Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Mortaes - Obsessive Visions [2007]


No exterior, principalmente no eixo europeu, é muito comum nos depararmos com centenas de músicos e produtores que se envolvem com as mais diversas vertentes musicais, do extremo ao eletrônico, do mainstream ao underground. Mas é óbvio que num país onde o radicalismo e o fanatismo imperam, imaginar esse entrelaçamento de gêneros é algo quase ilusório. Pra não dizer que é completamente ilusório com uma ou outra exceção. E um dos raros momentos, em solo tupiniquim, de junções das variadas expressões musicais se encontra aqui no debut do Mortaes.

Originado em Brasília, este grupo apresenta uma proposta muito ousada ao reunir representantes de várias vertentes, tais como Heavy Metal (Fabrício Moraes, Gustavo Vieira e Kayo John - Dark Avenger), Thrash Metal (Robson Aldeoli - Abhorrent), Prog Metal (Marcelo Barbosa e Alírio Neto - Khallice), Hard Rock (Edu Ardanuy - Dr. Sin) e Black Metal (Hecate - Miasthenia). Mais atraente do que esses nomes é a sonoridade. Pois o mentor do projeto, Fabrício Moraes, desenvolveu músicas altamente técnicas com arranjos variantes e uma versatilidade que surpreende ao abranger Death Metal e Thrash Metal na mesma intensidade, com forte influência de Heavy Metal (nos solos) e toques de Black Metal (no uso dos teclados).


Além de toda esta polivalência, Moraes obteve uma uniformidade incrível, fazendo com que os estilos abordados se integrem e em nenhum momento soe retalhado. Não é uma tentativa desesperada de chamar a atenção, visto que o mesmo tem capacidade de sobra para criar uma coesão no contexto apresentado. Quanto às participações, surge outro fator interessante, pois alguns modificaram suas características. A vocalista Hecate, por exemplo, em sua aparição na abertura com "Struggling Endlessly", se utiliza de vocais mais assombrosos e drivados, diferente da voz rasgada e esganiçada que faz com sua banda.

Também há de se destacar as atordoantes mudanças de tempo e contínuas sucessões de riffs extremamente bem elaboradas em uma única música. Como é sedimentado em "Evangelize", que passeia pelo Death, Thrash e Heavy, e caminhando pro final surge um solo matador do Edu Ardanuy. As metamorfoses estilísticas continuam em "Love???", onde o Thrash faz a base, os vocais nas estrofes são voltados ao Death/Black e o refrão é puro Heavy Metal. Sem contar o instrumental que é cortado por virtuosismos a todo instante. A mais Heavy Metal de todas, "Being Born", apresenta os vocais fortes de Alírio Neto, que nos momentos mais agudos lembra muito Rob Halford. E o virtuosismo novamente dá as caras com fills e solos inseridos com extremo bom gosto, combinando perfeitamente com as passagens lentas, mas que logo cai no mais puro Thrash!


Robson Aldeoli canta "On the Road", que se inicia com riffs quebrados sucumbidos pelos teclados fúnebres, resultando em um Thrash Metal com clima dark. E quando pensamos que toda essa volubilidade Death-Heavy-Black-Thrash-crueza-atmosfera-melodia-virtuosismo-feeling se encaixando já seria o bastante, é aí que Moraes novamente surpreende. O instrumental "Nostalgic Sounds" é algo indescritível. O feeling que essa música transmite é absurdo. Transpira inspiração ao longo dos seus quase seis minutos, sem nenhum segundo desperdiçado com exibicionismo ou fritação.

Portento como poucos no Brasil, só o que falta para Fabrício se consolidar como um dos melhores guitarristas do cenário nacional é ter uma regularidade de lançamentos mantendo o mesmo nível. Infelizmente, não depende só disso, pois o país é escasso de apoio, mas se tiver uma constância de materiais no mercado com essa competência, certamente, irá se destacar no underground e talvez surjam melhores condições e oportunidades para espalhar seus trabalhos mundo afora. Os resultados, porém, já começam a aparecer, visto que a banda fez uma tour nacional e o disco, à princípio lançado de forma independente, foi reprensado pela Die Hard Records em 2008. Além de já ser tido por muitos fãs e críticos especializados como o "álbum mais original do Metal brasileiro".

01 Struggling Endlessly
02 Evangelize
03 Love???
04 One Slip
05 Ghost Melody (instrumental)
06 Being Born
07 On the Road
08 Warm Season (instrumental)
09 Nostalgic Sounds (instrumental)
10 Ritual of Life

Hecate - vocal on 1
Caio Duarte - vocal on 2
Alírio Neto - vocals on 3, 6
Hoanna Aragão - vocal on 4
Robson Aldeoli - vocal on 7
Cláudia Duarte - vocal on 10

Fabrício Moraes - guitar & vocals on 3, 4, 6, 10
Gustavo Vieira - bass
Kayo John - drums
Mariana Ponte - keyboards

Maurício Bastos - bass on 10
Daniel Moscardini - drums on 10
Edu Ardanuy - main guitar solo on 2
Marcelo Barbosa - main guitar solo on 6

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar

3 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?uxemc4ab7ewd4op

Anônimo disse...

Baixando para conhecer, valeu a dica!

Anônimo disse...

Parabéns ao Fabrício e à seleção de parceiros para o trabalho.

Bom poder mostrar que não é só de político corrupto que vive essa cidade. Isso sim é o que acontece aqui!!

Rafael Ciampi