Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

domingo, 13 de março de 2011

Molly Hatchet - Flirtin' With Disaster [1979]


Se me perguntassem quando e onde eu gostaria de ter nascido, responderia prontamente que seria nos anos 60 e no Texas. Queria ser adolescente naquela região em que explodiram várias bandas legais de southern e ter acompanhado o surgimento das mesmas, com seu som energético, cheio de guitarras pra tudo que é lado. ZZ Top, Lynyrd Skynyrd, Blackfoot, 38 Special, Allman Brothers e o nervoso Molly Hatchet estão facilmente na lista de bandas que mais escuto, nem que seja pelo menos uma vez por semana. Guitarras quentes e embriagadas, cozinhas matadoras e vocalistas que parecem ter saído de uma briga de boteco fazem dessas bandas algo cativante e memorável.

E um dos grandes exemplos disso é o Molly Hatchet. Músicas desenfreadas, guiadas por três guitarras alucinadas, cozinha bem azeitada e um vocalista com o vocal meio bebâdo e ainda assim sensacional, que mandam pedrada atrás de pedrada sem ter dó alguma do ouvinte. Mas tudo é tão cheio da alma caipira americana que é impossível resistir a essa orquestra guitarrística regada a um bom whisky.



E um dos grandes momentos de sua carreira é o desenfreado "Flirtin' With Disaster". O que temos aqui é uma aula do mais puro e limpo rock n' roll, daqueles que queremos escutar quando estamos a fim de perder o controle da situação. Southern rock da mais excelente qualidade, com riffs e solos pra tudo que é lado, uma bateria com um tom cativante (sou apaixonado pela afinação utilizada aqui, algo de macho mesmo!), cavalgadas desenfreadas no baixão e Danny Joe Brown com seu vozeirão despejando letras que poderiam ser histórias contadas por camaradas na mesa de um bar. Resumindo, essa mistura toda não poderia dar errado e a banda acerta a mão em cheio nesse discão.

E nada melhor do que começar com a energética "Whiskey Man", com destaque para o baixão presente de Banner Thomas, que é o suficiente para destruir tudo por aqui, em uma canção que não nega as origens do grupo e arrancará um sorriso de orelha a orelha de quem curte rock n' roll sem muita frescura. O cover que ganhou uma versão boogie rock "It's All Over Now" com sua letra que é um desabafo de um cara traído, daqueles que ouvimos principalmente de um bebâdo é igualmente sensacional e mantém a energia lá em cima. O refrão de "One Man's Pleasure" já valeria toda música, onde Danny Joe Brown setencia em uma música trabalhada entre generosos goles de whisky: "One man's loss is another man's gain / One man's pleasure is another man's pain". A genial "Junkin' City" narra a ida de um jovem com o seu pai para uma cidade dos sonhos de todo homem, com muitas mulheres e chopp estupidamente gelado, com um riff que nos convida para entornar o máximo de copos de cerveja que aguentarmos.



"Boogie No More" começa como quem não quer nada com uma guitarra slide, com um sutil convite para sacudimos ao som do grupo, que logo é acelerado e com três guitarristas despejando solos e riffs matadores um atrás do outro, algo impossível de se resistir. Mas logo após o grupo dá seu golpe de mestre com a destruidora "Flirtin' With Disaster". Sim, aqui as guitarras nos massacram desde o início, com riffs esmagadores, solos com três guitarras que quase ensurdecem o ouvinte e Joe Brown conduz a orquestra de guitarras ao fundo com maestria, derrubando tudo que estiver ao redor no momento da audição. "Good Rockin'" vem cheia de groove e mais solos desenfreados, honrando a tradição do southern. "Gunsmoke" mantém tudo acelerado e suas guitarras fazem a espinha arrepiar.

"Long Time" é a música mais cadenciada, mas até quando a banda tira o pé do acelerador é roqueira até o osso. "Let The Good Times Roll" fecha o disco de maneira emplogante, como um bom southern deve ser. Ainda temos de bônus aqui "Silver e Sorrow", duas versões ao vivo para "One Man's Pleasure" e "Flirtin'" e uma versão matadora para "Cross Roads Blues". Então se você ainda não teve chance de ouvir essa pérola sulista, faça isso imediatamente!




1.Whiskey Man
2.It's All Over Now
3.One Man's Pleasure
4.Jukin' City
5.Boogie No More
6.Flirtin' with Disaster
7.Good Rockin'
8.Gunsmoke
9.Long Time
10.Let the Good Times Roll
11.Silver and Sorrow (Demo)
12.Flirtin' with Disaster (Live)
13.One Man's Pleasure (Live)
14.Cross Road Blues (Live)

Danny Joe Brown - vocals
Dave Hlubek - Guitarra
Steve Holland - Guitarra
Duane Roland - Guitarra
Banner Thomas - Baixo
Bruce Crump - Bateria

Músicos Convidados:
Max Gronenthal - Backing Vocals
Tom Werman - Percussão
Jai Winding - Teclados


By Weschap Coverdale

10 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?am897w4k4p9zti8

Gabriel Posva disse...

Óimo post! Esse album é maravilhoso.

Gabriel Posva disse...

ótimo post, esse album é maravilhoso.

Anônimo disse...

Molly Hatchet, uma grande banda!

Jonathan Pedroza disse...

Nunca tinha escutado. Curti a prévia ali no post, e to baixando pra curtir o resto! \,,\

leo86hc disse...

opa mais southern! valeu ae ... aguardando os próximos "southern"

Taliban Sexy Trucker disse...

Sensacional msm, ótima banda, sonoridade, td msm, nunca tinha ouvido falar, valeu mais uma vez combe....

Anônimo disse...

Muito bom ouvir sonzeira southern!
Lamento que no Brasil a gente não tem uma atmosfera propícia para este tipo de música, pois é genuínamente americana. Seria ótimo poder frequentar muquifus de beira de estrada, depois de viajar horas em uma Harley Davidson, beber um whisky, trocar uns sopapos com gente sacana, jogar snooker, ver umas garotas bonitonas fazendo dança sexy em cima do balcão, e ouvir este tipo de som rolando alto no local. É coisa pra gente rústica, com moral de estradeiro, sem frescura e sem essa bobagem colorida que tentam nos empurrar do politicamente correto. Ser macho, no sentido de animal, que corre em busca da fêmea mais selvagem do pedaço. Coisa para poucos.
Um salve para os trogloditas, que são uma espécie em extinção!

Molly Hatchet, Blackfoot, Lynyrd Skynyrd, Pride&Glory, Zakk Wylde, Monster Magnet, e outras sonzeiras para gente chucra e mal-educada, sempre serão bem vindas!

Abraços Rocker!

Anônimo disse...

Otimo! Continuem assim

Anônimo disse...

Adorei Whiskey Man!
Agora vou conferir o resto.
Baixando...