillet mais uma vez acertaram em cheio na escolha dos músicos e do repertório - que superou com sobras o anterior. O melhor tributo ao AC/DC, sem dúvidas!

VOCAL / GUITAR / BASS / DRUMS
Track 01 : Joe Lynn Turner / Richie Kotzen / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 02 : Phil Lewis / Jeff "Skunk" Baxter / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 03 : Tommy Shaw / Albert Lee / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 04 : Robin McAuley / Bruce Kulick / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 05 : Mark Slaughter / Doug Aldrich / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 06 : Jeff Scott Soto / Reb Beach / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 07 : Doug Pinnick / Gilby Clarke / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 08 : Jizzy Pearl / Jennifer Batten / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 09 : John Corabi / Tracii Gunns / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 10 : Paul Shortino /Craig Goldy / Tony Franklin / Aynsley Dunbar
Track 11 : Stephen Pearcy / Page Hamilton / Tony Franklin / Aynsley Dunbar

AB/CD - Cut The Crap! [1995]


O AB/CD não chega a ser uma paródia do AC/DC, pois os caras compõem músicas próprias. O terceiro disco do grupo, que marca a estréia do vocalista Mats Levén, seria originalmente de ataques contra celebridades, cada letra ia ser um chute na bunda de determinado famoso. Devido às proporções que a banda havia tomado, a gravadora BMG visando represálias, impediu o disco de ser lançado. Dessa forma, os caras tiveram que refazer todas as letras. Outro fator interessante é que o AB/CD não sobrepuja os clichês e estereótipos do Rock para fazerem gracejos, como já ficou saturado nas mãos de Spinal Tap, Gwar, Nanowar, Massacration e afins.

A imitação de Brian Johnson feita por Mats Levén é hilária, e se não bastasse, as letras são pra rolar no chão, e não tratam das saturadas reverências ao Rock. Em nenhum momento soa ofensivo ou pejorativo, ficando evidente o desígnio humorístico sem cometer sacrilégio ao legado do AC/DC, tanto que o AB/CD faz questão de eliminar qualquer casual deturpação: "Nós não tentamos fazer o AC/DC parecer tolo ou ruim. Se alguém pensa assim, está muito errado. O maior amor que temos é pela melhor banda de Rock de todos os tempos - AC/DC!". Pra garantir as risadas, todas as letras do disco estão no arquivo para quem baixar.

01. White Moonshine Whiskey Maker
02. Mikey's Butt
03. Twelve Beers
04. Attack Of The Perfumed Turd
05. Too Short To Be The King
06. Six Feet Down Below
07. MTV Recipe
08. Face Lift Boogie
09. Bengus Handjob
10. Rock 'n' Rolex
11. Elvis, Bugs & Oldies

Mats Levén - Vocal
Bengt Ljungberger - Guitar
Björn Påhlsson - Guitar
Jim Gustavsson - Bass
Nicco Wallin - Drums



Covered In Black - An Industrial Tribute to the Kings of High Voltage [1997]


O AC/DC nunca ganhou um tributo decente feito por bandas de Metal. Como as homenagens nesse formato feitas por bandas de Heavy Metal são jogadas de gravadora pra promover seu cast, e os de Metal Extremo são verdadeiros insultos (Six Feet Under que o diga), trago a vocês o 'menos pior'. Assim como os outros tributos ao AC/DC feito por bandas de Metal, ninguém conhece a maior parte das bandas participantes aqui, mas é fácil notar que a maioria é partidária do Rock Industrial, e as exceções que incorrem ao Metal são justamente os únicos nomes conhecidos: Godflesh, pioneiro do Industrial Metal; e o polêmico The Electric Hellfire Club, liderado pelo 'reverendo' da Church of Satan, Thomas Thorn.

As versões em que a parte eletrônica é fortemente enfatizada são as mais interessantes, como as releituras para "Shot Down In Flames", "Thunderstruck" e "Hells Bells" - essa última ficou muito descaracterizada, assim como "The Furor" e "Who Made Who", onde o Rock cede ainda mais espaço pro Eletrônico. "Whole Lotta Rosie" e "TNT" ganharam versões competentes e são as que mais se aproximam dos registros originais. Outras causam muita estranheza, como "Back in Black" - disparada a pior versão, uma verdadeira piada! - e "Badlands" que ficou mais próxima do Metal Alternativo do que qualquer outra coisa. Em suma, vale por curiosidade.

