Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Alice In Chains - Jar Of Flies [1994]

NIRVANA? WHO IS THIS?

Ano de 1994. Após a explosiva e aclamada apresentação no festival Lolapalloza no ano anterior, a situação financeira do AIC não havia melhorado muito. Ao voltarem para casa, são despejados de seu lar, por falta de dinheiro para pagar o aluguel, o que os deixa completamente devastados e deprimidos. Como consolo, a banda entra em estúdio pela primeira vez com o seu novo baixista, Mike Inez, com violões na mão para ver o que saia, mas sem intenção nenhuma de lançar como um novo registro.

Eis que essas gravações caem na mão dos donos de sua gravadora, que se agradaram imediatamente com o material que tinham em mãos, e sem pestanejar lançam estas músicas em um Ep. E que idéia feliz foi essa, pois nos possibilitou ter em mãos um dos melhores momentos da carreira dessa genial banda, em um formato totalmente diferente de seus dois discos iniciais, com uma levada mais acústica, que casa perfeitamente com o clima mais triste desse belo disco.


E essa fórmula deu tão certo, que acabou por tornar este Ep o primeiro a parar no primeiro lugar da parada da Billboard, aclamado por público e crítica da época. E ao ouvir este, apesar de ser bem curto, você acabará por perceber como todas as canções tem um brilho único, com momentos cativantes e que mesmo tristes e carregados, são de uma beleza singular. Será impossível não identificar a tristeza na voz de Layne Staley, e o feeling que toda a banda exala na execução das canções aqui apresentadas.

E a abertura já entrega logo de cara qual será todo o clima do disco. A psicodélica e experimental "Rotten Apple", em que até é inserido um talk-box de Cantrell logo na introdução, com uma letra que sentencia o seguinte: " Innocence is over / Ignorance is spoken / Confidence is broken / Sustenance is stolen". Sem falar na arrastada e triste linha vocal de Layne, que dá ainda mais beleza a canção. Em seguida temos a singular "Nutshell", em que Layne expressa toda sua luta para sobreviver, em uma das melhores canções da carreira do grupo, que ganhou um tom ainda mais intimista por ter sido feita em formato acústico.



Dois clássicos são apresentados logo em seguida, que inclusive ganharam seus videoclipes e tiveram uma boa repercussão na MTV em seu lançamento. "I Stay Away" continua com a mesma qualidade das canções anteriores desse registro e lhe fará sentir até um certo gelo na espinha com sua carga emocional pesada, e é o melhor trabalho de Cantrell nas guitarras nesse EP. "No Excuses" foge do clima melancólico até aqui apresentado e soa mais alegre, porém com um grande pitada de sarcasmo e é outra grande canção.

A instrumental "Whale And Wasp" nos apresenta um belo e simples solo de Cantrell, com a bela adição de violinos ao fundo, que exala emoção e feeling. E tome mais uma belíssima música com "Don't Follow", uma balada incrível e com uma letra espetacular, daquelas em que paramos para refletir nos rumos que estamos levando na vida. Sem falar o toque especial que na bela adição da gaita em sua segunda metade. "Swing On This" fecha o registro evocando o blues e com as guitarras de Cantrell novamente presentes em alguns momentos.

Um discão, que deixa bem claro que o AIC ia bem além do que as bandas de grunge apresentavam naquele momento. E olha que o objetivo não era que essas músicas fossem lançadas. Se isso tivesse realmente ocorrido, teríamos perdido o privilégio de escutar um dos mais criativos discos dos anos 90. Mesmo que você torça o nariz para o Grunge, é obrigatório que você escute esse disco uma vez e se emocione com o trabalho memorável que Staley, Cantrell, Inez e Kinney conceberam. Imperdível!




1.Rotten Apple
2.Nutshell
3.I Stay Away
4.No Excuses
5.Whale & Wasp
6.Don't Follow
7.Swing on This

Layne Staley - Vocal, Guitarra Rítmica
Jerry Cantrell - Guitarra, Vocal
Mike Inez - Baixo, guitarra, Backing Vocals
Sean Kinney - bateria, percussão

Músicos Adicionais:
Rebecca Clemons-Smith, Matthew Weiss - Violinos
David Atkinson - harmonica
April Acevez - viola
Justine Foy - violoncelo
Randy Bird, Darrell Peters - Backing Vocals



By Weschap Coverdale

7 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?o41trbu2emam2j9

JORJAOFONSECA disse...

Confesso que não sou muito fã dessas bandas de Seattle,além do Screaming Trees, que é fantástica, mas sempre ouvi falar muito bem do Alice in Chains, vou ouvir esse disco, muito pela sua bela resenha, bem escrita e mostrando como o ser humano se supera nas adversidades, acho até que muitas obras são melhores qd o cara tá fudido,desesperado,rsrsrs

Tiago disse...

Muito Obrigado Cara!
Um ótimo 2011 pra vc e para os outros membros da Combe!
Um grande abraço e muita sorte pra vcs!

Anônimo disse...

bom, esse EP é espetacular, os caras mostraram um amadurecimento gigantesco nesse trabalho. a discografia dessa banda é impecável e o jar o flies é mais uma obra prima desses caras.



ass: kakaroto

Anônimo disse...

Eu sempre gostei do Alice In Chains, para mim é disparada a melhor banda daquela geração Seattle.
Belo Post! Feliz 2011!!

dnlz disse...

Das minhas poucas boas lembranças da era grunge , posso citar o Ten do Pearl Jam e todos os discos de Alice in chains. Post excelente. Valeu e um 2011 excelente!

Anônimo disse...

o link ta invalido