Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Astral Doors - Of the Son and the Father [2003]


Quem disse que a nova geração não sabe fazer Heavy Metal tradicional? Diretamente da Suécia, o Astral Doors prova o contrário desde o início da década. Contando com a privilegiada voz de Nills Patrik Johansson, o grupo reedita os melhores momentos de lendas como Dio, Rainbow e Black Sabbath (fases Ronnie e Tony Martin). Mas não se trata de uma mera cópia de tudo que esses artistas criaram. Ao contrário, pois o sexteto mostra personalidade, criando melodias inspiradas e cativantes, para alegria dos saudosistas – alguns de uma época que sequer viveram.

Of the Son and the Father é o primeiro capítulo dessa verdadeira saga. Desde a capa, mostrando padres crucificados, o trabalho da banda se mostra extremamente profissional. Isso refletiu na ótima repercussão que obtiveram no mercado europeu, sendo chamados para abrir a turnê do Grave Digger pelo velho continente. No Japão a coisa foi ainda melhor, com direito a divulgação massiva da gravadora, shows próprios e tratamento digno de Rockstars. O único impasse que ocorreu por aqueles lados do mapa se deu justamente graças à arte da capa, que acabou sendo substituída, assim como o nome do álbum, que lá passou a ser Cloudbreaker.



E é justamente a faixa-título da versão nipônica que abre os trabalhos, com uma pegada fulminante. Basta uma escutada para sair cantando o refrão junto. Detalhe para os teclados à la “Kill the King”. A faixa-título surge na sequência com sua levada mais cadenciada, lembrando o Sabbath da fase Headless Cross. Outros destaques vão para as ótimas “Hungry People” e “Slay the Dragon”. Na primeira, temos simplesmente a melhor performance de Nills em todo o álbum. “Ocean of Sand” tem aquele clima Malmsteeneano típico, enquanto “In Prison For Life” traz aquela sonoridade climática típica, com um solo bebido do bigode de Iommi (que momento!).

Uma intro à la Jon Lord antecede um riff magistral em “The Trojan Horse”, som com alma clássica. Já “Burn Down the Wheel” resgata aquela aura roqueira, com uma pisada no acelerador ocasional. “Night of the Witch” é Dio da fase Holy Diver puro, abrindo espaço para a sintomática “Rainbow In Your Mind”. Sabe aquelas músicas em quem o título é auto-explicativo? Pois é, aqui temos um dos maiores exemplos. Encerrando a festa, “Man on the Rock” parece ter saído diretamente de uma máquina do tempo das gravações de alguns clássicos de épocas distantes. Com direito a fanáticos para cantar o refrão com punhos erguidos.

Para a alegria dos adeptos de um som retrô executado com garra, ainda há músicos dispostos a honrar o lado mais tradicional do estilo, aquele que deu início a muita coisa. Clone Metal? Dane-se o rótulo e viva a competência do Astral Doors!

Nils Patrik Johansson (vocals)
Joachim Nordlund (guitars)
Martin Haglund (guitars)
Mika Itaranta (bass)
Johan Lindstedt (drums)
Jocke Roberg (keyboards)

01. Cloudbreaker
02. Of the Son and the Father
03. Hungry People
04. Slay the Dragon
05. Ocean of Sand
06. In Prison for Life
07. The Trojan Horse
08. Burn Down the Wheel
09. Night of the Witch
10. Rainbow in Your Mind
11. Man on the Rock

Link nos comentários
Link on the comments


JAY

10 comentários:

Anônimo disse...

Astral Doors – Of the Son and the Father [2003]

58 MB
192 kbps

http://www.mediafire.com/?0dar6yq4hc8jm8f

Marcos Pivetta disse...

Nossa! Que PLAY! pra escutar com ar de nostalgia! excelente CD e o melhor dos caras na minha opnião! Parabens Combe por trazer classicos de nossa época!

Anônimo disse...

Muito bom o play. Estou ouvindo ele agora e já agradou no primeiro riff.

Junior

Andre Luiz disse...

Eu não sou chegado em bandas clones mas essa aki é muito foda. Parabéns pela ótima postagem!!!

André Costa disse...

Esse play é muito bom e recomendo o novo do Spiritual Beggars que é ainda melhor.

Gus disse...

fiquei desde a primeira escutada, ainda lá em 2006... mas considero o segundo disco o melhor deles ever!! grande up, parabéns!

Anônimo disse...

bom pra caraco!!!!tone32142623

jantchc disse...

mais uma vez fui convencido pela resenha

pelo nome eu não baixaria..

vamos ver se eu perderia muita coisa..

Rafael (Melão) disse...

Heavy de qualidade!!

Anônimo disse...

não conheço mas to baixando ehehehe