01. The Electric Hellfire Club - Highway To Hell
02. Genitorturers - Squealer
03. Die Krupps - It's A Long Way To The Top
04. Spahn Ranch - Shot Down In Flames
05. Godflesh - For Those About To Rock
06. Joined At The Head - Whole Lotta Rosie
07. Pigface vs. Sheep On Drugs - Back In Black
08. Birmingham 6 - Thunder Struck
09. Razed In Black - Hells Bells
10. Psychopomps - Badlands
11. Klute - The Furor
12. Terminal Sect with En Esch of KMFDM - Who Made Who
13. Sister Machine Gun - TNT
14. 16 Volt - Dirty Deeds Done Dirt Cheap

Come Back In Black - Punk Rock Tribute To AC/DC [2003]


Existem três tributos Punks principais destinados ao AC/DC, que na verdade são dois. Isso ocorre por que um desses foi relançado posteriormente com capa diferente e o tracklist numa outra ordem, tentando vender gato por lebre. Eu tenho esses dois, mas o meu critério para trazer o Come Back in Black foi que, primeiro, ele é isento dessa pilantragem, e segundo, o número de bandas participantes é mais que o dobro do outro registro. Das várias bandas que participam desse tributo, eu só conheço duas, uma de nome (Peter Pan Speedrock), e a outra eu curto mesmo (Frankestein Drag Queen from Planet 13).

O que encontramos aqui são releituras mais cruas, e por vezes, desleixadas, onde podemos apontar versões desenfreadas agressivas ("Shoot To Thrill", "Back In Black"), versões desenfreadas inofensivas ("You Shook Me All Night Long", "High Voltage"), algumas respeitando mais a cadência original dos sons ("Let Me Put My Love Into You", "Whole Lotta Rosie"), e até mesmo versões meio inusitadas, como a de "Hells Bells" com efeitos de metais, e a versão de "Highway to Hell" que mistura Punk e Reggae. Claro que também tem aqueles covers que chegam a irritar bastante, como os de "Sin City" e "Ain't No Fun". Material indicado mais para fãs do estilo.

01. Shandon – Hells Bells
02. Frankenstein Drag Queens – Shoot To Thrill
03. Twin Tornados – What Do You Do For Money Honey
04. Mantaray K-D – Givin The Dog A Bone
05. Derozer – Let Me Put My Love Into You
06. Thee S.T.P. – Back In Black
07. Crummy Stuff – You Shook Me All Night Long
08. Silver Tongued Devil – Have A Drink On Me
09. De Crew – Shake A Leg
10. C.S.C.H. – Rock’n’Roll Ain't Noise Pollution
11. Down By Law – Whole Lotta Rosie
12. She-Male Trouble – Girls Got Rhythm
13. Garadro – Highway To Hell
14. Attaque 77 – Can I Sit Next To You, Girl
15. Space Surfers – Sin City
16. Pseudo Heroes – Ain’t No Fun
17. Dead Kings – Problem Child
18. Ojorojo – Live Wire
19. Hellstomper – If You Want Blood
20. Peter Pan Speedrock – Let Me Put My Love Into You
21. The Jab – High Voltage

Dave Evans - A Hell Of A Night: The Historic Bon Scott 20th Anniversary Memorial Concert [2000]


No aniversário de 20 anos da morte de Bon Scott, o vocalista original do AC/DC, Dave Evans, se juntou ao grupo cover Thundestruck, e juntos fizeram um concerto em memória de Scott. O show foi realizado no Edwards Tavern em Melbourne, e Evans optou por lembrar a fase inicial com Bon, por ter mais ligação com o seu período no grupo, e não abordou discos como Powerage e Let There Be Rock. Portanto, a apresentação é relativamente curta e dura aproximadamente 40 minutos. Evans se mostra um vocalista muito competente durante todo o show, e disso ninguém duvida, até porque, sua saída não teve nada a ver com sua capacidade como cantor.

