Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Ozzy Osbourne - Tribute [1987]


Meu último post em 2010 só podia ser de um disco formador de caráter! Esse é pra lá de especial, me lembra os tempos de segundo grau, quando jogávamos classes no pátio do colégio, nos pendurávamos nas cortinas da sala de aula imitando o Tarzan, tocávamos air-guitar com as lâmpadas fluorescentes... Enfim, tudo tendo esse play como trilha sonora. Até porque, se você gostava de Rock na minha geração, com certeza Ozzy é referência histórica. Era um artista que nos unia.


Lançado quando a morte de Randy Rhoads completava cinco anos, Tribute é um verdadeiro louvor à genialidade desse músico, que tão cedo partiu. Em uma época onde o mundo era dominado pelos alucinantes malabarismos de Eddie Van Halen, Randy despontava como alguém que poderia bater de frente com o rei. Sua técnica e musicalidade enlouquecia a todos, graças aos memoráveis Blizzard of Ozz e Diary of a Madman, que alcançaram grandes vendagens em todo o mundo. De repente, aquele garoto que tocava no Quiet Riot e dava aula para crianças na escola de música da sua mãe se tornava um ídolo e deixava seu nome para sempre na galeria dos maiores guitarristas.

A maior parte das músicas foi retirada de um show em Cleveland, Ohio, no dia 11 de maio de 1981. As exceções são o solo de Rhoads, registrado em Montreal no dia 28 de junho do mesmo ano, além de “Goodbye to Romance” e “No Bone Movies”, gravadas em 2 de setembro de 1980, em Southampton, Inglaterra, ainda com a formação original da banda, tendo Bob Daisley no baixo e Lee Kerslake na bateria. Se há algo negativo, o fato de conter apenas duas músicas do segundo álbum de estúdio, enquanto Blizzard é executado na íntegra. Completam o setlist três hinos do Black Sabbath.



Por mais que toda a banda esteja em momento iluminado – Tommy Aldridge é, sem dúvida, uma dos melhores bateristas de todos os tempos – o destaque inevitável vai para o homenageado. Executando riffs e solos com maestria, Randy mostra que a estúpida tragédia que interrompeu sua vida deixou uma lacuna irreparável. E quando ouvimos o outtake de “Dee” em estúdio, não tem como não sentir aquele nó na garganta. Até porque, se já tem que ser muito macho para fazer uma música acústica em um disco de Heavy Metal, mais ainda quando é um presente para a mãe. Coisa de gênio!

Ozzy Osbourne (vocals)
Randy Rhoads (guitars)
Rudy Sarzo (bass)
Tommy Aldridge (drums)
Don Airey (keyboards)

Bob Daisley (bass on 12 & 13)
Lee Kerslake (drums on 12 & 13)

01. I Don’t Know
02. Crazy Train
03. Believer
04. Mr. Crowley
05. Flying High Again
06. Revelation (Mother Earth)
07. Steal Away (The Night)/Drum Solo
08. Suicide Solution/Guitar Solo
09. Iron Man
10. Children of the Grave
11. Paranoid
12. Goodbye to Romance
13. No Bone Movies
14. Dee (Studio Outtakes)

Link nos comentários
Link on the comments


A todos os passageiros da Combe, um feliz 2011. Que seus desejos se realizem. Que as tristezas e dificuldades se transformem em combustível para superar todos os males. Sucesso, saúde e paz para suas vidas e de todos os seus familiares!!!

JAY

9 comentários:

Anônimo disse...

Ozzy Osbourne – Tribute [1987]

100 MB
192 kbps

http://www.mediafire.com/?5eaoe54e289get2

Willian disse...

Um dos melhores cds ao vivo que já ouvi! E contém a melhor versão de Children of the Grave, mais rápida e cheia de feeling! Incrível! Feliz 2011 para pessoas que não conheço, mas que me proporcionam momentos incríveis com as postagens feitas por aqui! Continuem com esse trabalho no ano que está chegando!

Ron Mick disse...

Jay, obrigado á vc e à tds os motoristas dessa Combe que trouxe muitas alegrias e me fez bater cabeça como nenhum outro site de música. Que o 2011 que se inicia traga muita paz, felicidade e, principalmente, saúde, pois tendo saúde, corremos atrás de nossos sonhos. Agora, falando do àlbum, eu o considero o melhor ao vivo do comedor de morcegos, ganhando até do Live & Loud. Dois PUTA àlbuns, mas esse tem o Sr. Rhoads debulhando, mostrando como deve ser um guitarista: com feeling e técnica transbordando! Deve ter montado uma banda no paraíso com Cliff no baixo, Dio no vocal, George Harrison na guitarra-base e o fenomenal Cozy Powell quebrando tudo, com a ajudinha do Bonzo na percussão, porque nem os defuntos são de ferro! Heheheheh. Galera, ótimo 2011 pra tds, e que venham os 4 anos da Sra. PresidentA (sei que é errado com "a", mas me recuso a chamá-la de presidente do meu país.) Me despeço ouvindo Edge of The Blade, com Neal Schon estuprando meus ouvidos.
Vlw!!!!

Anônimo disse...

De fato é um dos melhores álbuns ao vivo que já escutei. Todas as músicas executadas com maestria por todos os integrantes da banda, mas, lógico, o destaque é Randy. "Dee" é de chorar mesmo, principalmente quando a ouvimos e lembramos das circunstâncias da morte trágica do grande Rhoads. Obrigado pelo presente de Natal atrasado. Bom pra essa molecada da tal geração Y começar o ano sabendo o que é música (e músicos) de verdade.

AlBassPlayer
Curitiba

MG Tattoo's disse...

Nao Há melhor e mais sentido tributo que este disco. Nao vai haver jamais outro guitarrista de esta estirpe.
A todos os passageiros e motoristas do melhor blog de musica do mundo, um grande abraco e que o 2011 seja melhor que o 2010e como diria o grande Pappo Napolitano: Que sea Rock!

Alexandre Bicudo disse...

Um feliz 2011 a todos da Combe! Esse albúm é mágico! Também lembra muito minha adolescência e nada como terminar o ano em alto astral, ouvindo o genial Randy Rhoads. Feliz Ano Novo!

Jonathan Pedroza disse...

Feliz 2011 galëre! E que a Combe continue rodando por ai, trazendo muita música boa rs \,,\

jantchc disse...

acho os dois primeiros cds do ozzy muito bons, mas não entendo este endeusamento do randy..

deve ser pq eu não sei tocar guitarra, mas pra mim ele é um bom guitarrista mas nada incrivel..

mas falando deste cd, eu gosto muito dele..

o ozzy ao vivo nesta epoca devia ser muito bom, hoje ele já não consegue cantar direito..

mgtattoos disse...

Nao é necessario saber tocar algum instrumento para apreciar musica bem feita.
Este disco nao é nenhum endeusamento é um tributo antes de nada a um amigo (seria bom ler a carta do ozzy).
Por outra parte: O Ozzy tem quase 70 anos, alguem espera que ele siga cantando igual que há 25 anos atrás?