Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Vince Neil - Exposed [1993]


Após a turnê do sensacional Dr. Feelgood, eis que o Mötley Crüe racha e Vince Neil é expulso do grupo, e John Corabi entra em seu lugar. De um lado, Vince Neil diz que foi demitido porque não concordava com o direcionamento musical que estavam tomando e por ter se atrasado a um ensaio. Do outro o grupo se defendeu, ao afirmar que a saída se deu por vontade própria de Neil, que estava mais interessado em festas e em carros de corridas do que na música.


Ao invés de ficar choramingando pelos cantos, eis que Neil parte para uma carreira solo. Primeiro lança "You're Invited (But Your Friend Can't Come)", escrita em 20 minutos com a ajuda de seus amigos Tommy Shaw e Jack Blades (na época integrantes do ótimo Damn Yankees), que acabou por entrar na trilha sonora de Encino Man, lançado aqui no Brasil como "O Homem da Califórnia". Após isso, ele recruta para as gravações o excelente guitarrista Steve Stevens, que também ficou encarregado do baixo, e o baterista Vik Foxx. Dave Marshall e Robbie Crane acabam por completar a sua banda solo para a turnê do disco.

E em seu disco de estréia, é fácil perceber que ele é o integrante que mais se aproximou do som da formação clássica do Mötley em carreira solo. Vince berrando como louco com letras sobre mulheres e diversão, onde a banda desce o braço com gosto, e um genial Steve Stevens rouba a cena, com riffs e solos destruidores, que fará a festa dos mais saudosos da fase de ouro do grupo. Tanto que a mesma é evocada durante todo o registro, em que é impossível destacar qualquer faixa.



A abertura em “Look in Her Eyes” mostra o quanto a dupla Neil/Stevens era explosiva, onde dão um baita soco no estômago dos mais despreparados. E isso se repetiria muitas vezes, em canções como "Sister Of Pain", "Set Me Free", "Living Is A Luxury", "Can't Have Your Cake" e a já citada "You're Invited (But Your Friend Can't Come)", onde todo o grupo mostra que não estava para brincadeira, com energia e peso descomunal, em um belo trabalho, feito sob medida para os fãs do hard 80's.

Assim como temos músicas aceleradas de respeito, as baladas também são excelentes e mantém a qualidade já apresentada. "Can't Change Me" é a mais calma do disco, com um refrão belíssimo e uma boa interpretação de Neil. Mas na opinião dos que vos escreve, a power ballad "Forever" é uma das melhores músicas desse belo registro, uma aula de emoção, que fecha com chave de ouro esse discão.

Se você é daqueles apaixonados por tudo que o Mötley Crüe fez até 1989, esse é um disco que deve obrigatoriamente fazer parte de sua coleção. Se ainda não o conhece, com certeza gostará muito.




1.Look In Her Eyes
2.Sister Of Pain
3.Can't Have Your Cake
4.Fine, Fine Wine
5.The Edge
6.Can't Change me
7.Set me Free
8.Living A Luxury
9.You're Invited (But Your Friend Can't Come)
10.Gettin' hard
11.Forever

Vince Neil - Vocais
Steve Stevens - Guitarras, Baixo
Dave Marshall - Guitarras (Apenas turnê)
Robbie Crane - Baixo (Apenas turnê)
Vik Foxx - Bateria

By Weschap Coverdale

14 comentários:

Anônimo disse...

http://www.multiupload.com/8GFTH1DW64

Dragztripztar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dragztripztar disse...

Steve Stevens detona nesse disco. E o instrumental como um todo é sensacional. Mas, Vince Neil "cagou" com o ótimo trabalho feito pelo Steve. As melodias vocais são pobres e os refrãos são fracos e enjoados.

Agora, se eu não me engano, o Steve Stevens gravou todas as guitarras e baixo nesse álbum, e o segundo guitarrista e o baixista entraram após as gravações.

Pra quem é muito fã de Vince Neil e de Hard Rock esse disco faz a festa.

Silver disse...

Eu discordo - o estilo é ótimo, Vince Neil tá cantando legal por aqui.

Sobre quem gravou, Draggye tá correto. Stevens assumiu as guitarras e o baixo das gravações.