A abertura acontece com as únicas duas músicas que Evans gravou com os australianos e se encarregam de demonstrar o potencial desse 'azarado' músico. A primeira, "Can I Sit Next to You Girl", foi regravada com Bon, sofrendo alteração na letra e no instrumental. Em respeito ao Bon, Evans executou a música da forma que foi gravada no debut. A outra pérola que marca a fase Evans é "Rockin' In The Parlour", que só saiu no lado b do single da canção anterior e nunca foi regravada ou lançada internacionalmente. E o restante das composições recorda a passagem de Scott pelo AC/DC com louvor, agradando qualquer fã da banda.

01 - Can I Sit Next to You Girl
02 - Rockin' In The Parlour
03 - Rock 'n' Roll Singer
04 - Baby, Please Don't Go
05 - It's A Long Way To The Top (If You Wanna Rock 'n' Roll)
06 - T.N.T
07 - Ride On
08 - Highway To Hell



Back in Baroque - The String Tribute to AC/DC [2003]


Desde que Uli Jon Roth começou a mostrar a aproximação do Rock com a música clássica, centenas de músicos passaram a dedicar sua carreira em fazer adaptações no formato Rock para peças clássicas, ou fundir cortes clássicos com as distorções e o peso do Rock. Mas ainda são poucos os exemplares recorrendo ao contrário dessa proposta, e aqui temos o disco Back in Black executado por um quarteto de cordas, reforçando que o Rock é facilmente mutável para o clássico e vice-versa, como é provado por outros músicos.

A orquestração é guiada perfeitamente, e os violinos reproduzem as partes vocais de forma inacreditável, acompanhado por violoncelo, viola e outro violino harmonizando a reprodução da parte instrumental. Todas as músicas foram adaptadas perfeitamente, até mesmo as mais festeiras como "Have a Drink on Me" e "You Shook Me All Night Long". Os arranjos de corda fazem uma saudação sinfônica ousada e muito pertinente. Recomendado para qualquer pessoa que goste de boa música.

01 - Hells Bells
02 - Shoot To Thrill
03 - What Do You Do For Money Honey
04 - Givin The Dog A Bone
05 - Let Me Put My Love Into You
06 - Back In Black
07 - You Shook Me All Night Long
08 - Have A Drink On Me
09 - Shake A Leg
10 - Rock & Roll Ain't Noise Pollution

Buddha Lounge Renditions of AC/DC [2007]


Existe algo mais estranho do que músicas feitas para agitar serem transformadas em sons para relaxar? Pois é, o que era pra se escutar enchendo a cara e farreando, aqui ganha contornos para serem apreciados em momentos intrínsecos. Passando uma informação de leigo para leigos, a sonoridade apresentada aqui são versões instrumentais que soam como uma mistura de música oriental com ambient eletronic, embora essa não seja a definição de lounge music, é apenas o que eu sinto. Pelo fato de não haver muitas nuances, as músicas acabam ganhando releituras muito parecidas.

Diante da analogia que percorre o trabalho inteiro, também é difícil assimilar os riffs, melodias e linhas vocais na roupagem lounge. Como eu não entendo de lounge, é impossível apontar se o resultado é satisfatório ou deixa a desejar dentro desses padrões. Talvez quem já seja habituado com esse tipo de música possa responder e apreciar essa homenagem. Interessante também salientar que essa mesma 'marca' fez um tributo ao AC/DC com releituras em formato de canções de ninar. Mas isso não é forma de educar uma criança, pois desde cedo o guri tem que escutar os riffs do irmãos Young e o peso real do som, pra poder ter algum tipo de dignidade no futuro.

01 Hell's Bells
02 Back in Black
03 Dirty Deeds Done Dirt Cheap
04 Rock & Roll Ain't Noise Pollution
05 Have a Drink on Me
06 Highway to Hell
07 What Do You Do for Money, Honey
08 You Shook Me All Night Long
09 Sin City
10 Thunderstruck
11 T.N.T
12 Who Made Who

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar

14 comentários:

Anônimo disse...