Rex Niskke disse...

Pra min a melhor coisa lançada envolvendo qualquer membro do Crüe, tanto solo quanto com a banda em si,pós Dr. Feelgood,simplismente um disco do car****!!!!! grande post \o/

Weschap Coverdale disse...

Eu tinha visto que ela tinha gravado as linhas de baixo também, mas na pressa nem acabei revisando o texto. Valeu o toque galera! Dragz, também não concordo quanto ao refrães, mas opinião a gente respeita! :-)

Weschap Coverdale disse...

E concordo com você Rex Niskke, também acho esse o melhor trabalho envolvendo qualquer membro do Motley após o Feelgood...

dnlz disse...

Esse disco é perfeito , não teve o Nikki Sixx dar a direção e o Vince provou que se vira muito bem com sua turma , pelo menos nesse disco , obra prima !!! o cover do Sweet ficou animal , só não dá para esperar que o Vince não seja o Vince ele mandou bem , mas ele não é nenhum gênio virtuoso. Diversão garantida!!!

Anônimo disse...

- De fato é um ótimo disco, tenho o original (CD) E é certamente o melhor disco do Vince Neil assim como do Steve Stevens que simplesmente esta GENIAL...

Grande post... MAs como sou Higlander ja tenho... Deixo aqui o coments p/apoiar a galera...

Obelix The Viking

HTELES disse...

Excelente post e concordo com quase tudo que foi escrito, porém em relação as letras, existem excelentes letras nesse álbum, algumas são recados pessoais pros membros do Motley e outros desafetos do Vince na época (Axl Rose, por exemplo...), como em "Fine, fine wine", "The Edge" (letra muito foda!), "Living is a luxury" e "Getting hard".

Outra coisa: a banda foi formada por Vince e Phil Soussan (ex-baixista do Ozzy, lembram?), que foi quem contratou Robie Crane (guitarrista base) e Vick Foxx. Por insistência da gravadora, contratam Steve Stevens, que estava meio no limbo, mas fazia parte do cast, o que iria alavancar a promoção da banda.

Esse álbum começou a ser gravado com Phil Soussan no baixo (tanto é que algumas canções o tem no crédito) e no clipe de "You´re invited", ele aparece tocando baixo e Robbie Crane toca a guitarra base. Observação: não é Steve Stevens quem participa do clipe! Até hoje não sei quem foi o guitarrista, mas na época, por causa de clausulas contratuais, Mr. Stevens não participou do clipe, colocaram um dublê para fazer a sua parte (assim como já fizeram em clipes do WASP onde Bob Kulick tocou mas não apareceu). Quem souber, poste aí quem é o cara, mas veja e revejam e me digam se esse cara é o Steve Stevens.

Pois bem, no meio das gravações, houve uma briga enorme que quase descambou na porrada entre Phil Soussan e Steve Stevens e o guitarrista decretou o famoso "ou ele ou eu" e a gravadora ficou com Stevens. Com isso, Stevens regravou todas as linhas de baixo e promoveram Robbie Crane pro baixo (o qual ele nunca mais largou) e contrataram um amigo de Crane, Dave Marshall para a guitarra base. Essa foi a banda que saiu em tour de promoção - me lembro muito bem dessa estória pois eu era moleque e morava em L.A. nessa época do século passado (lugar certo, na hora certa!).

Enfim, o direcionamento musical é todo do Steve Stevens e cabe lembrar que o Vince Neil não se dava com ele, tendo que o engolir por causa da gravadora, que ficou mal com o Phil Soussan, que era seu amigo de verdade. Valeu pelo post!!

Hairbanger disse...

set me free eh cover do sweet n eh? grande disco, pra mim eh o sexto disco do motley crue... e valeu a historinha todo aew, sempre bem-vinda essas historias sobre bandas e musicos dessa época.

Weschap Coverdale disse...

Sim, Set Me free é cover do Sweet!

Alceu disse...

baixando, um amigo acabou de indicar!!! valeu pelo post!!

Peterson Gusmão disse...

Album muito fode, realmente sem palavras, jáescutei umas mil vezes. O Neil detonou nos vocais e as canções concerteza foram muito bem feitas