Thunderbolt - A Tribute to AC/DC [1996]
http://www.mediafire.com/?sfxeei84t43uzxz

------------------------------------------

We Salute You - A Tribute to AC/DC [2004]
http://www.mediafire.com/?syicrmtq9u1fsxh

------------------------------------------

AB/CD - Cut The Crap! [1995]
http://www.mediafire.com/?c4qloe5a3p2yjma

------------------------------------------

Covered In Black - An Industrial Tribute to the Kings of High Voltage [1997]
http://www.mediafire.com/?3ljibpjcui10636

------------------------------------------

Come Back In Black - Punk Rock Tribute To AC/DC [2003]
http://www.mediafire.com/?p5q18bkp37b3733

------------------------------------------

Dave Evans - A Hell Of A Night: The Historic Bon Scott 20th Anniversary Memorial Concert [2000]
http://www.mediafire.com/?uh9jee8322p6528

------------------------------------------

Back in Baroque - The String Tribute to AC/DC [2003]
http://www.mediafire.com/?60g3ffk8u3pmpk1

------------------------------------------

Buddha Lounge Renditions of AC/DC [2007]
http://www.mediafire.com/?fhvodag952zpjg9

Jay disse...

Esse disse!!!

caique disse...

FELIZ ANO NOVO AE

Xelbap disse...

Feliz ano novo ae combe!

Isaac disse...

Melhor maneira de começar 2011!
Valeu!
HEAVY NEW YEAR!!!!

Anônimo disse...

Feliz Ano Novo e um Próspero 2011!!!

jantchc disse...

pra q fazer versões lounge de acdc??

acdc é o oposto do lounge..

tenho as faixas do JLT dos 2 tributos e achei bem legais..

Anônimo disse...

quantos tributos heheh,discordo do six feet under ser ruim mas enfim hehhe vlw

Anderson Heavenstorm disse...

versões de uma lenda do rock para todos os gostos...
bom mesmo...FFELIZ 2011!!!

Dragztripztar disse...

Não disse que o Six Feet Under é ruim. Me referi ao disco de covers do AC/DC que eles gravaram e que eu acho uma grande porcaria. Assim como tem outros tributos de Metal Extremo ao AC/DC que são péssimos, como o "For Those About to Rot".

Enfim, aproveito pra agradecer os votos de feliz ano novo à equipe da Combe.

Anônimo disse...

bela seleção! Obrigado!

Marcelo disse...

Eu tenho um Cd que é um tributo ao AC DC em Bluegrass. Bem red neck!

Anônimo disse...

AC/DC é uma das minhas bandas preferidas. Gosto muito das duas fases, mas não há como negar que Bon Scott é quem permitiu ao AC/DC ter essa aura de malandragem, de boêmia e vida bandida. Brian Johnson conferiu um status de hard rock, um lance um pouco mais sério, o que combinou com a química gazeteira de Angus Young.
Musicalmente, eles são a marca registrada de seu próprio som, e é possível ouvir um pouco dessa marca em outras bandas, mesmo que em alguns segundos, como no recém-postado álbum do Broken Teeth, e também no som do Skew Siskin, que é mais pesado, e com vocal feminino.

Quanto aos tributos, seria muito bacana que o AC/DC fizesse um álbum com canções de outros artistas, incluindo Rolling Stones, Beatles, The Who, Deep Purple, Led Zeppelin, etc...

Abraços Rocker!

Unknown disse...

Fala galera, em especial ao Dragztripztar, beleza ? Parabéns ao site, muito bom !!! Entrei a pouco tempo e já estou viciado !!! Baixei um desses tributos ao AC/DC e me parece que tem problemas !! é o We Salute You - A Tribute to AC/DC, no finalzinho de algumas faixas, toca o começo de outras que estão a seguir no cd, acho que foi um problema na hora de ripar !!! Tem como corrigir ? As faixas com esses problemas são: 06, 07, 09, 10 e 11 !!! Abçs e continuem assim, WE ROCK !!!